Re-Intermitência

 

 

 

 

 

 

 


 

“Posso roubar o seu par”, pergunto, em plena pista de dança, ao homem de aspecto jovem que dança com uma beldade espampanante. “Claro que pode”, diz-me ele, liberal e com um ar descontraído nos gestos. “Obrigado”, respondo. E começo, perante o olhar estranhamente surpreendido dele, a arrancar o fio de ouro e os brincos de diamante da mulher.

16 thoughts on “Re-Intermitência”

  1. isso dá outra “posta”, tens de explicar se o “liberal” manteve o ar descontraído ou se tiveste de saltar pela janela, antes de ser dado o “alarme”…

  2. Estou tão contente, mas tão contente: percebi à primeira!!!! E mais, até me lembrei que o “posso roubar o seu par?” até podia ser aplicado só para os brincos: brincos – par, par de brincos, get it?

  3. ficou só a olhar, luis eme, ora vê. :-)

    estaladas não se diz que se dão – dão-se, claudinha. está (se está não estalou) dada? :-)

    percebes e regas, blondinha? (é que bem precisas, agora, de uma mangueirada.):-)

    ó CC, para a próxima escolhe um casal que não dance hip-hop. tá?:-)

  4. Fala-me dessa teoria, sinhã.

    Queres esgalhar essa posta, Luís? Prometo prometidinho que a publico.

    Pára lá com isso – que me excitas -, Cláudia.

    Blonde, olha que isso pode ser algo de grave. Tens a certeza de que estás bem?

  5. aí vai:

    O homem de aspecto jovem abriu a boca de espanto, enquanto perdia a descontração e o ar liberal. Como era demasiado cobarde para enfrentar o ladrão de jóias, pensou em gritar. Foi então que a companheira lhe colocou a mão na boca e disse: «não te preocupes, o ouro é meu.», sem sequer fingir que estava a adorar aquelas mãos suaves que lhe tateavam o pescoço e as primeiras curvas do peito firme, acompanhadas de palavras proibidas ditas quase em segredo, junto às suas orelhas bonitas. Coisas que não de dizem a mulheres comprometidas…

    Antes de o deixar partir, beijo-lhe o rosto e entregou-lhe um pequeno papel com o número de telemóvel que trazia sempre escondido na pulseira, para qualquer boa surpresa que lhe surgisse. Quase em simultâneo, o homem jovem, agora completamente contraído, num gesto irreflectido, esfregou a testa, ao perceber que o ladrão de jóias naquele interminável minuto levara mais que o fio, a pulseira ou os brincos de ouro e diamantes.

  6. Luís (elsa),

    parabéns: gostei bastante da continuação. Amanhã – com toda a honra da minha parte – cá estará postado. Palavra de escoteiro.

    Abraço. E mais uma vez parabéns.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.