13 thoughts on “E esta, hein?”

  1. Desde já desejo-lhes bom sucesso. Desejo, firmemente, que seja um jornal que paute a sua actividade pelos reais valores do JORNALISMO e não entre na chafurdice que se vai vendo por aí. A esquerda democrática está carecida de um órgão que lhe siga as ideias, mas sem subserviência. Penso que o Emídio Rangel poderá ser a pessoa que conseguirá realizar com sucesso um novo espaço informativo.

  2. Trabalhei com todo o entusiasmo num jornal que se chamou O PONTO nos anos 80. Lá entrevistei vários escritores, lá dei seguimento a uma rubrica iniciada no Diário Popular (Um livro – um autor) e lá vi morrer o sonho que não morreu de todo; está nas prateleiras da Hemeroteca. Cá fico à espera para comprar e ler. Que corra tudo bem e dure o mais possível.

  3. Oxalá !
    Que volte rápido o Rangel da TSF e dos bons velhos tempos da SIC.
    Violtarei a ler jornal.
    Jnascimento

  4. Apoiado! Falou bem o home – assim se dizia na minha terra no tempo da Estrada de Macadame, meu caro Joaquim da Costa de África, seu duriense de antes quebar que torcer…

  5. Ainda bem! Já não me lembro de comprar uma revista ou um jornal. Mas quero ver se não é mais do mesmo, como quem diz, jornalismo de sarjeta. O Rangel foi sempre do melhor que por cá se viu na comunicação social.

  6. Que criem um posicionamento editorial claro, de centro esquerda, ao contrario da actual media portuguesa cujo bias é mais que evidente continuando a alimentar a sua hipocrita neutralidade.
    Arranjem pessoas experientes e novas caras. Estava a pensar no Vicente J. Silva mas não sei se havera alguma incompatibiidade funcional (ou quaquer outra) com o Emidio Rangel.
    Libertem-nos deste sufoco mediatico dos clones neoliberais. Libertem-nos dos Ubus.

  7. Espro que o Joaquim não se escame por eu lhe chamar (num arroubo) Joaquim Costa de África. É uma piada por causa de São Tomé…

  8. Não simpatizo, nadinha mesmo, com o RPS. [E ele preocupado, não é?]
    Mas, a concretizar-se o projecto, vai ser interessante acompanhar os mortais engrupados à retaguarda de alguns figurantes do ofício jornalístico.

  9. Eh, pá, se for um jornal de qualidade que venha limpar a merda que temos, tudo bem, caso contrário, que se lixe. Como diz o outro, p’ra pior já basta assim.

  10. LOL! LOL! LOL! LOL!

    O pasquim deve ter tanto de isenção e qualidade como se fosse publicado pelo Instituto Sá Carneiro :-D

    LOL! LOL!

  11. dir-se-ia que a indemnização seria bem aplicada de acordo com a lei do karma. Já não sei se noticiaria a propalada gestão ruinosa do Tagus Park, que também não sei se será verdade,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.