Blogues que marcam (2)

Em Novembro publiquei uma reflexão motivada por post do Luis. Tive a sorte de receber vários comentários interessantes, mas um deles foi especial. Assinado pelo sharkinho, figura conhecida no circuito, resumia o essencial desta cultura dos blogues: alguém dá um espectáculo à borla, alguém o aprecia por acaso. É de graça, no seu duplo sentido. Este espírito de jogral, pantomineiro, farsista, é o que reconheço em mim, aqui onde tudo pode ser ilusão e delírio, e é o espírito que cultivo nas interacções.

O Fernando fez questão de assinalar o 1º milhão de page views. Foi uma excelente lembrança pela oportunidade de fazer uma homenagem já atrasada. Cumpre destacar duas pessoas nesta ocasião: o Luis Rainha, que fundou este projecto e o viveu a seu modo, apaixonadamente; e o Fernando, não menos apaixonado, supremamente generoso, que nos honra com o seu saber e o amor a Portugal e à Galiza, irmã que guarda parte da nossa herança comum. Foi por causa do Fernando Venâncio, num certo e secreto sentido, que o Aspirina B ainda não se dissolveu nas banais neuroses centrífugas.

Por enquanto, não há resfriado que resista a esta sopa de letras.

5 thoughts on “Blogues que marcam (2)”

  1. E podes ter como certo que agora que o reli (ainda grátis, fezada) tenho a certeza que repetia o que disse na altura.
    Fico feliz por saber que não caiu em saco roto, pois a prosa está mesmo bem esgalhada e quem oferece material deste aos transeuntes virtuais merece sentir o reconhecimento de quem o aprecia.
    Obrigado outra vez, reduzindo a ideia à sua mínima expressão.

  2. Reli – sabendo que relia – o texto de Novembro. E dizia-me, meu sacana, desgraçado se não escreveste nada aqui sobre ele. É isso: lembrava-me bem do texto do Valupi, nada de um meu. Mas ele está lá. ‘De Valupi em Valupi se vai vivendo’, dizia eu. Cega-me a minha lucidez.

    [Convém – convirá? – dizer que o Valupi e eu pouco contactamos. Vivemos em países diferentes e é raro encontrarmo-nos. Mas ambos aspirinamos. É uma boa e saudável forma de encontro].

  3. É a qualidade e a diversidade da reflexão que me faz cá voltar e não só… por ser à borla também!
    Do muito com que nos brindaram fica aqui esta frase que é propícia para a ocasião:
    “As coisas ou são frescas para poderem enganar ou espirituais para poderem perdurar…” TT numa das suas Aldeias (com bicicleta, marmita e uma excelente dose de humor negro)

  4. Há que lembrar o Fernando na sua mais simples e humilde reflexão: “Somos um pouco ‘redaccionais’, também. E sexy, já agora.”

  5. Shark,

    Corri o risco de estar aqui em mais uma carambola narcísica, mas a verdade é a de que o teu comentário poderia ter sido dirigido a qualquer outro autor que eu continuaria a querer usá-lo como exemplo. O que me interessou, no contexto do post, foi a frescura do teu entusiasmo, logo o teu que é sabido ser especialmente genuíno. Por isso, tenho andado à procura de lhe fazer referência, pois ilustrava perfeitamente a ideia que expus. Obrigado eu pelo teu gesto.
    __

    Fernando

    De Aspirina em Aspirina se vai vivendo, isso sim, e passe a imagem farmacêutica. E o mérito é mais teu do que meu, como é óbvio.
    __

    sininho

    A tua presença honra-nos. E alegra-nos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.