Dois minutos

Estas são as declarações finais do debate. Bastam dois minutos para descobrirmos o que cada um pretende para Portugal.

Passos

Eu creio que o País tem hoje muito claro que a partir do dia 5 de Junho precisa de ter um Governo que seja competente e capaz. E que seja realmente possível entregar um resultado que aqueles portugueses que hoje estão desempregados, que estão assustados com o futuro, porque sabem que o País foi conduzido a uma situação de praticamente bancarrota – quer dizer, de não ter dinheiro para honrar os seus compromissos – esses portugueses sabem que há um responsável por essa situação, essa responsabilidade cabe ao Eng. José Sócrates, e ele não tem desculpa na medida em que o PSD já cooperou, e cooperou bastante, para que o Governo pudesse ter alcançado um resultado que fosse satisfatório para todos os portugueses. O que está em causa agora aqui, portanto, é de saber se devemos ou não mudar a liderança. E não há dúvida que o País precisa de mudar a sua liderança. Precisa de alguém que respeite os compromissos, alguém que tenha capacidade de diálogo, alguém que pode não ter experiência governativa, como eu, mas não traz na sua consciência ter 700 mil desempregados e um Estado Social que está em perigo se não conseguirmos colocar a economia a crescer. Esse é o meu compromisso com os portugueses. Formarei um Governo coeso e sólido se essa for a vontade dos portugueses, e se eles tiverem, como eu, confiança em que podemos ser capazes em Portugal de fazer diferente do que fizemos nestes 6 anos.

Sócrates

Os portugueses sabem que eu sempre assumi as minhas responsabilidades. E sabem também que nunca virei a cara nos momentos difíceis. Pela minha parte, os portugueses conhecem-me e sabem que tomei sempre as medidas difíceis, exigentes, que foram necessárias para defender o interesse nacional. Para vencer a crise, o País precisa de um Governo responsável, com uma liderança forte, uma liderança preparada e uma liderança segura de si. O que o País dispensa são as aventuras e o radicalismo ideológico que nos levariam a mudanças perigosas, insensatas, e muitas vezes nocivas àquilo que são os interesses das pessoas. Pela minha parte, o que tenho a propor aos portugueses é um caminho de uma governação responsável e moderada. Que resolva os problemas nacionais cumprindo os objectivos que estamos comprometidos com a União Europeia e com o FMI. Mas que também modernize a nossa economia ao mesmo tempo que defende o nosso Estado Social e aquilo que é a protecção social do Estado. Com um Serviço Nacional de Saúde acessível a todos os cidadãos, com uma Escola Pública que esteja disponível para promover a igualdade de oportunidades e com uma Segurança Social Pública que seja uma Segurança Social ao serviço dos mais idosos e dos mais carenciados. Esta é a escolha que temos pela frente. Eu, pela minha parte, confio nos portugueses e confio em Portugal.

25 thoughts on “Dois minutos”

  1. tivemos 6 anos para descobrir o que um deles quis para Portugal e não foi nada bonito…esses 2 minutos são precisos para nada.

  2. acho muito certo o sócrates dizer que portugal é um “país despensa”. faltaria acrescentar que a despensa está quase vazia.

  3. bom, e resta dizer que é conversa de merda, em qualquer dos casos. o caminho moderado de sócrates tem exactamente a mesma direcção que o de coelho, embora menos abrupto, concedo. basta ver o ensino, essa bandeirinha.

  4. Passos Coelho tem invocado a sua experiência como administrador e gestor de empresas, comparando assim a governação do País com a gestão de uma empresa. E deve estar mesmo convencido que é mais ou menos a mesma coisa.

    Neste minuto, a única ideia que apresenta para resolver todos os problemas do País é a de que formará um Governo coeso e sólido. Ou seja, aparentemente, não são precisas ideias nenhumas o que conta são as pessoas que tem na cabeça para formar o tal Governo. Muito parecido de facto com o que se passa naquelas empresas que têm administradores que o são em dezenas de empresas simultaneamente. Também a esses administradores ninguém exige que tenham muitas ideias, o único objectivo é que os seus nomes, só por si, funcionem como garantia de que as empresas onde estão presentes têm administrações sólidas e coesas.

    Se calhar não se perdia se alguém avisasse o Passos que para governar o País são mesmo precisas ideias, que não bastam meia-dúzia de nomes, aparentemente, credíveis. E que é a ele que compete apresentá-las, de preferência, durante a campanha.

  5. ora, de nada. :)

    bem apontado, guida. seria importante verificar que amizades políticas estão por detrás desse conjunto de administradores multitasking que veio agora a lume. sabe-se mais alguma coisa ou só a estatística?

  6. A diferença é entre quem tem ideias claras para o País. E quem só tem sound bytes e a cassette dos desempregados e da bancarrota.Ideias como resolver as coisas, zero!
    Socrates tem um programa para resolver a crise e proteger o estado social, Coelho corre atrás da crise e dispara sobre o estado social!

  7. susana, vá lá saber-se porquê, o assunto não despertou a curiosidade dos jornalistas. Mas é pena.

    Já agora, dizes que ‘basta ver o ensino’. Que queres dizer com isto? Que defendem ambos o mesmo para a Educação? Que o ensino piorou nos últimos seis anos? Não percebi.

  8. Guida: Não percebi esta sua frase. “Se calhar não se perdia se alguém avisasse o Passos que para governar o País são mesmo precisas ideias, que não bastam meia-dúzia de nomes, aparentemente, credíveis.”
    A Guida disse aparentemente credíveis? Ainda tem dúvidas? Então o Catroga, senil, não foi já um bom ministro? O Mira Amaral que anda na campanha não é mais do mesmo? O Frasquilho, O Menezes, o Relvas, e todos que lá andam não têm um bonito passado? Não foi o Mira que “trabalhou 6 meses na CGD e tem 4000 euros de reforma? Então está a esquecer-se do Loureiro? O homem já foi chamado para aconselhamento. Ainda hei-de ver lá o Oliveira e Costa. E o Santana? Tambédm se estará a perfilar? Isto é tudo boa gente, excepto o Jardim e o presidente da câmara das Caldas.

  9. manteigas, quando disse ‘aparentemente credíveis’, estava a falar do ponto de vista dele, que com certeza os considera credíveis. O meu ponto é que mesmo que fossem o mais credíveis possível isso não basta, falta acrescentar ideias à hipotética equipa maravilha que diz ter na cabeça. E a tal equipa é a única solução que ele aponta para resolver os problemas do País.

    Quanto aos nomes que aponta, concordo inteiramente, são excelentes. E ainda faltam os génios do CDS, embora o Passos finja que a escolha dos ministros para um futuro governo lhe cabe só a ele. O Portas não tem nome nenhum na cabeça. :)

  10. E que seja realmente possível entregar um resultado que aqueles portugueses que hoje estão desempregados, que estão assustados com o futuro, porque sabem que o País foi conduzido a uma situação de praticamente bancarrota – quer dizer, de não ter dinheiro para honrar os seus compromissos – esses portugueses sabem que há um responsável por essa situação, essa responsabilidade cabe ao Eng. José Sócrates, e ele não tem desculpa na medida em que o PSD já cooperou, e cooperou bastante, para que o Governo pudesse ter alcançado um resultado que fosse satisfatório para todos os portugueses.

    Alguém me consegue explicar o que quer isto dizer? É que por mais que puxe pelo bestunto não entendo o português deste licenciado.

    Entregar um resultado?
    O Eng. José Sócrates é reponsável porque o PSD cooperou (e se não tivesse cooperado já não era?!)?
    Que o PSD já cooperou bastante? Mas quando e como?
    Abstendo-se, obrigando o PS a abdicar de pontos importantes impeditivos para atingir os seus fins?!

  11. Um já sabemos desde há 6 anos e meio que quer a falência do Estado a todo o custo. Por muito que o outro se esforce não consegue destruir nem 1 décimo do que Sócrates destrui nos últimos 6 anos e meio.

  12. oh carvalho! explica lá o que é que o socras destruiu e o que é que o outro, até tens vergonha de dizer o nome, não será capaz de fazer.

  13. Este espectáculo do Carvalho é exactamente o mesmo com que deparo ferquentemente: “Sócrates destruiu, Sócrates mentiu!” Especifica! Apresente um exemplo apenas! Resposta: Não é preciso, tantas são as situações. Mas aponta lá uma, ao menos, uma; faz lá esse favor! Resposta: Mas para quê!!!

    Chiça que se a burrice tivesse asas ….

  14. O Tontinhos Coelho está indignado porque o PS tem alertado para o extermismo das propostas do seu programa eleitoral. Extermismo porque se recusa a esclarecer quais são as medidas concretas que darão substância às propostas ultra liberais que propõe. Diz que é uma campanha do medo. Desonesta.

    Nós sabemos que para a escola dele, honesto é mentir. É chamar telefonema a uma reunião de quatro horas. Comparar o adversário ao Hitler é não só de uma elegância extrema como claramente propicia o debate, E nada de introduzir medos.

    Acusar o adversário de ser responsável por cada um dos desempregados quando o desemprego assola, e muito, a maior parte dos países da Europa não é só muito digno, esclarece sobremaneira os eleitores.

    E se a velhota vem hoje dizer que os economistas são essenciais à governação, e amanhã que a situação é grave, muito grave, isso não é só isenção, é esperança. As deles.

    Sem medo estão os portugueses.

    E parece que quem percebe de sondagens é o Paulo Portas. Já era reconhecido que não era de governação.

  15. CarAqui del-rei!
    [Publicado por Vital Moreira] [Permanent Link]
    No meu artigo de ontem no Público mostrei por que me parece impraticável compensar o rombo nas receitas da segurança social resultante do corte de 4 pontos na TSU proposto pelo PSD com um aumento de impostos do mesmo valor, tal o montante em causa. Mas hoje uma das personalidades que, tal como Catroga, costuma desvendar a agenda menos evidente da direita, Bagão Félix, em entrevista ao Diário Económico, vem fornecer a chave do enigma — a solução estaria em utilizar o próprio fundo de estabilidade da segurança social, ou seja, pura e simplesmente arruinar a segurança social, medainte um rombo de mais de 10% das saus receitas anuais.
    Decididamente, no seu dogmatismo sectário contra a segurança social pública, a nossa direita não tem limites!
    Val, se tem a gravaçâo do debate, confira se ouvi mal ou ouvi noutra “conversa” o Passos Coelho dizer que os 4% a cortar na TSU se auto-financiava. Penso que foi no debate e Sócrates terá feito um gesto como que a dizer “O quê?) mas não lhe perguntou como isso seria. Afinal Bagão Felix sabe muito bem como se vai fazer, diz Vital Moreira.

    Também me faz confusão como ninguém explica em que consiste o co-pagamento na saúde. Os eleitores vão votar sem saber que quem tiver algum dinheirinho vai ter de o gastar todo com operações, tratamentos e internamentos, porque saúde gartuita só para os da pensão minima para baixo que não tenham bens moveis e imoveis em seu nome.
    Se é isto, porque ninguém fala claro? O que é que significa a frase feita “saúde para ricos e saúde para pobres”? No entanto é o maximo de clarificação que tenho ouvido de Sócrates.
    O PSD agradece.

  16. ANIPER, se a burrice tivesses asas… com toda a certeza voavas. Mas deixo aqui as palavras e o link para um camarada teu sobre o engenheiro-cheques-bebé. Pode ser que entendas melhor a linguagem da esquerda :) Nem vale a pena citar o teu outro camarada Manuel Maria Carrilho pois não?

    Henrique Neto, histórico do PS, diz que Sócrates «é um vendedor de automóveis» que «está no topo da pirâmide dos que dão cabo disto».

    Em entrevista ao «Jornal de Negócios», Henrique Neto recorda que da primeira vez que viu Sócrates discursar pensou: «Este gajo não percebe nada disto». «Mas ele falava com aquela propriedade com que ainda hoje fala sobre aquilo que não sabe», adianta e recorda-se de pensar a seguir: «Este gajo é um aldrabão. É um vendedor de automóveis».

    «Sempre achei que o PS entregue a um tipo como Sócrates só podia dar asneira», adiantou. O histórico socialista diz que o primeiro-ministro «tem três qualidades, ou defeitos: autoridade, poder, ignorância. E fala mentira».

    http://www.tvi24.iol.pt/politica/socrates-ps-henrique-neto-primeiro-ministro-tvi24-ultimas-noticias/1205828-4072.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.