8 thoughts on “DESENHO* 14”

  1. mas que f d p …
    A manif do dia 8 tem que ser um exito a sério… Ninguem pode ficar indiferente!
    Pensavam que esses canalhas brincavam? eles estão a f o d e r-nos a sério esses xuxialistas de m e r d a!

  2. Parece que esta semana foi a Inês Serra Lopes directora do Independente que não se soube governar!!O Independente não saiu. Ninguém escreve sobre isso?

  3. Como neste puck blog nunca aparece nada de jeito..aqui vai um texto que apareceu no semiramis e que eu comento…

    Eclecticando :
    (Da «minha rica casinha»)

    “Para mim a crise, sob a qual nós vergamos, tem de ser encarada sob três aspectos.

    O primeiro é o desequilíbrio orçamental; o segundo é a circulação fiduciária; e o terceiro é o desequilíbrio capitalista ou económico, como se quiser chamar, quero dizer, a diferença entre o ingresso e as saídas, quer de mercadorias, quer de capitais.

    Ora, invertendo a ordem por que enumerei estes três elementos, começarei pelo último.

    Não cansarei a câmara reproduzindo algarismos que todos conhecem, e fazendo considerações que hoje, felizmente, estão no espírito de todos e que é deplorável que o não estivessem há muito tempo; porque o facto é que, desde longos anos, nós vivemos uma vida completamente artificial, abandonando as fontes da riqueza natural do pais.

    Nós chegámos a este estado, verdadeiramente anormal, de consumir exclusivamente produtos estrangeiros e de trabalhar exclusivamente com capitais estrangeiros; de nos dessangrarmos anualmente com o serviço desses capitais e com o preço desses produtos!

    Assim vivíamos efectivamente e assim vivemos durante largos anos, se o espaço de meio século, pouco mais ou menos, se pode chamar largos anos; mas vivemos como?

    Vivemos exagerando a soma da dívida pública até às proporções verdadeiramente esmagadoras em que hoje se encontra.
    (…)
    O equilíbrio orçamental não se obterá senão à custa de um sacrifício feroz, permita-se-me a expressão, que tem ele abranger todos os funcionários, credores do estado, proprietários e industriais.

    Só assim é que o movimento pode ser nacional e o sacrifício corresponder ás exigências da situação e do país.

    Este sacrifício tem de abranger empregados civis e militares, há-de abranger todos, absolutamente todos em igualdade de condições. O governo não veio aqui para estabelecer guerra de classes, veio, em nome da salvação pública, para pedir a todas as classes do país um concurso de esforços enérgicos para ver se conseguimos salvar a nossa terra da situação deplorável a que a levaram.”
    #
    Discurso de Oliveira Martins em 20 de Janeiro de 1892.
    (Ministro das Finanças no governo presidido por Dias Ferreira, apresentou o programa financeiro do novo governo).
    #
    Portugal é um país patético, digo eu.

    Publicado por: asdrubal às junho 2, 2006 06:25 PM

    Ei ..ó Asdrubal…sim senhor…é de lascar…o problema é crónico …

    Na minha óptica falta um espirito empreendedor e falta que esse espirito seja louvado, aclamado … fortíssimamente incentivado..

    Há uns dias atrás estava a ver um site onde tinha talvez umas 20 actividades económicas e onde eram eleitas a nível mundial as 5 melhores empresas de cada sector ..

    Escusado será dizer que os Estados Unidos nunca têm menos de três empresas nesse ranking e quase sempre em primeiro , excepto nos automóveis ..onde aparece a toyota e nos quimicos onde aparece a basf.

    Em práticamente todos os sectores ..a dominação americana é esmagadora .. a Europa aparece com uns 5 paises umas 6 ou 7 vezes..a India ..a China e o Brasil aparecem respectivamente 1 vez…
    O brasil na aeronautica e defesa com a Embraer..a china com uma empresa de petroleos e a india não me lembro…

    O que é interessante reter..é que os países vivem dos empresários ..que têm ideias …e se esforçam para as pôr a andar …
    Onde essas pessoas são admiradas , louvadas e poupadas em impostos..os resultados aparecem…

    Nos outros lugares ..onde são olhadas de soslaio e considerados exploradores da “classe operária” nada se desenvolve excepto as ervas daninhas ..como as silvas que pegam de pé e ponta…

    A europa em particular (a nova união soviética)..está fodida… ..com políticas chupistas de impostos para sustentar quem não quer fazer porra nenhuma ..só mamar … … não vai a lado nenhum… cada vez vai ficar mais para trás..
    E quem tem vontade de empreender ..não fica aí…
    Lógicamente ..os resultados não surgem…

    Como dizia o Oliveira Martins …( será que é parente daquele amiguinho do guteres ?) está tudo fodido…
    O grande engano do Oliveira Martins está em que o que havia a fazer eram sacrificios ..que tb toda a vida ouvi falar…mas antes em fazer um grande altar ( podia até ser um santuário ..bem ao lado do da senhora de fátima ) aos PATRÕES.Aos empreendores …aqueles e unicos que realmente criam riqueza ..( só havendo riqueza é que ela pode ser distribuida) e a unica maneira possível de distribuir riqueza é pela criação de empregos.
    Pela competição pelos empregados( que subirá a cotação).
    Todos poderiam ser patrões …a unica coisa que precisariam era ter ideias..e capacidade de trabalho…
    Em Portugal falta o sonho e a aclamação e protecção feroz de quem sonha …em duas palavras ..o AMERICAN DREAM…

  4. Ó Afonso Henriques, esse espírito empreendedor leva décadas de cultura, leva gerações a criar. Nos patrões e nos trabalhadores.
    Por cá mataram-no há séculos, lembra-se disso?
    E esses empresários de quem fala gostam mas é do condicionamento industrial.
    Ou está a chamar empresários aos tipos dos ferraris do norte? Ou aos donos de muitas empresas com mais de 500 trabalhadores que não têm ao serviço um único licenciado?
    Os patrões da CAP, por exemplo, que andam por aí há 20 anos a salvar a agricultura nacional, dizem-lhe alguma coisa?
    Sabe quem são os dez agricultores ou empresas agrícolas que, em 2003, receberam mais de 500 mil euros de subsídios? Sabe que nesse ano 70% dos 500 milhões de euros de ajudas directas foram entregues a 7% dos tais ‘lavradores’? Sabe que nesse ano 78% dos agricultores portugueses não receberam mais de 1250 euros de ajudas?
    Há um empresário português a quem presto homenagem. Chama-se Manuel Rui Azinhais Nabeiro. Começou a vida a contrabandear café, e hoje dá de comer a um concelho inteiro e bate o pé aos cafés italianos. Quanto ao resto, não se faça amigo deles que acaba na ruína!

  5. empresários? que empresários? este país nunca teve nem tem empresários de geito, teve e tem é muitos comerciantes.negociatas.negociatas e negociatas.há! e fuga aos impostos.essa gente não paga, não quer pagar, nunca pagou impostos.querem é assim uns negócioszinhos manhosos e estão-se a borrifar para o país. não têm sentido nenhum de pátria, de estado ou do que quer que seja.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.