Concurso

Depois da Ministra da Educação ter ido ao Parlamento prestar contas do Caso Charrua, onde despachou sem pestanejar a freguesia, e do arquivamento do Caso Sócrates pela Procuradoria, a oposição está num agudo estado de privação. Falta-lhe pretextos, meros contextos, para conseguir botar discurso, para continuar a brincar aos políticos e mandriões. O desespero já não se consegue esconder.

Aqui fica a sugestão: um concurso televisivo para se encontrar a estratégia de oposição mais imbecil. O júri seria constituído pelos actuais dirigentes da oposição com assento parlamentar. Bastaria que avaliassem as propostas com os mesmos critérios com que tomam decisões nas sedes partidárias. Seria o mais justo e objectivo júri alguma vez reunido.

24 thoughts on “Concurso”

  1. …voz de bisonte a tender para o arroto! Mas enfim, não gosto do homem, mas creio que o papel que desempenha tem efeitos políticos benéficos para o sistema, malgré tout, não?

  2. Palermoide: uma questão de mentira diz respeito a toda a sociedade- não é problema de oposição.

    Aprende, calhau com olhos.

  3. Ó queijo bolorento, cheiras mal das ideias.
    __

    Palerma, agradeço-te a informação: as questões que dizem respeito a toda a sociedade não são problemas para a oposição. Enfim, também não é, propriamente, uma grande novidade…

  4. A GL não tem nada a ver com o link e mal cheiras tu da boca, ó urso situacionista.

    Nem sabes ler, meu imbecil. Vem-te o Sócrates à espinha e ficas uma maluca.

  5. És uma besta. Uma besta quadrada que acha que uma mentira de um PM só pode ser cabala da oposição. Para esta besta não existe cidadania. Apenas lutas de poder e ursas a virem-se só de olhar para o cõno.

  6. Valupi não é nenhum “ignorante situacionista”, bem ao contrário!
    É, neste blog, o único espírito de direita (eufemismo!) com consciência de que a direita política é uma clique de falidos. E quem lhe faz a política elitista e conservadora é o Sócrates, a “esquerda moderna” que cumpre as ordens da finança.
    Chamem-lhe parvo!

  7. “cumpre as ordens da finança.”

    Mas quem é que disse que a “finança” dá ordens? Onde é que vocês vão buscar essas ideias?

    Outra coisa detestável são os proverbios populares. Um exemplo? “Quem dá(?) o pão dá a educação.” Desde quando é que o pão tem o que quer que seja a ver com a educação?

  8. A Zita dementou. Acusa o governo de arrebanhar criancinhas para a nova Mocidade Portuguesa. Ó Cunhal, antes p*ta que tal filha!

  9. Enoja, pois. Estes imbecis nem são de esquerda nem de direita- são isso mesmo, uns lambe-botas.

    Uns caralhos de uns conformistas lambe-botas. Metem nojo.

  10. E são os 3, não é só este. São os 3 uns lambe-botas. Por motivos que nem parecem políticos. Hão-se ser mais taras que outra coisa.

  11. Maria de Lurdes? estes pides de segundo grau não acertam nenhuma. Nem zazie, nem Maria de Lurdes.

    Alguém mais próximo do Luis Januário que também já topou a sabujice rasteira que por aqui anda.

    E ensina lá o poeta a detectar IPs que o gajo andou para aí a fingir que nem sabe, quando até foi ele que ajudou a caçar o Luís Rainha

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.