PSD-M

O PSD nacional aproximou-se do estilo e cultura do PSD-M, como Aguiar-Branco e Pacheco Pereira, entre outras figuras da social-democracia vigente, confirmam sem um pingo de vergonha. Estamos perante uma insularidade democrática, onde um grupo de ranhosos separou o PSD das forças que o poderiam renovar, isolando-se no refugo do cavaquismo. A purga nas listas, o vazio programático e a decadência dirigente levaram o PSD para o período mais negro (Preto?) da sua História. Neste momento, face a um desastre cujas proporções já atingiram a Presidência e o Presidente da República, até Luís Filipe Menezes seria preferível a Ferreira Leite. Pior do que isto, só um golpe de Estado.

A retórica desmiolada de João Jardim, apenas possível num contexto onde detém o monopólio das relações de poder e não tem havido esperança de alternativa, deve estar no pináculo da popularidade entre os dirigentes nacionais e as bases militantes. Ouvirem Jardim chamar ladrão, mentiroso, fascista, nazi e paneleiro a Sócrates deve ser ocasião de gáudio e miserável desforço das humilhações supostas. Para quem apostou tudo numa campanha de destruição de carácter, não há limites, a dinâmica pede um permanente crescendo do pathos. E podemos esperar qualquer coisa, o caso das supostas escutas em Belém acabou com as ilusões que restavam. Atenção: nada disto é novo, em 2005 foi igual ― está é pior, e mais grave, muito mais grave.

Jardim pertence a um partido cobarde. Nunca o PSD lhe fez o mínimo reparo fosse quando fosse, discursos ou actos, sequer aquando do inaudito escândalo de termos um deputado impedido de entrar no Parlamento regional. Os presidentes do PSD são tratados como subordinados, ou pior. Nem um Presidente da República escapou ao vexame em território madeirense, e não por acaso um Presidente de origem social-democrata. Cavaco comeu e calou, para desprestígio pessoal e nacional. Por isso, habituado a uma tirania branqueada, a pior situação que lhe pode acontecer é ver Sócrates chegar à Madeira. Em pouco tempo, já é a segunda vez. O impacto no ânimo do PSD é devastador, medindo-se pelos silêncios que nem uma piadola conseguem largar. Jardim é o ogre caduco que chantageia o PSD e seus Governos por via dos deputados que elege, Sócrates o alvo da sua fúria que se ri da boçalidade doentia e dá força a madeirenses muito corajosos.

Jardim e Manela são velhos companheiros, têm uma vida de cumplicidades. A sigla não podia ser mais adequada ao opróbrio e torpor do partido: PSD-M.

8 thoughts on “PSD-M”

  1. “Estamos perante uma insularidade democrática, onde um grupo de ranhosos separou o PSD das forças que o poderiam renovar, isolando-se no refugo do cavaquismo. A purga nas listas, o vazio programático e a decadência dirigente levaram o PSD para o período mais negro da sua História”

    That’s it, Val

    Abraço

  2. Eu disse que se suspeitava que o Valupi não iria, nem conseguiria, refutar nada daquilo que disse o Jardim, e agora confirma-se isso mesmo ao preferir dar destaque ao foclore, às palhaçadas e ao vocabulário do homem. Como eu o percebo… Nada de surpreendente, quando o tipo da Madeira só disse verdades.
    Agora, o que é estranho é alguém que se habitou nos seus posts a insultar tudo e todos aqueles que contrariam a voz do seu dono e que recorre à utilização do paleio mais reles para falar dos outros, ficar escandalizado e enojado com o comportamento do tipo da Madeira. De facto, é regra os textos do Valupi referirem-se à «esquerda imbecil», à «direita ranhosa», aos «cobardes», aos «pulhas»,aos «broncos», aos «débeis», aos «paranóicos», aos «sonsos», sendo que, recentemente, os alvos destes insultos foram principalmente o Manuel Fernandes, o Crespo, o Pacheco Pereira, o Cavaco, a Ferreira Leite, o Louçã, entre outros. E estes são apenas alguns dos insultos que eu encontrei nos seus posts mais recentes.
    Este aprisonado do socretinismo lembra mesmo o seu dono que ainda ontem acusou os outros de serem fariseus, de pregarem uma moral que não usam em casa. Por que será que os socretinos têm tanta dificuldade em se olharem ao espelho e vestem tantas vezes o fato de virgens ofendidas que andam a zelar pela dignidade e pelo bom funcionamento das instituições democráticas?

  3. «A purga nas listas, o vazio programático e a decadência dirigente levaram o PSD para o período mais negro da sua História»

    Mas esta frase tem piada quando é sabido que o Pinto de Sousa excluiu das listas de deputados todos os ditos alegristas, e que por isso é um ditador «fascista», como disse o Jardim; quando é sabido que o partido do Pinto de Sousa é hoje um partido ideologicamente esvaziado, e que por isso é um mentiroso, como disse o Jardim; e quando é sabido que o Pinto de Sousa é um dirigente e político de plástico e de sorriso pepsodent que se especializou na venda da banha da cobra, e que por isso é um ladrão, como disse o Jardim.

  4. Mas ó DS “jardinaleiro”, quem é que começou com os insultos sem fundamento? Quem “filosofa” politicamente insultando? Você pode dizer o que quiser dos que falam verdade ao desmontarem o modo de fazer política de um partido que só tem, neste momento, nas suas fileiras, gente sem honra, sem dignidade, sem carácter e sem uma réstea, sequer, de honestidade(política e, em certos casos, toda), compreende-se, você é um deles, agora, usar para tal, as palavras rascas de uma personalidade do PSD(esse tal partido) que sofre de esquizofrenia agressiva permanente, isso já o põe no nível do esquizofrénico e acho que deve ir já aos competentes cuidados de saúde. O bom neste caso, é que possivelmente não terá as responsabilidades políticas do outro… Não podemos confundir luta ideológica com guerra de insultos e neste momento só resta ao PSD esta guerra, pelo que se sabe, mas que você, é natural, não desejará saber!!!

  5. Manu, dizes que compreendes, mas não compreendes nada! Eu, um «jardinaleiro» e um dos que pertence ao partido de «gentes sem honra», sem «carácter», sem «honestidade», «esquizofrénico» (julgo que estás a falar do PSD, mas isto aplica-se que nem uma luva ao partido do Pinto de Sousa)? Mas não, não sou… Vê lá se consegues compreender isso, antes de dizeres coisas sem fundamento.

  6. Caro DS

    Tudo o que dizes que o Valupi disse sobre insultos ee verdade. Mas estares a colocar em pe e igualdade as”bocas” de um bloger e as ignominias pronunciadas por um Presidente Regiona nâo sei como tal possa ser classificado. Uma coisa ee certa: desclassificas-te completamente a ti proprio. Acabas por nao dar uma pra caixa. Vê la se ganhas noçao do que andas a dizer. Depois queixa-te se te chamarem pateta.

  7. Mario, pateta és tu, porque pelos vistos parece que tens dificuldade em perceber que um gajo que insulta tudo e todos (e a coberto do anonimato) tem pouca ou nenhuma legitimidade moral para criticar os insultos dos outros, mesmo o de representantes políticos. Até porque como é costume dizer-se «as pessoas têm os governantes que merecem», e o Jardim é um verdadeiro representante do paleio trauliteiro do valupi. Estão bem um para o outro.

  8. Aliás, porque não responde o Jardim pelos insultos que faz? Porque está protegido pela imunidade. E o Valupi está protegido pelo quê? Está protegido pelo seu anonimato (pelo menos), porque se tivesse tomates a sério dava o seu nome e arriscava-se a ter que responder pelo que diz e pelos insultos que faz, como um dos seus ódios de estimação já teve que fazer: o Daniel Oliveira, que foi processado… pelo Jardim. Estão bem um para o outro, de facto…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.