Quando batemos em toda a gente acabamos um dia por bater em nós próprios

«As pessoas que escrevem nos blogues, como muitas das que escrevem nos jornais, como as que falam na televisão, dão aquilo que elas julgam que serão opiniões. Políticos falhados, jornalistas frustrados e tanta outra gente completamente iletrada, que não conhece os assuntos, e podiam dizer aquilo, ou o contrário, que era igual ao litro. Mesmo a maior parte dos cronistas são ignorantes, e o que escrevem são crónicas desnecessárias ou desabafos, aquilo a que chamo jornalismo da indignação. Mas faz muito sucesso, porque como as indignações são básicas, há muita gente a partilhá-las, e a ficar feliz por o senhor X, que até escreve no jornal, pensar como elas.»

Esta indignação é de Vasco Pulido Valente, no Notícias Magazine, em Janeiro de 2004. Vasco Pulido Valente é agora, dois anos depois, mais um dos «políticos falhados» que escrevem nos blogues.

8 comentários a “Quando batemos em toda a gente acabamos um dia por bater em nós próprios”

  1. Sempre foi típico da esquerda atacar todos os que se destacam na vida pública nacional e que não pertencem aos vossos domínios.
    Seja por isso benvindo…

  2. “Sempre foi típico da esquerda atacar todos os que se destacam na vida pública nacional ”

    Exacto. O Vasco Pulido Valente, que é de direita, nunca ataca ninguém. É mesmo típico da esquerda.

  3. o niilismo do bicho dá-lhe autoridade para zurzir nas suas próprias opções de vida, sejam elas contraditórias com o que já escreveu ou não. O Vasco [bonito nome, aliás] faz os Sex Pistols parecerem copinhos de leite optimistas de Sua Majestade.

  4. Eh pá, com essa é que o apanhaste! O problema é que, de facto, o que ele diz é a mais pura das verdades. Mas ainda bem que a brigada dos costumes está sempre presente para denunciar esta malta perigosa de direita.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *