Isto é o que não pode ser escondido sobre Sarah Palin, façam lá os Republicanos o que fizerem, e aquilo que vai enterrar definitivamente McCain a partir desta noite, sem falta

A voz da senhora, o timbre, o fraseado, os meneios. Não dá para entregar a vice-presidência da maior força militar do Universo a quem fala como se estivesse a passar a mão pelo cachaço a dois eleitores do Alasca meio trôpegos de frio, ensopado de rena e Duck Farts.

(atenção, falo do Universo conhecido, mas importa realçar que já conhecemos bastante do Universo todo, incluindo zonas muito mal frequentadas como a Quinta da Fonte, e ainda não apareceu exército com maior orçamento do que aquele à disposição do Americano)

12 thoughts on “Isto é o que não pode ser escondido sobre Sarah Palin, façam lá os Republicanos o que fizerem, e aquilo que vai enterrar definitivamente McCain a partir desta noite, sem falta”

  1. Vamos a ver, ou não!,….Valupi é uma figura Napoleónica de óbvio pequeno porte, e de doentia vontade de imperar, ou será um perfeito assassino de pequena pila, á procura de carência!. Onde escondeu os cadáveres?!. Se não me dá resposta comunicarei com a interpole. PS: Napoleão era mesmo pequenote, e a pila era uma lombriguinha. Donde estan los desaparecidos?!

  2. No estoy entendiendo nada, coño. O q é que não pode ser escondido? O ensopado de rena tem cachaço? Que pato é que se peidou?

    Apostaram na Palin para a caça ao voto – racional ou irracional pouco importa, de preferência irracional. Como há muitos atrasados mentais lá no sítio, a coisa vai render. Não subestimes aquilo de que não gostas, Val.

    Quem é que tem pila de lombriga e o q é q isso tem a ver com a questão?

  3. pois eu também não deito foguetes, embora não ache mal que outros deitem. Ainda não vi a galinha pressurosa na tv, mas estou com o Nik nisso de lá ter de tudo e mais alguma coisa, e ainda bem, só que depois não se sabe o que dá

    e ainda há os escândalos de última hora,

    (do N. é verdade sim, a gente não deve falar muito dos mortos, mas ainda hoje estou para saber quem era o pai dio rei de Roma, mas Marie Louise foi consagrada com o Mirroir de Portugal_1 no colar e o Mirroir de Portugal_2 na tiara, a Josephine é que se lixou)

  4. Caro Valupi, reservei-me para comentar depois de escutar a senhora. Fiz de conta que estava à espera que o Carlos Lopes corresse a maratona e fiquei ali sentado, CNN à minha frente. É certo que a senhora Palin tem voz de artista de filmes porno. Mas acho eficaz,e, principalmente, quem vota gosta, aquele discurso da provinciana contra tudo e contra todos, a mulher simples, com filha adolescente grávida e tudo, contra a imprensa bem-pensante que está a afiar o facalhão para a cortar às postas. Obama diverte-me e gostava que ganhasse. Mas, nisto de gostar que ganhasse, lembro-me sempre das últimas eleições americanas, onde a Europa em peso gostava que ganhasse aquele rapaz que agora é conferencista ambiental e, surpresa, ganhou o Bush filho. Parece-me, e a mim quando me parece a coisa acontece mesmo, ainda ontem me parecia que ía comentar este post e, lá está, a coisa aconteceu mesmo, parece-me, dizia eu, que a senhora Palin é capaz de ganhar as eleições.

  5. z, muito obrigado. Um mimo, a nossa cabrinha.
    __

    Verictas, larga o vinho.
    __

    Nik, tens razão, a coisa pode render. É o que muitos disseram, ou é genial ou desastrada a escolha da senhora. E ainda não se consegue perceber para que lado vai pender o destino.
    __

    Dispendioso Comendador, é verdade: a senhora Palin é capaz de ganhar as eleições. E é verdade porque o futuro é absolutamente generoso com as verdades possíveis, todas acolhendo no seu farto seio. Só que há aqui um berbicacho do carvalho, o ser mulher. Não é apenas por conspiração das pilas que há poucas mulheres na política, ou em cargos de poder. É por razões que remetem para a cultura e para a biologia (lá está o berbicacho, a cultura remete para a biologia, a biologia é influenciada pela cultura). E aqui vai ser interessante observar as flutuações significantes à volta da Sarah. Repare-se no que já aconteceu em tão pouco tempo, a volatilidade da sua imagem: surpresa, descrédito e crença. Esta prestação na convenção foi excelente no agora, mostrando uma mulher com colhões. Foi o número ideal para permitir estancar as inseguranças criadas no aparelho Republicano e para dar argumentos aos publicistas engajados ou apoiantes. Ora, esta mesma postura de mulher “provinciana contra tudo e contra todos, a mulher simples, com filha adolescente grávida e tudo” tem pavio curtíssimo e condena McCain. Porque contradiz a própria essência do cargo a que concorre: ser eventual – next in command – líder mundial.

    Assim, e ainda não se sabendo como vai Obama gerir a novidade Palin, diria que o meu estouvado título se confirma, apesar de ter sido vergastado sem piedade. Para mim, o que esteve na origem da opção por esta mulher é da mais absoluta e canhestra manipulação emocional, como a imagem do marido com o filho ao colo permite concluir se ainda houvesse alguém com dúvidas. Trata-se de uma engenharia de marketing e diz tudo sobre a irresponsabilidade da candidatura de McCain.

  6. Caro Valupi, o que segue não é bonito de ler. A sério, não leia, vai deitar por terra essa sua ilusão de que a política (principalmente nos EUA) não está contaminada pela engenharia de marketing.

    Já que continua a ler, apesar dos meus avisados avisos, lá vai:

    i) A escolha de Joe Biden para vice de Obama? Previsível, apenas poderia ser ainda mais plástica se Obama tivesse escolhido Jim Webb, um contraponto a McCain. Por exemplo, Bill Richardson, já se sabia que, por mais competente que pudesse ser, não acrescentaria valor: é de origem hispânica e seria “mais do mesmo” para os democratas. Biden é uma pura escolha de marketing político que apenas se sobrepôs a outras escolhas de maketing político (Hillary, a mulher; Webb, o militarão, Richardson, o das minorias étnicas perderam para Biden, o especialista em relações internacionais)

    ii) O discurso de Hillary, na convenção? Valupi, mesmo eu, um homem simples e que acredita em tudo, achei aquele discurso puro marketing político.

    iii) O discurso de Bill Clinton, na convenção? Valupi, mesmo eu, um homem simples e que acredita em tudo, achei aquele discurso puro marketing político.

    iv) A própria convenção democrata? Do melhor que já vi, em termos de marketing político, incluindo o discurso de Obama, ele próprio.

    E, caro Valupi, sendo o futuro generoso com as verdades possíveis, em verdade lhe digo que os sessenta e tal dias que nos separam da eleição serão uma ode ao merketing político, de um e de outro lado. Ou então eu não me chamo Antunes de Burnay…

  7. Comendador, tens muita, muita razão. Mas não tens a razão a toda. E vamos, sem demora, arrumar a parte periférica da questão: já Platão se queixava do marketing na política. Portanto, não – seguramente não – não estamos perante uma novidade. A política em democracia faz-se recorrendo a técnicas e instrumentos de marketing e publicidade, seja em que campo for, em que país for.

    Do que falo, a parte central da questão, é da ética. E neste campo as escolhas não admitem equivalência: Joe Biden é um credível vice-presidente, Sarah Palin é uma inverosímil vice-presidente. Tudo à volta do candidato Democrata o confirma como escolha responsável, e tudo à volta da candidata Republicana a mostra como escolha irresponsável.

    Creio que esta relação aumentará com a passagem do tempo e a exposição de cada candidato. Palin, ao conseguir representar um arquétipo Republicano fundamentalista, irá aparecer odiosa às hillaryanas, e até a muitas eleitoras Republicanas moderadas. Como se viu pelo discurso da convenção, ela irá por aí. Vai, pois, enterrar McCain num crescendo de embaraços, porque este posicionamento de mulher simples e fanática só pode piorar as suas contradições internas ao se aproximar a data da decisão.

  8. Caro Valupi, tenho uma técnica infalível para decidir as pessoas em que aposto. Imagino que tenho que passar o próximo ano numa ilha deserta com essa pessoa. Este critério de escolha, com tantas provas dadas ao longo das últimas seis décadas, diz-me que a escolha certa é Palin…

  9. Ah, já podias ter dito! Sim, critério infalível, particularmente no páreo com Biden. Mas cuidado com os finais de 2009, pois o marido da senhora parece ser matulão.

  10. hoje finalmente vi um vídeo com a galinha pressurosa, ouvi-lhe o timbre e o nariz, e de facto aquela mensagem de boas vindas à convenção do partido independentista do Alasca vai doer, politicamente e não só

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.