Aplauso de uma só mão para Bolsonaro

Jair Bolsonaro chega ao poder através do voto democrático. Isto tem de ser saudado.

Se, em resultado de tomar o poder democraticamente, Jair Bolsonaro vier a ser o responsável directo ou indirecto por qualquer tipo de violência, injustiça e crime, à mesma a sua eleição continua a merecer ser saudada por ter sido democrática, livre, soberana.

Jair Bolsonaro não tem de ser um democrata nem de se comprometer na defesa da democracia para receber o respeito dos democratas na hora da sua vitória.

Chegará o dia em que Jair Bolsonaro deixará de ser o presidente do Brasil. Parte do que esse país será nesse dia vai nascer do que os democratas fizerem com a sua inalienável liberdade, aconteça o que acontecer neste imprevisível e assustador ciclo que se inicia.

28 thoughts on “Aplauso de uma só mão para Bolsonaro”

  1. poste completamente imbecil. a democracia e os democratas nunca saudariam uma vitória fascista.

  2. Respeito? Respeito tanto o animal como os acéfalos que votaram nele! E basta uma razão muito simples. Todos os actos absolutamente antidemocráticos que acabam de levar a besta até ao Planalto. Outro mito que vale a pena referir hoje é o mito da corrupção. Segundo o qual a grande razão do regresso deste tipo de regimes é a corrupção e o consequente descontentamento. Tretas! Não fosse realmente a corrupção o maior enfoque deste tipo de bestas. Por todo o mundo. Hoje como no passado o regresso deste tipo de regimes tem realmente a ver com o descontentamento e quem melhor o aproveita. Sempre sem qualquer solução além dos habituais sound bites. Mas o descontentamento hoje como no passado resulta é da perda de rendimento. Da miséria! Da porca miséria da sua redistribuição! Do regresso do trabalho à jorna sem qualquer tipo de direitos em pleno sec. XXI. Por exemplo.

  3. Bom post, que obriga a colocar as boas questões. O Bolsonaro é com certeza um triste facho do pior, mas não chegou la por acaso nem atravês de um golpe militar. Foi democraticamente eleito, em grande parte por eleitores que ha um mês e meio estavam dispostos a votar no Lula… O facto de ele ter sido eleito democraticamente conta. E merece respeito, a não ser para quem esteja disposto a deitar fora os principios, caindo precisamente no erro que apontam ao Bolsonaro.

    Ja agora, o Bolsonaro não é nenhum Maquiavel, nem um vulto de particular importância. Deixem-se de merdas, não estamos diante de um monstro inexpugnavel. Ha 30 anos que a criatura arrasta a sua figura ridicula e mediocre pela politica brasileira. Ninguém pode dizer que se trata de uma novidade. A responsabilidade na eleição desse reles demagogo é de todos os partidos democraticos, de esquerda e de direita. Brincaram com o fogo e brincaram com a democracia. Não é possivel aguentar uma situação em que o sistema se contenta, quando não se alimenta, do incumprimento generalizado e sistematico da lei, em larga escala, sem que ninguém se preocupe sériamente com isso porque “todos fazem o mesmo”. As pessoas não são totalmente estupidas e a democracia, a dos principios, a democracia saudada pelo post, que mostra que o Valupi não pedeu totalmente as estribeiras, tem necessariemente de passar por ouvir o que as pessoas dizem e o que as pessoas querem. Não ha outro caminho, e ainda bem que não ha. Pelo menos para quem acredita na democracia.

    A resposta à crise actual também tem de passar por ai. Infelizmente ha grande risco de termos de lutar contra o Bolsonaro em nome da democracia e do respeito das liberdades. Quanto mais cedo começarmos melhor.

    Boas

  4. Viegas, Democraticamente eleito, ponto e vírgula. Só se acharmos que faz parte da rotina tranquila de uma democracia a prática de tramóias mediático-judiciais para isolar e silenciar nas masmorras os candidatos favoritos. Não por caso, o iluminado de Curitiba foi dos primeiros a cumprimentar Bolsonaro (ou seria este a telefonar-lhe agradecendo o serviço?).

    “sem que ninguém se preocupe sériamente com isso porque “todos fazem o mesmo””
    que ironia… https://www.youtube.com/watch?v=S5CS08R2u9U

  5. Caro Lucas Galuxo, atiras duplamente ao lado, como de costume :

    1/ Achas que as condições para uma eleição democratica não estavam reunidas ? Estas no teu direito mas, que eu saiba, nem o Haddad, nem ninguém até hoje, contestou o processo eleitoral. E’ sempre a mesma coisa, quando os resultados não te agradam, dizes que as regras não foram cumpridas, ou que foram instrumentalizadas por um complô maçonico, ou neste caso “iurdaico”. Falta explicares à malta que sistema existe, no teu critério, que não vais criticar no dia em que o teu favorito (no caso, o mesmo que o meu) perder…

    2/ E’ claro que o homem é um poço de contradições e um perfeito demagogo. Eu não digo, nem penso, que as pessoas votaram bem. Digo apenas que, se este palhaço soube mobilizar as pessoas desnorteadas que aspiram a uma mudança radical, se calhar não é por mérito do fulano, mas porque todos os outros partidos, os democraticos, os que, em coerência com os seus principios declarados, tinham a obrigação de oferecer resposta a este anseio legitimo, não souberam compreender o que estava em causa e preferiram refugiar-se, como tu, atras de artificios retoricos, em vez de se atacar às causas da sua debandada anunciada.

    Boas

  6. Onde esta o assalto ? Achas que o Bolsonaro não devia ter sido autorizado a apresentar candidatura ? Ou que as pessoas não deviam ter tido o direito de votar nele ? Saiste-me um grande democrata para quem diz estar preocupado com os principios…

    Boas

  7. És cego? Lula é culpado duma moscambilha de juízes e procuradores ideologicamente corrompidos que se serviram da sua função para condicionar o processo eleitoral? É lógico que Moro vai ser recompensado no STF ou no Minisitério da Justiça. É lógico que investir na procura da verdade se traduz em mobilizar os recursos do aparelho policial judiciário para esmagar os opositores políticos. É lógico que a prioridade do novo Governo, na falta de soluções para o que quer que seja, será entreter a plateia com um espectáculo de exorcismo no pega para capar dos que não estão com ele.

  8. Pois, o Mensalão nunca existiu e a operação Lava Jacto não passa de uma inventona. Não ha corrupção no Brasil e os Brasileiros desmaiam todos os dias de felicidade enquanto usufruem as infra-estruturas acabadas a tempo antes da copa do mundo (que ganharam por 7 a 1 como toda a gente sabe). Esse discurso é directamente responsavel pela situação que temos hoje, mas tens razão, podes voltar a enterrar a cabeça na areia…

    Boas

  9. O Mensalão e a Lavajato demonstram a possibilidade da justiça decidir, e da media fazer campanha, contra o poder político eleito. Vamos ver se mantém essa capacidade.
    Descontando Haddad e Boulos, todos os candidatos basearam sua campanha no antipetismo e no antilulismo. Dizer que Lula e o PT são os culpados da eleição de Bolsonaro é um atestado de estupidez.

  10. Para a maioria dos brasileiros Lula foi o melhor governante que já conheceram. Ninguém combateu as desigualdades sociais no Brasil como o PT. E não foi só à custa de subsídios como também se lê. Aliás os índices económicos estão aí para quem quiser. O que muitos nunca lhe perdoaram. Claro que no contexto de ingovernabilidade que se conhece fez os acordos que teve que fazer para viabilizar muitas políticas. Com a crise veio a austeridade que secou tudo como cá. E também como cá que melhor explicação para a crise internacional que a corrupção nacional endémica? Para os verdadeiros corruptos dá sempre jeito expiar os pecados. Como a besta do Bolsonaro a encher os bolsos com propina há trinta anos mas completamente anti-sistema.

  11. Pois, mais do mesmo. A culpa é da democracia, da televisão, da imprensa, dos sacanas que andam escondidos e que a sabem toda. E da crise internacional. Nunca esquecer a crise internacional. Vamos supor que as eleições tinham decorrido no paraiso celestial, Lula não teria sido eleito ? E Haddad com ele ? Então não ? Claro que tinham sido eleitos, por aclamação de 110 % do povo satisfeito !

    No pasa nada. Podem voltar a dormir.

    Boas

  12. Ah, se ele se tem lembrado de abolir o poder judicial antes. Foi mesmo por um triz ! Mas também, quando o mafarrico não quer, não ha nada que se possa fazer…

    Boas

  13. “chega ao poder através do voto democrático” depois de , convenientemente, terem afastado a Presidente eleita e o forte candidato do PT.

  14. Será que a democracia pode justificar tudo? Desculpar tudo? Será democrático saudar uma vitória fascista, mesmo que tenha sido, pretensamente, obtida democraticamente? E foi? De que raio de democracia estamos então a falar? Ora, daquela que abriu o caminho a Hitler para ele ter feito aquilo que fez. Lembram-se ou já esqueceram?

  15. Manojas,

    O Valupi não esta a saudar uma vitoria fascista, mas uma vitoria democratica, que é sempre uma vitoria da democracia. Acontece que, neste caso, é também a vitoria de um fascista, o que lhe da a aparência de um suicidio democratico. Mas não é. Não tem necessariamente de ser. Por isso mesmo é que importa manter a cabeça fria e saber o que devemos saudar e o que devemos repudiar.

    Pode acontecer que o fascista do Bolsonaro esteja cheio de vontade de saltar para o abismo e de levar o povo brasileiro com ele. Mas ele nunca vai conseguir fazê-lo sozinho. Por conseguinte, ser responsavel, numa altura destas, é fazer tudo para que o povo compreenda que é melhor ficar em terra firme, em casa, em democracia. Isso passa por procurar compreender onde e porque é que ele se extraviou, o que implica ouvi-lo. A democracia também é isso : quando o povo fala, convém ouvir o que ele diz.

    Boas

  16. É isso é, saber, em democracia, o que devemos saudar e o que devemos repudiar, não nos deixando enredar em grandes e vistosas lucubrações

  17. o viegas sauda o fascista porque o processo foi democrático.
    quando lhe apontam as falhas democráticas do processo, o viegas desvia, chura pra canto e faz de conta.
    o viegas saúda o fascista.

  18. “Muitos homens, assim como as crianças, querem uma coisa, mas não as suas consequências”. Ortega y Gasset. Prevejo que, e nem me digno ler os astros, no espaço de um ano, mais de 50% dos que hoje festejam Bolsonaro já o conheçam, quanto mais ter votado nele…a democracia precisa de ser reinventada…

  19. A BESTA POLITICAMENTE CORRECTA NÃO SUPORTA A EXISTÊNCIA DE OUTROS
    .
    Trump, Bolsonaro:
    – mesmo discordando de muitas das suas afirmações, existe o reconhecimento de um facto: eles representarão o ponto de inflexão aonde o expansionismo do politicamente correcto foi travado.
    .
    A besta politicamente correcta já possui um discurso mais mansinho,… no entanto…as afirmações, as atitudes, os boicotes, da besta politicamente correcta do início do século XXI… serão um case-study para o futuro.
    .
    Quando (já há mais de 10 anos), em fóruns de discussão na internet, comecei a falar em separatismo-50-50, A BESTA DO POLITICAMENTE CORRECTO correcto expulsava-me dos fóruns… acusando-me de ser racista-nazi!?!?!
    Ora, a besta do politicamente correcto, ela, sim, é que é racista-nazi:
    – ela é que não suporta a existência de outros (aos quais procura aplicar uma sabotagem demográfica) e anda por aí à procura de pretextos para negar o Direito à Sobrevivência de outros…
    .
    –»» Os separatistas-50-50 apenas reivindicam o legítimo Direito à Sobrevivência de outros, nomeadamente, o legítimo Direito à Sobrevivência das Identidades Autóctones.

  20. Pinto, pvnam, Bolsonaro não tem nada que ver com Trump.
    Mal ou bem, Trump tem competências de gestão, alguma articulação de discurso, alguma consistencia ideológica. Nunca falou, e insistiu, em fuzilar os adversários.
    Bolsonaro é um filhote das diatribes de Moro. Tem um percurso de dixotes desgarrados e agitação de café. É submisso aos militares, às poderosas seitas evangélicas, às franjas do catolicismo integrista e presa fácil do empresariado ardiloso que se prepara para comissionar o desmantelamento do Estado. Sem qualquer solução estudada, tal como aconteceu em Portugal, vai tentar entreter o eleitorado com a expiação dos males do Brasil, oferecendo aos deuses a imolação pelo fogo dos seus inimigos, em praça pública.
    Se votasse nos EUA, preferia votar no não intervensionismo que Trump levou a votos do que na receita de Hillary para a anarquia do Médio Oriente e Norte de África que ameaça a Europa.
    Bolsonaro pertence a outro escalão.

  21. Lucas,
    1. Nem Trump nem Bolsonaro têm de ter capacidades de gestão Um político não é um gestor, não é um técnico. É um político.
    2. Esse discurso mais moderado de Trump está a vir agora, ao fim de dois anos. Mas leia as notícias logo a seguir à sua eleição. Era o fim do mundo.
    3. Daqui a dois anos também vai achar que Bolsonaro não é bem aquele diabo. Porque nem Trump nem Bolsonaro têm nada de fascistas. Nada do que defendem se assemelha às ideologias nacional-socialista e fascista. Nada. As ideias deles são o oposto dessas ideologias. Deixem as dicotomias esquerda direita. Leiam e analisem as matrizes ideológicas

  22. Pois é Galuxo não te sentes bem com a comparação porque apoiaste um protofascista como Trump, ma consciência. E sim, um tem tudo a ver um com o outro, sem a vitoria de Trump não haveria Bolsonaro.

    Trump não diz que fuzila? Pois mas fazem-no por ele, o insuportável clima de odio que agora também se começa a viver no Brasil é fruto de uma mente doentia e criminosa. “Lock her up”
    Submissão aos militares, e Trump não? A saída do acordo nuclear com a Russia é o quê? Um tratado de paz?
    Trocaste todo.

  23. Pinto, mesmo que Bolsonaro venha a fazer o contrário daquilo que levou a votos, o que conta, neste momento, é a sua proposta. Anunciar a uma multidão que vai enviar os seus inimigos para a Ponta da Praia, o equivalente ao Forte de Caxias, no período ditadura, é absolutamente inadmissível para qualquer democrata. Da mesma maneira que os eleitores de Trump não têm culpa que ele faça o contrário do programa que levou a eleições, Strummer. Estou convencido que será cobrado por isso.

  24. O erro é precisamente esse, alguns vivem na ilusão de que o adversário joga o mesmo jogo,ie, dizer as mentiras do costums e depois com a institucionalizaçao do poder tudo vai voltar ao mesmo e todos beneficiam de uma fatia do bolo. Se não acontecer, isto daqui a uns anos da uma volta e voltam os happy days.
    Sera ? E melhor que tenhas razao pois convém não esquecer que a ultima onda de regimes totalitários do inicio até meados do seculo passado custou a vida de milhões de jovens que combateram na II GG. Isto nao vai la com o grau de cinismo, ironia e apetência para a valentia unicamente palavrosa que existe, e já não se podera contar muito com o poder da inocencia, da auto-ilusao e muito menos a intima noçao de fazer o que tem de ser feito, o que está certo, de outrora.A cedencia ganhou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.