Mais e mais desemprego: salvam-nos as boas (auto) avaliações da Troika

Segundo o Eurostat, em junho, a taxa de desemprego em Portugal subiu para 15,4%, mais 2,8 pontos percentuais (p.p.) face a junho do ano passado e mais 0,2 p.p. face ao mês anterior. A população desempregada foi estimada em 830 mil, representando mais 140 mil desempregados (+20,3%) que no mês homólogo do ano passado e mais 8.000 que no mês anterior (+1,0%). Em média, em relação ao ano passado, são mais cerca de 390 desempregados por dia, 16 por hora.
Portugal passa a apresentar a 3ª taxa de desemprego mais elevada da UE27
(já que nos meses anteriores vinha a registar a 4ª maior e no ano passado a 8ª com 12,6%). Portugal apresenta o 4º maior crescimento homólogo e o 3º mensal. Enquanto na UE27 ou na zona euro, o desemprego estabiliza (face a maio) em Portugal continua a crescer. A taxa de desemprego em Portugal, cresceu mais do triplo que na União Europeia e mais do dobro que na zona euro (em termos homólogos).
Na União Europeia, a taxa de desemprego foi de 10,4%, crescendo em relação ao ano passado (0,9 p.p.) e estabilizando face ao mês anterior. Na Zona Euro, a taxa de desemprego foi de 11,2%, crescendo em relação ao mês homólogo (1,2 p.p.) e estabilizando igualmente face ao mês precedente. O Eurostat estima 25,1 milhões de desempregados em toda a União Europeia dos quais 17,8 milhões na zona euro. No espaço de um ano, o nº de desempregados na União Europa cresceu 9,4%: são mais 2,2 milhões de desempregados. Só na zona euro há mais 2,0 milhões de desempregados (+12,8%). Os países da zona euro são responsáveis por 71% do total do desemprego da UE.

Espanha continua a apresentar a taxa de desemprego mais alta da UE (24,8%) e, pelo contrário, a Áustria regista a taxa de desemprego mais baixa, com 4,5%.
A taxa de desemprego juvenil, em Portugal, é 36,4%, (+ 7,1 p.p. de crescimento homólogo e 0,0 p.p. de crescimento mensal) o equivalente a 157 mil jovens desempregados. Portugal ocupa a 4ª taxa de desemprego juvenil mais elevada da UE (a seguir à Grécia, Espanha e Eslováquia) e o 2º maior crescimento, face ao ano passado. São mais 28 mil jovens desempregados que no ano passado (+22%, ou mais 77 por dia). A taxa de desemprego juvenil em Portugal cresceu cinco vezes mais que na União europeia e mais do triplo que na Zona euro (em relação ao ano passado).
Na UE27, a taxa de desemprego juvenil fixou-se em 22,6% (+1,4 p.p. de crescimento homólogo e -0,1 p.p. de crescimento mensal) e na Zona Euro em 22,4% (+1,9 p.p. de crescimento homólogo e -0,1 p.p. de crescimento mensal). Na UE27 há 5,5 milhões de jovens desempregados dos quais 3,6 milhões estão na zona euro.
A maior taxa de desemprego juvenil regista-se na Grécia, com 52,8% (dados referentes a abril). Pelo contrário, a Alemanha apresenta a taxa de desemprego juvenil mais baixa da Europa (7,9%).
E sabemos todos que a taxa real de desemprego é maior do que estes números representam.

3 thoughts on “Mais e mais desemprego: salvam-nos as boas (auto) avaliações da Troika”

  1. Por deveres de ofício passei os olhos por uma história recente na parte que respeita ao Estado Novo. Imaginem qual foi a solução salazarenta para a crise dos anos 30 – “reduzir os custos do trabalho, baixando os salários, retirando regalias, mantendo ou aumentando as jornadas de trabalho”, por iniciativa patronal com o estímulo das autoridades da Ditadura que entretanto se dedicava a desarticular o movimento operário num útil e poderoso impulso para desequilibrar as relações de trabalho. Quem diria que, talvez por falta de imaginação dos economistas de serviço, regressámos àquela época. Conformados ?

  2. obrigado silveira pela sua viagem ao passado.a receita foi caseira.para fazerem esta porcaria não era necessario virem de tão longe, gaspar, alvaro e o borges (quanto ganha?)a universidade de verão do psd serve para isto : unificar o pensamento em torno das politicas do antigo regime, mas com “pauladas” mais subtis.uma pergunta? acham que já não há fascistas em portugal? então para onde foram? triste é constatar, que é em nome do socialismo pelos vistos à portuguesa,dado que o outro está no museu das desgraças… que estes senhores tomam o poder com a prestimosa assessoria ( não remunerada) do bloco e dos social fascistas do Pc.vejam o passado recente dos derrubes do governo, e depois digam-nos alguma coisa.lamento ver gente tão bem intencionada,ainda estar no barco dos amanhãs que cantam…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.