PSD em período de balanço da campanha

Temos de vencer a tendência para nos lamentarmos de tudo e de todos, e de pouco fazermos para melhorar o que é de tudo e que é de todos.

*

Cavaco Silva, no Jardim da Cascata, arrependido pela feitura da estratégia derrotada nas Legislativas e muito longe das celebrações do 5 de Outubro.

13 thoughts on “PSD em período de balanço da campanha”

  1. Que dia triste
    Hoje dia da Restauração da República não percebo como podem tornar um dia que devia de ser de alegria Nacional, honrando os destemidos, que contribuíram para que este dia fosse possível, parecemos uns envergonhados e que devemos algo à monarquia. Não compreendo que um homem (Cavaco Silva) se dê ao desplante de tornar este dia a condizer, como o dia negro e de chuva, que acontece na minha terra. Se existe um Presidente da República, à implantação da mesma se deve, agora ignorá-la, é a mesma coisa que estarmos a celebrar a Páscoa sem a ressurreição. É de lamentar tal atitude mas deste presidente já espero tudo, é na comemoração do vinte e cinco de Abril, que sabe que o cravo é o símbolo dessa data. Não o usar dá-lhe um estatuto de arrependido, que é o que vem demonstrando de há muito. Parece-me se um dia voltarmos ao antigamente, ele é dos primeiros a aparecer à sua janela a festejar esse acontecimento. Há pessoas que são vocacionadas para o contrário e disso não se apercebam que estão desfocadas da realidade. Quem como nós que sempre viu na implantação da República, o poder do povo, a este iluminado, fica-lhe mal, estar ao lado desse mesmo povo, será por que alguma doença o pode contagiar. Não posso compreender que só uma pessoa pode modificar este dia argumentando que é por causa das eleições Autárquicas. Quando foi escolhido o calendário das mesmas, não se apercebesse o mal que ia fazer à memória de um punhado de homens, que ao contrário dele, eram corajosos, bravos e não temiam enfrentar multidões. Somos um povo de brandos costumes e queira Deus, que um dia não nos arrependamos da nossa cobardia. Pela minha parte sinto-me um cobarde e para atenuar este facto, é este o motivo porque escrevo estas linhas. A partir deste momento sinto-me melhor por ter desabafado e queria que este dia fosse para o Presidente da República o mais infeliz da sua presidência.

    http://www.youtube.com/watch?v=jTfPYsX7WTA

  2. Arrependido, quer dizer… Correcção de rumo, já que o outro deu para o torto, paciência. Mas eles não desarmam, e eles são a opus dei e os buracos nos bancos.

  3. A produtividade tende para infinito quando o nº trabalhadores tende para zero.
    É ou não é?
    E assim se vai combatendo o desemprego…

  4. Valupi: mas devíamos reflectir seriamente sobre isto, está aí como epifenómeno e o mínimo de solidariedade que podemos ter com as vítimas e famílias é reflectir sobre isto. Que absurdo é este?

  5. z, a temática do suicídio não é de hoje, e ninguém tens respostas prontas para explicar os fenómenos. São demasiados complexos para o actual estádio da ciência. Contudo, uma medida óbvia seria o aumento do apoio psiquiátrico e psicológico nessas áreas.

  6. a questão não é essa, a questão é de como o valor da ‘produtividade e competitividade’ levado a dogma, amplificado como matriz, engendra estas situações perversas. Fosse ‘produtividade e conviviabilidade’ e talvez a história fosse diferente, espera-se.

  7. OLÉ and BASCOMPTE (2006) reminds that stability seems to be associated with diversity, but the exact nature of such association has been a matter of debate for decades, and there is experimental evidence for a conflict between productivity and stability, mainly in small webs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.