Homossexuais britânicos dados à abstinência sexual por períodos de um ano já podem dar sangue

A proibição de dar sangue imposta pelo Reino Unido aos homossexuais para prevenir o risco de contaminação do VIH é levantada hoje, informou o Ministério da Saúde.

A restrição tinha sido estabelecida na década de 1980 como medida de prevenção, todavia os últimos estudos médicos apresentados ao Governo britânico atestam que este tipo de proibição não se justificava.

O Ministério da Saúde tomou a decisão após as recomendações do Comité de Segurança do Sangue, que avaliou os riscos de contágio com base nos estudos de especialistas e chegou à conclusão de que os homossexuais que não tenham tido relações íntimas com outra pessoa durante um ano podem dar sangue.

Nota: não são necessárias condições para os heterossexuais porque os cientistas sabem que é gente que só tem relações sexuais com “outra pessoa” quando o rei – ou no caso a Isabel II – faz anos, ou seja, precisamente uma vez por ano.

13 thoughts on “Homossexuais britânicos dados à abstinência sexual por períodos de um ano já podem dar sangue”

  1. O problema não é bem, ou de maneira nenhuma, o das discriminações, é mais o de saber se a jurista Isabel anda a servir os interesses da da Big Pharma ou simplesmente a emitir uma opinião completamente desconhecedora das opiniões e conclusões a que chegaram cientistas honestos sobre a burla da chamada “SIDA”. Uma leitura desta página talvez ajudasse a apresentar posts sobre o assunto duma maneira diferente:

    http://www.harmonikireland.com/hiv-hoax/

  2. Será que os homossexuais não podiam dar sangue por o ser, ou porque a sua vida sexual mais “liberal”, isto é, supostamente com mais parceiros, os poderia expôr a mais riscos de serem contaminados com o HIV ou outras doenças sexualmente transmissíveis?
    Ou seria por puro preconceito?
    Hoje, as estatisticas afirmam que o grupo dos homossexuais até não é o que mais casos de incidência de HIV apresenta; há mais incidência de contágios entre os toxicodependentes e os heterossexuais do que entre os homossexuais.
    Sendo assim, e se não fosse o preconceito, não seria mais recomendável que, para dar sangue, o mais importante deveria ser analizar o sangue recolhido, por métodos de grande segurança cientifica, e não o de fazer juizos de valor conforme as tendências sexuais dos dadores? Pergunto!

  3. Isabel Moreira: parabéns pelo post, justo e oportuno como de costume. e escreva mais por favor, não há muita gente com a sua competência e honestidade neste país.
    v.kalamitanos: supor ‘a jurista Isabel’ a servir interesses de quaisquer big pharmas desqualifica-o definitivamente: ou é ignorante ou está de má fé.
    helder: a abstinência ou abstenção do seguro é violenta e é por quatro anos. creio que se refere a masturbação vigorosa.

  4. eu não vejo bem onde está o preconceito visto que caberá, obviamente, ao bom senso dos dadores assumirem – não para os outros mas para si e para a sua consciência enquanto participantes activos na saúde pública – as suas vivências sexuais onde cabem homossexuais, bissexuais e heterossexuais. nesta perspectiva, e apenas por uma questão lógica e bem pertinente, os homossexuais fazem parte de um grupo de risco – não quer dizer que os restantes grupos não corram riscos -, pela garantia de que ao foder, seja de que forma for, não acresce qualquer risco de reprodução – logo a prevenção passará para segundo ou terceiro ou décimo plano. esta lógica é incomparável, quer se queira ou não, a qualquer outra de outro grupo. de resto, ninguém está sugeito à máquina da verdade quando assina o questionário para doar sangue. a consciência é a única instutuição, de torto ou de direito, regulamentadora.

  5. brrr,

    Excelente raminho de salsa, directo da tua horta para siderares pessoas. Eu diria que há pouca gente (talvez meia dúzia, excluindo Lisboa e um ou outro estádio de futebol à cunha) com a competência e a honestidade para escrever comentários tão incomodativos e iluminados como os teus. E apresenta as minhas desculpas à Isabel pois não sei onde ela mora.

  6. este kalimatanso não admite que fiquem dúvidas: acumula mesmo ignorância com má-fé e junta-lhes má-criação. pouco frequentador que sou de bloques (leio é livros, nas horas vagas e nas outras), googlei para saber quem era o tanso: é uma espécie de comentarista do contra, aqui e no 5 dias, e escreve ‘quizeram’ (sic, com z!) repetidamente. fiquei elucidado.

  7. brrr,

    Imagino a trampa de livros que deves ler. Quanto ao quizeram (sic, com z), tira uma cópia e esfrega isso levemente todas as noites nas partes pudendas antes de ires prá cama. Vais ver como acordas fresco e aliviado da vaginalite.

  8. que são os estudos dos especialistas comparados com a excelsa opinião da becas?
    podia mostrar matematicamente a razão pela qual o sangue doado pelos homossexuais representa um risco muito maior que o dos hetero (que aliás são rejeitados se tiverem tido mais de 1 parceiro sexual), mas não me pagam para ensinar cabeças duras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.