O que nos Vale é o Azevedo

 

Vale e Azevedo disse à Lusa que em 2004 esteve à beira do suicídio em Portugal, quando ficou “14 segundos em liberdade”. Apesar das ideias suicidas, não largava o cronómetro… E como é que um tipo se mata em 14 segundos?

Mas o que é mais de reter das declarações do ex-presidente do Benfica, que vive há 5 anos “exilado” num condomínio de luxo em Knightsbridge, Londres, é aquela frase segundo a qual não esquece. Não esquece quem lhas fez. Referia-se ao juiz Ricardo Cardoso (o do laço vermelho, lembram-se?) que o teria lixado – desculpem-me o plebeísmo coelhino. E querem saber porque é que o desembargador o teria lixado? Porque Ricardo Cardoso pertencia ao grupo dos “notáveis do Benfica da oposição”. O que a gente vai aprendendo sobre a justiça portuguesa e sobre o Benfica… E eu a pensar que os juízes safavam os notáveis dos seus clubes… Sou mesmo ingénuo. O que nos Vale é o Azevedo.

4 thoughts on “O que nos Vale é o Azevedo”

  1. Sem saber quem foi responsável, sem discutir a legalidade do acto, tenho de aceitar que aquilo foi de canalha. Podiam muito bem ter-lhe dito, ainda portas dentro, que tinham outro mandato de detenção e que mais valia chamar a família, dizer-lhes o que estava a acontecer e nem chegar a sair do edifício. O que fizeram foi deixá-lo a ele e à família na ilusão que iriam passar os próximos dias juntos, deixam-no sair para o voltarem a prender à frente de todos aqueles repórteres. Justiça espectáculo, não obrigado. Aquilo incomodou-me a mim que até sou sportinguista desde pequenino.

  2. acredito que o vale de azevedo tenha tentado forjar o suicídio para a mulher receber o seguro e ao mesmo tempo livrar-se da justiça, já tinha decidido pirar-se e se o fizesse como morto evitava todas estas chatices.

  3. Por um triz não ganhou as eleições ao Viravinho.

    Aí ninguem lhe apanhava apanhava a escrita,

    A ver se apanham algum presidente do Sporting?!!!

    Ou do FCP?!!!

  4. Júlio, sacaste-me uma bela duma gargalhada, apesar de achar que o Eduardo J tem razão quanto ao comportamento da justiça portuguesa, demasiadas vezes canalha e obscena. Não tem vergonha um e vergonha não tem a outra (com excepções, claro).

    O que acabo por confirmar, porém, é que o Vale e Azevedo, a somar aos defeitos conhecidos, é também um exagerado, pois, pelo meu cronómetro (uso-o até para arriar o calhau), foram apenas 13,5 segundos e não 14.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.