Isto é ideológico

Este vídeo com uma mensagem de páscoa de Pedro Passos Coelho, tendo por adereço a sua mulher, calada, como um sorriso na cara, a olhar para nós, daria para umas piadas, se tivesse graça.

Não são apenas as grandes opções que os Partidos apresentam nas matérias clássicas que os distinguem e que nos permitem identificar uma esquerda e uma direita.

Actos de campanha como este vídeo são claramente reveladores de uma zona de conforto moral e ideológica, de direita, claro, ali, onde um político tem por normal dirigir-se ao país na páscoa, preocupado com a saúde, usando o seu estado civil como trunfo, a sua mulher sentada como uma estátua, mas prova estética, a todos os níveis, de que o candidato a PM é homem de bem, casadinho como se quer, um homem de família. Aposta-se nessa imagem que se adivinha que ainda dá votos num ringue com políticos divorciados, sem filhos, sem mulher, sem marido.

Esta direita existe porque ainda há um país para quem esta propaganda pessoal conta.

Não é o país da esquerda.

18 thoughts on “Isto é ideológico”

  1. «Mulher na democracia não é só biombo de sala.»
    Já Cavaco também tem a sua fada do lar.
    Isto é usual nesta linha ideológica.

  2. KIKI,

    Eu diria que é o país da direita pimba!

    Não sendo de direita, senti-me incomodado ao ver o vídeo e com a exposição a que a senhora se sujeitou. Este homem teria talvez feito melhor em insistir nos castings do La Féria.

  3. Custa-me dizê-lo porque, de facto, “o meu país” é quem menos culpas tem neste cartório. O certo, porém, é que, no “meu país”, o Presidente da República ainda se refere à sua mulher como: “a sua senhora”!! Que mais dizer?!

  4. “Não é o país da esquerda.”

    Considero-me de centro-esquerda, voto PS, não sou católico nem casado, mas está difícil para mim engolir e aceitar alguma animosidade pela presença da Sra. Passos num video de campanha. É pq acham que é um handicap Sócrates não ter uma Sra. ao seu lado? Porquê não ignoram este vídeo? Porquê dar tanta importância ao vídeo e tentar atacar o inatacável – foi uma boa ideia da campanha laranja. Criticar e menosprezar uma imagem à qual a maioria dos portugueses se identifica, é tiro no pé. Parem de falar neste vídeo.

    Da mesma forma que seria inadmissível criticar Sócrates por ser divorciado e aparecer sozinho, vamos deixar Passos Coelho expor a sua vida privada e os seus credos da forma que bem entende – se é exploração eleitoral ou não, o eleitor o dirá, os eleitores não são parvos, não precisamos estar a explicar nada a eles, se é um vídeo de direita, se é de esquerda.

    O que entendo deste post é que se está a tentar criticar um candidato de direita por ser de direita.

    Não vamos dar uma de PSD e começar a dar tiros nos pés.

  5. oh centro-esquerda que votas ps! explica lá qual é a lógica de de botar a mulher naquele filme mudo, onde só faltou dizer no fim: oh laura! diz boa noite aos espectadores. se era decorativo punha um dalmata em faiança ou carrilhava uma barbie guimarães, escusava de humilhar a mulher.

  6. Mas não humilhou. Aquilo é um projecto político, ela também é candidata a mulher do primeiro ministro.

    Seja marketing ou credo, aparecer ou não com a mulher ao lado é irrelevante. É uma decisão que cabe ao candidato.

  7. Para não alongar mais o assunto, acho apenas uma inutilidade e até ingenuidade criticar um político pq apareceu num video de campanha com a mulher ao lado. Parem de falar na mulher de Passos que com isso ele ganha votos, cobrem mas é o projecto do PSD. Não percam o foco.

  8. tens razão. é uma decisão dele. para uns irrelevante e para outros hilariante, né? expõem-se e depois queixam-se. a senhora não é candidata a nada, é mulher de um candidato e chega.

  9. Ou a Isabelinha corrige a wikipedia (http://pt.wikipedia.org/wiki/Pedro_Passos_Coelho), ou o Pedrinho Passos é casado em segundas núpcias, porque divorciado de um primeiro casamento – pouco conforme ao tal país de direita que a menina gostaria de ver queimado na fogueira.

    O vídeo é abominável. O cavalheiro será tonto se pensou que aquilo lhe renderia votos; a senhora tonta será, porque aceitou fazer tão triste figura.

  10. (ah, era a mulher? pensei que era a mãe…mas não percebi o sorriso fixo e rasgado quando o passos refere que esta páscoa é mais difícil que todas as outras para muitos portugueses, por causa das políticas seguidas, bla…)

  11. Chama-nos a atenção o comentador “Edie” para o “o sorriso fixo e rasgado [da mulher de Passos Coelho] quando o passos refere que esta páscoa é mais difícil que todas as outras para muitos portugueses”.
    Confesso que tal sorriso me provocou até algum constrangimento, para não dizer pena. Mas se visualizar de novo o filmezinho vai reparar que o desconforto não foi só nosso. Quando a situação começa a tornar-se insuportável, nota-se um corte no filme e logo a seguir o sorriso desapareceu por magia. Ou seja: na montagem final, o “realizador” deve ter-se apercebido e cortou o que lhe pareceu mais insólito. Só é pena que a “competência” a que aquela gente começa a habituar-nos não o tenha levado a cortar um bocado mais para trás.

  12. De facto, Joaquim Camacho. Lá está o corte. E consideraram satisfatório o resultado final. É porque o produto em si lhes parece defensável. É porque se trata, no fim, de uma vertente ideológica onde a estética e a ética não cabem…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.