Parabéns, Pedro – mas quando é que pensas ir entregar-te à esquadra?

O líder do PSD defendeu esta sexta-feira a responsabilização civil e criminal dos responsáveis pelos maus resultados da economia do país, para que não continuem «a andar de espinha direita, como se não fosse nada com eles».

«Quem impõe tantos sacrifícios às pessoas e não cumpre, merece ou não merece ser responsabilizado civil e criminalmente pelos seus actos?», questionou.

«Se nós temos um Orçamento e não o cumprimos, se dissemos que a despesa devia ser de 100 e ela foi de 300, aqueles que são responsáveis pelo resvalar da despesa também têm de ser civil e criminalmente responsáveis pelos seus atos e pelas suas acções», referiu Pedro Passos Coelho, citado pela agência Lusa.

«Não podemos permitir que todos aqueles que estão nas empresas privadas ou que estão no Estado fixem objectivos e não os cumpram. Sempre que se falham os objectivos, sempre que a execução do Orçamento derrapa, sempre que arranjamos buracos financeiros onde devíamos estar a criar excedentes de poupança, aquilo que se passa é que há mais pessoas que vão para o desemprego e a economia afunda-se», referiu.

5 de Novembro de 2010

pot of gold

Eu não estou agarrado ao meu lugar, não quero ser Primeiro-Ministro a qualquer preço. Mas ninguém no PSD quer ganhar mais estas eleições do que eu porque numa altura em que o País enfrenta, provavelmente, a última grande oportunidade nos próximos anos de inverter esta tendência de empobrecimento em que tem caído, Portugal tem crescido, nos últimos dez anos, em média 0,5%, o que significa que se não inverter esta situação os 700 mil desempregados que hoje tem crescerão para perto de 900 mil muito rapidamente – o que significa uma situação absolutamente desastrosa e caótica. Nós hoje só não temos 15% de desemprego em Portugal porque temos a maior taxa de emigração dos últimos 90 anos em Portugal. Portanto, ou vamos inverter esta situação rapidamente e as pessoas acham que é importante fazê-lo, e escolher um Governo que, de uma vez por todas, entregue este resultado e lute por ele, ou não temos isso e então o País terá escolhido o seu destino e eu assumirei a minha responsabilidade; é porque eu não fui suficientemente convincente. Mas estou muito determinado em entregar este resultado e não será por falta nem de preparação, nem por não escolher as pessoas com melhor perfil, nem de levar a maior isenção e abertura para o Governo que a estratégia não será bem sucedida.

4 de Maio de 2011

8 thoughts on “Parabéns, Pedro – mas quando é que pensas ir entregar-te à esquadra?”

  1. é urgente parar com a acção (ou inacção) destes arrivistas de meia-tijela. é urgente! antes que o país vá irreversivelmente pelo cano. e a grande responsabilidade do caminho que nos levou até aqui é da comunicação social.

  2. O Passos aldrabão, o maior vigarista que conheço, tem, desde as eleições, andado a cuspir no prato onde come. Se por cada mentira que profere levasse uma arrochada (ia a dizer nos cornos mas é proibido porque podemos ser processados, assim não digo) digo antes uma arrochada no meio da testa já teria (ia outra vez a dizer os cornos partidos mas não posso mais uma vez) a testa e os olhos quebrados.
    Filhos da puta (não me refiro ao governo, foda-se) mas aos eleitores que votaram neles.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.