14 comentários a “Infelizmente, o ridículo e a empáfia não pagam imposto”

  1. Valupi, compreendo que não estejas habituado a vitórias há longo tempo mas há que ser magnânimo com os derrotados e… súbtil. Assim (com dedicatória), por exemplo.

    […]

    Mas o momento mais alto da reunião desta segunda-feira aconteceu quando o presidente derrotado da Câmara de Felgueiras, Inácio Ribeiro, disse que Passos passou por Felgueiras no último dia da campanha para lhe “abrir a cova”. O social-democrata perdeu para a presidência da câmara para os socialistas falhando a terceira eleição.

    Na altura, houve quem acrescentasse que “por onde Passos esteve em campanha os resultados correram mal”, como aconteceu, por exemplo no Porto, onde o PSD ficou em terceiro lugar (com 10,39%) ou em Paredes, cuja câmara os sociais-democratas perderam por uma diferença grande (30,98%) a favor do PS (50,35%).

    No P. online, hoje.

  2. jmt é matéria de glosa constante, há muito que chateiam as escolhas do dr. valerico quanto em quem malhar. aliás, neste blog, basicamente, malha-se, e eu sou dos que mais malha.
    quanto à penélope, não faz a malha mas faz o croché e o bordado, ou seja, censura os meus comentários neste blog, achando-se imensamente iluminada pela sua apurada mesquinhez feminina.

  3. valupi podias identificar o palhaço que escreve essas palermices, para não corrermos o risco de lhe aumentar os clicks.

    Just saying…

  4. olha quem é ele, o ferrolhāo arrombado pelas traseiras e às ocultas, e que ainda não se consegue orientar no labirinto de espelhos em que se move e raciocina o dr. valérico.

  5. jpferra, ler-te é sempre um momento divertido de entrar em contacto com o mundo infantil
    (malcriado e, normalmente, a meteres o cu em pau de homem)

  6. Se se procura a essencialidade da vida no plano das bactérias, não é possível, com a categoria correspondente a tal ordem de organização, compreender as formas de vida superiores que igualmente e eficientemente coexistem…..

  7. já existe, mas escreve-se ericagargarejar e expressa-se nos broches que a érica vai fazendo à agremiação sindical do ministério público.

  8. […]

    Entretanto, Isaltino de Morais ganhou as eleições, e José Sócrates, outra vez comentador televisivo, saudou-o efusivamente. O que diz isto sobre nós?

    Valupi, olha lá: (não) por acaso sabes onde está o vídeo disto?
    (porque imagino que, quando o Rui Ramos no Observador usou aquele nós, se referia a alguém que não a mim… respondes-lhe tu?)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *