Freeport

O caso Freeport está na origem do caso PT/TVI e da espionagem política feita em Aveiro e no Parlamento. Muitas pessoas, em lugares de cimeira responsabilidade social, fizeram os possíveis para usar estes casos com vista à obtenção de ganhos políticos através da injúria, difamação e calúnia.

Quais serão as consequências para os envolvidos e para o futuro da política portuguesa?

17 thoughts on “Freeport”

  1. Já sabíamos que o hábito não faz o monge; ficámos a saber o que acontece quando o monge o tenta fazer.

  2. Mas a MMG continua a dizer que fazia jornalismo de primeira água e que, o que disse, nunca foi desmentido. Aliás, as declarações da senhora davam, também, um bom teste de lógica. (Eu só vejo puré de pacote). Se se retirar o umbigo da conversa, pura e simplesmente não resta nada, balhamedeus.

  3. É urgente e conveniente, sem dúvida, que a corrupção seja combatida e reprimida. Até aqui tudo deve ser criteriosamente investigado, mas outra coisa diferente é andarem seis anos a queimar em lume brando pessoas que não tendo nada a ver com o processo, como se vinha afirmando e se constata, ficam com o nome e a honra manchados, porque “no vale tudo” em que se tornou a prática política dos perdedores e dos seus capangas da comunicação social, vale tudo para se ganhar fama. Sei que a esses sabujos nada lhes irá acontecer porque a cobardia os vai fazer resguardar nas insondáveis “fontes”, mas para esses há uma resposta da população quando devidamente elucidada. Sei que é tarefa difícil porque é “um a lutar contra uma multidão”, mas terá de haver por parte do partido e da pessoa que mais prejudicada foi com esta guerra, uma acção incansável de esclarecimento, embora sempre difícil pela sabotagem dos órgãos da comunicação social. E o exemplo vem mesmo dos órgãos pretensamente “controlados” pelo governo. O caso da Antena 1 é paradigmático. Durante cinco dias da semana há cinco “personalidades” que de uma ou outra forma representam os partidos, que desancam, constantemente, no Governo e quem é o “representante” do PS, que, previsivelmente, deveria “defender” o Governo? É a eurodeputada Ana Gomes, que independentemente de estar ou não de acordo com ela sobre os temas em que reflecte – maioritariamente sobre política internacional – não contesta, quase nada, aquilo que os outros no “Conselho Superior” vão afirmando. E é neste estado em que, de facto é difícil combater toda esta direita ranhosa e essa pseudo esquerda que outra coisa não sabe é tentar afundar o seu “principal inimigo” – o PS .

  4. bom dia, “he is corrupt”, acredito piamente, portanto toda a sua lógica cai logo por aqui…e como me responder, se eu estou do lado que acredita “piamente” que o PM é culpado, corrupto e mentiroso (as mentiras estão espalhadas pela rede)…quem o defende agora e na eventualidade de se provar culpa mais tarde (isto é ser “pior” que idealista) o cheiro dos euros, da mentira e do crime estará espalhado por todo o lado, da defesa avançada às estâncias mais altas da justiça…
    e tente também não fazer dos outros estúpidos, agradecia,… poderá ser o habitual dos seus leitores que abanam a cabeça sempre que seja pra defender o PM ou o PS mas aqui há quem pense…foi a MMG que abriu os processos contra o PM, lhe chamou corrupto em video(pq será?), que tem tios e primos aos pontapés em processos do ministério, que não chamou o MP quando havia uma suspeita de tentativa de corrupção??

  5. Se os intervenientes das calúnias a Sócrates tivessem um pingo de vergonha retratavam-se e pediam desculpas públicas. Quem com responsabilidades, juízes, – deviam de deixar de exercer a actividade, mostraram que não são isentos. Comunicação social – especialmente o jornal Sol – jornalistas como Felícia Cabrita, Mário Crespo, Moura Guedes, António Ribeiro Ferreira e outros, deviam ser expulsos. O Sindicato dos Jornalistas devia tirar-lhes a carteira profissional. Eu, no lugar de Sócrates movia-lhes um processo judicial, tinham de pagar pelos danos causados. Quero ver como vão resolver o caso Lopes da Mota. Se não há réu não houve corruptor. Todos os que são contra este tipo de notícias deviam de fazer um boicote à tvi.

  6. Ao nível judicial: 0 (zero) consequências.
    Ao nível político: algumas, poucas, viram-se sobretudo nas ultimas eleições. Quando das próximas, já ninguém vai ligar nenhuma, até porque são outras pessoas no PSD. Não é zero, mas próximo.
    A nível pessoal: Sócrates resistiu, Rui Pedro Soares foi destruído, Armando Vara para lá caminha, através da tortura da gota de água.
    A nível dos media: MMG tão cedo não volta à ribalta, embora continue a sua picardia com Sócrates por questões de protagonismo. O CM é o CM, o leitor típico provavelmente pensa que “os poderosos safam-se sempre”. O Sol inventará outra coisa qualquer para focar o ódio a Sócrates dos seus leitores. Com os restantes, não é nada com eles, era o que faltava porem em causa a “excelência do jornalismo”.

    Assim de repente, é o que me ocorre. Foi uma chatice tanto trabalho para não dar em nada, o sacana é mais duro do que se pensava, Doutor.

  7. Tudo isso, não passou de um experiência piloto de tentativa de derrube de um governo legítimo por “razões atendíveis”. Não havia “justa causa”, e agora ficamos todos a saber que a causa nem sequer era justa.

  8. E tudo começou com uma carta anónima, nada anónima por sinal. Até se sabe onde foi escrita. Agora segue-se a «viradeira» como no tempo do Pombal, penso eu de que.

  9. Não sei. não quero saber. Desconfio por natureza que onde há fumo há necessariamente fogo. Não me fio na justiça à portuguesa. Acho a política (à portuguesa, também) um mero expediente a soldo de carreirismos pessoais e, portanto, nada me surpreende.

  10. O velho hábito é um manto infestado de parasitas de toda a espécie, mas o carrapato da marmeleira é a variedade mais tóxica e de aspecto mais repelente.
    O desgraçado infectado que seja, por esse agente carraceiro, vira pele e osso em pouco tempo, é um risco para a saúde pública; é essa a motivação económica, atacar o SNB, um negócio de mais de dois mil milhões de euros.

    É tão fácil fazer dinheiro; a gente faz a doença, depois vende os remédios. O mastunço sabe disto, mas faz o que dono manda; grandessíssimo filho da puta.

  11. oh blonde, com que então usas a velha máxima da inquisição “onde há fumo há fogo” (vamos então lançar fumo para que pareça que haja fogo!). para quê, então, o phd?

  12. Sobre o futuro: mesmo desafiando a lei da gravidade, esta gente, que é abaixo de qualquer cão, não pode chegar ao poder. Herói, vai à luta!

  13. Gostava de dizer qualquer coisa a um sujeito que ficou lá para trás e dá pelo nome de Pedro (ou padre?) Frederico.

    Admito que o homem seja padre por uma simples razão: é que no seu texto dá provas de uma fé indiscutível e inquebrantável tão forte quanto a fé que porventra tem no seu Deus. Sócrates é corrupto e ….prontos! Que pena ter passado o tempo dos “julgamentos de Deus” em que se especializou a Idade Média e a Inquisição. Aí sim iria ver-se quem é o malvado do Sócrates. Para esta espantosa criatura, a malvadez do Primeiro-Ministro é um dogma de fé que dispensa e torna mesmo ridículo qualquer apelo à lógica ou ao resultado das investigações que decorreram. Veja-se o que diz aquele sonso: “acredito PIAMENTE”. Ergo… a lógica que vá dar uma volta ao bilhar grande.

    De facto, é de ir às lágrimas (como diria o outro) pensar que gente da minha terra, no início do séc. XXI ainda é capaz de pensar e até de escrever misérias desta natureza!

  14. “O caso Freeport está na origem do caso PT/TVI e da espionagem política feita em Aveiro e no Parlamento”

    e naquele tiveram particular intervenção o duo maravilha Anibal – Manuela

    do qual resultou uma intervenção na gestão de empresas privadas e cotadas em bolsa

    para além de toda a balburdia da “asfixia democratica”

    bem reflectida no ar viscoso do redondinho Rangel, e do intelectual PPereira…

    Ninguem os entrevista, pede opinião, responsabiliza criminalmente?????

    o pateta Alegre não se manifesta sobre?????

    qual é afinal o seu papel, seguir cegamente loução e o BE?

  15. “O caso Freeport está na origem do caso PT/TVI e da espionagem política feita em Aveiro e no Parlamento”

    Esta porcaria que vossemecê escreveu, não está provada, e, é uma acusação grave.

    A meu vêr, o sr. deveria levar uma valente carga de lenha, primeiro, e depois, um processo em cima.

    E depois, a pessoa que está melhor posicionada para fazer “espionagem política”, é quem tutela os serviços de espionagem (que centralizou, e colocou sobre a sua – dele – dependência).

    Mas eu não estou a dizer que o faça.

    Não tenho provas, – nem nunca terei, claro – e, seria uma calúnia.

    E quanto a calúnias, fica mais uma vez amplamente demonstrado, que, no PS, calúnias, só são admissíveis, para atacar os outros (como você exemplificou, na tentativa de defender o seu santinho).

    Cordiales.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.