Vinte Linhas 652

Uma nova livraria no Espaço Chiado

A Gatafunho Loja de Livros abriu no dia 8 de Agosto mas vai ter a inauguração oficial em 24 de Setembro. Fica no Espaço Chiado (Rua da Misericórdia nº 14) mas tem duas entradas do lado do Teatro da Trindade. Entre o Chiado e o Camões, ao lado da muralha fernandina: a história em livro ao lado da história feita pedra. Dedica-se à literatura infantil e juvenil mas também nela se contam histórias em voz alta nos dias 27 de Agosto, 3 e 10 de Setembro com Liliana Lima, Pedro Branco e Cláudia Carrilho. Falta um espaço livreiro temático nesta zona da cidade e o livro infanto-juvenil é uma boa aposta – tal como já existe a Fábula Urbis atrás da Sé (livros sobre Lisboa) e vai existir em 3 de Setembro na Rua D. Pedro V nº 74 uma nova livraria (livros sobre Fernando Pessoa) além da Poesia Incompleta na Rua Cecílio de Sousa nº 11 (livros de Poesia). Sem esquecer a Livraria 1870 na esquina da Travessa de S. José e a Rua de S. Marçal.

Outras há que desapareceram como a Romano Torres frente à igreja de S. Mamede (hoje uma casa de colchões) e a Diário de Notícias no Largo do Chiado (hoje uma loja Hermés) além da Livraria do Senhor Fernando na Travessa da Água da Flor hoje entaipada pelas obras que roubaram 8 lugares de estacionamento aos moradores do Bairro Alto. E sem esquecer a Bocage que começou na Travessa André Valente e, devido a uma inundação camarária, foi levada pela EGEAC para a Calçada do Combro. Anos depois um pobre diabo assinou uma carta miserável da CML a afirmar que a Livraria Bocage estava a cometer um crime de enriquecimento ilícito que é punido com 3 a 6 anos de prisão… Só a estupidez humana não é punida nem na CML nem em lado nenhum pois é infinita como o Universo. Mas isso é outra história e agora interessam mais as novas histórias da Gatafunho Loja de Livros.

7 thoughts on “Vinte Linhas 652”

  1. hoje levas mediocre menos pela redacção sobre livrarias do eixo bairro alto-sé. a desarrumação mental é tanta que até dá para enumerar o número de portas da livraria, na próxima põem os aparelhos de ar condicionado e empregadas boas de mini saia a subir ao escadote, vais ver que resulta na facturação dos teus amiguinhos. por falar em amiguinhos, não fazes propaganda da allarves há mais de 15 dias.

  2. Finalmente percebi o teu problema.
    És um sujeito tão reles que nem amigos tens.
    Por isso te faz tanta confusão que o o José Francisco tenha amigos, que vêm aqui dar-lhe uma palavra de apoio, contrariando os teus “coices de mula velha”, cheios de insinuações e dor de cotovelo.
    Se é de um chapéu que precisas, passa na minha chapelaria, que eu ofereço-te um, à escolhas do freguês, pode ser que fiques um “asno” com um aspecto mais simpático e sejas capaz de fazer pelo menos um amigo também.

  3. Realmente é preciso ser mesmo muito repugnante, miserável e ascoroso para tentar ofender uma livraria séria como a Fabula Urbis que honradamente se dedica a divulgar livros em todas as línguas sobre a cidade de Lisboa. Eu por mim não posso ligar porque ligar seria descer muito baixo mas fico zangado com a tentativa bem canhestra de chatear a Fabula Urbis. Enfim cada um cava com a sua enxada…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.