Gente que representa o futuro

Bagão Félix, Gentil Martins e João César das Neves surgem entre os primeiros signatários de uma petição que apela à revisão de diversas leis que consideram “corroer o tecido social do país”.  Chama-se “defender o futuro” e estes nomes virados para o futuro querem acabar, claro, com o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Entretanto, imagine-se:
 
E mais virão. “Contra o futuro”, claro, o dessa gente inofensiva.

12 thoughts on “Gente que representa o futuro”

  1. Estes signatários pertencem a “um” tecido de agentes sociais obedientes dos valores» normas »comportamentos que, para a humildade e crítica do “Populus”, pouco ou nada valem. A questão do tecido social parece dirigida ao ” Terceiro Estado” que não tem capacidade psicológica para avaliar ou participar sequer na gestão do Estado. Melhores Tempos virão.

  2. Os signatários do tal documento de “valores que aumentam a coesão da sociedade…” têm todo o direito a fazê-lo e a propor medidas de politica, como qualquer outro movimento da sociedade civil que, felizmente, começa a mexer-se mais no nosso país.
    Qto à aprovação do casamento gay na França, custou-me q, com tantos problemas importantes pra resolver, o Parlamento tivesse gasto tantos dias a parir essa decisão – a qual tem sido tomada por esse mundo fora sempre que um partido socialista chega ao poder, como cá tb sucedeu. A crise financeira veio por mostrar à saciedade que se devem repensar as instituições, os valores, a cultura conducente ao facilitismo ao igualitarismo face a realidades diferentes, à tolerância sem limites…..

    Repensemos então – há vários caminhos e devem ser discutidos com respeito

  3. Ó Ana, por cá, e com imenso tempo para se discutir “os problemas que realmente interessam”, não se sai da cepa torta. E essa conversa de se repensar os valores já vem do tempo do Sermão aos peixes.

  4. Há cinquenta anos, a petição destes senhores ilustres e com visão de futuro, seria para a eliminação da mini-saia ou pela manutenção do véu a tapar a cabeça das senhoras dentro dos templos sagrados ou contra o infanticida preservativo. Claro que têm direito às suas petições; e eu tenho o direito a relevar-lhes a falha de previsão…

  5. Estes lobys gay ainda vão fazer frente e até se vão infiltrar na Opus Dei, Maçonaria, e sabe-se lá, se até já tinham corroído aquela PIDE quando esta se tornou DGS.

    Também já afirmam que embora não se manifestem os deputados da Assembleia Nacional à direita já estão contaminados.

    Quem pode p(h)ode!

  6. Estes lobys gay ainda vão fazer frente e até se vão infiltrar na Opus Dei, Maçonaria, e sabe-se lá, se até já tinham corroído aquela PIDE quando esta se tornou DGS.

    Também já afirmam que embora não se manifestem os deputados da Assembleia Nacional à direita já estão contaminados.

    Quem pode p(h)ode!

  7. Estes lobys gay ainda vão fazer frente e até se vão infiltrar na Opus Dei, Maçonaria, e sabe-se lá, se até já tinham corroído aquela PIDE quando esta se tornou DGS.

    Também já afirmam que embora não se manifestem os deputados da Assembleia Nacional à direita já estão contaminados.

    Quem pode p(h)ode!

  8. conclusão imensamente pertinente: viver amancebado só convence mesmo os toinos que teimam em insistir que é exactamente igual ao casar para viverem amancebados à facilidade que é pensar no acabar. o tanas, está mais que visto, que é. afinal casar é mesmo ser livre.

  9. Um dos problemas curiosos que me ocorrem é o do pedido de divórcio por não consumação do matrimónio. Como é que se definem actualmente essas coisas? Estará o cônjuge homosexual a ser discriminado se não lhe é reconhecida essa possibilidade? E se for, como é que se define a consumação? Sem recorrer aos lugares-comuns do ex-secretário F. J. Viegas a propósito dos inspectores de facturas, bem entendido…

  10. oh 1/2 relles! essas merdas aprendem-se nos cursos pré-nupciais que a igreja vende em fascículos e a parte legal pode ser acautelada com uma convenção ou pacto antenupcial. távas danadinho para uma brejeirada tipo bécula.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.