Fado Erasmus

Num certo bar da Rua do Teixeira
Estudantes europeus embriagados
Fazem luxo da sua bebedeira
Vandalizam carros estacionados

Escrevem o seu nome na parede
Telemóvel e o país de origem
Não há limites para a sua sede
Nem para o barulho em vertigem

Do sacrifício dos pais pelos filhos
Nada resta quando a noite termina
A não ser as marcas nos tejadilhos
No desenho dum corpo de menina

Em nome do processo de Bolonha
Surgem as intenções verdadeiras
A falta de respeito e de vergonha
É a base do curso e das cadeiras

One thought on “Fado Erasmus”

  1. Boa rima. Belo “fresco” duma despudorada falta de valores. Se não há causas concretas, a juventude não se “mede”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.