Vinte Linhas 356

Cristiano Ronaldo poderia ter morrido em 17-10-1999

O anúncio televisivo com Cristiano Ronaldo a dizer que daqui a três anos terá o dinheiro no BES arrepiou-me e trouxe-me à memória o dia 17 de Outubro de 1999. Era uma manhã gelada no pelado de Pina Manique, o jogo Casa Pia-SCP, 5ª jornada do Nacional de Iniciados. Chuva e frio ao mesmo tempo e em doses fortes. Aos 24 minutos, sem nada que o fizesse prever, o árbitro António Cardoso interrompe o jogo e chama de imediato o enfermeiro Fontinha. O jogador nº 10 do SCP estava mal. Muito mal. O pulso estava a correr como um cavalo à solta, a taquicardia foi sustida com uma injecção mas só a operação pôde mais tarde debelar o problema que era grave e congénito – o músculo do coração funcionava em duplicado. Tudo correu bem em Santa Cruz e o menino que veio da Madeira com 11 anos pôde prosseguir a carreira até aos píncaros da fama mundial. Eram seus colegas de equipa o Carlos Saleiro (que brilhou na Académica este ano) e o João Pimenta que me lembro de ver jogar no Covilhã além do Christopher que jogou no Torriense. O Carlos Marques chegou à equipa «B» do Sporting. A minha crónica no jornal «Sporting» de 19-10-1999 ficou com o título de «Triunfo no lamaçal» e referia duas contrariedades: a febre do guarda-redes Christopher e a taquicardia do Cristiano Ronaldo além da maior e mais geral – jogar num lamaçal quando o relvado estava às moscas. O treinador era Rui Palhares e o delegado era António Atanásio. O fotógrafo foi Vinicius Carriço mas só saiu uma fotografia porque era preciso espaço para as fichas dos jogos de Escolas e Infantis onde já brilhava um tal Daniel Carriço, esse mesmo. Ninguém é senhor do seu destino e por isso me arrepio quando vejo o anúncio. E sei porquê.

10 thoughts on “Vinte Linhas 356”

  1. É pá essa não vem nada a propósito. Ainda se falasses na Taça em réplica que os outros da Catalunha devem fazer para oferecer ao árbitro que os levou ao colo até à final. Mas assim não. Essa bateu na trave, pá.

  2. No anúncio o que importaria para aqui seria não a resposta, mas a pergunta: “Onde vai estar Cristiano Ronaldo daqui a três anos?”. Mas tu é que tens a mania que sabes contar histórias…

    Safa!

  3. Tu é que tens a mania que tens graça mas uma coisa não podes fazer – dizer que eu não sei, não vi nem estive lá. Percebes ou queres que te faça um boneco?

  4. JCF,

    Contaste uma história bonita, e contaste-a bem. Percebeu-se nas entrelinhas um “só eu é que posso contar isto, ah ah!”, mas perdoa-se, como sempre se perdoa a quem nos satisfaz, por instantes que seja.

    Só que, depois… na resposta ao Nik, estragas tudo. Exactamente: tudo quanto tinhas (e bem) construído. Ou numa versão simpática: voltaste ao teu normal.

  5. Eu também apreciei a história, Venâncio, por isso me dei ao trabalho, como terás reparado, de fazer uma crítica construtiva. Quem conheça o anúncio, percebe, talvez, de que está JCF a falar, outro leitor não entenderá o que faz aqui o BES. Mas não se pode dizer nada a este flausino susceptível e convencidão.

  6. É verdade, Nik. O JCF é fundamentalmente um desconfiado. O que ele, suponho, achará mais ou menos heróico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.