A voz de Carrilho continua sem vergonha

Olha, Carrilho, é assim:

Para indignação chega a nossa. Relê esta peça, sim? Foste o homenzinho que violou os mais elementares direitos à privacidade e à dignidade de uma mulher. Isso é indigno, e o mestre Ferreira Fernandes explicou-o com excelência. Mas tu não te cansas. E achas que estando um ou dois ou mil processos em tribunal o Governo está a tramar-te porque no dia 4 de Novembro a CIG contou com várias pessoas que deram a cara nas jornadas contra a violência doméstica. Parece que o Governo quer tramar-te porque tutela a CIG e a CIG juntou caras conhecidas para darem visibilidade a uma luta persistente. Parece que o Governo tramou-te porque uma das caras conhecidas é a Bárbara Guimarães.

O mesmo é dizer, homenzinho, que no teu habitual desconhecimento do que seja um direito, tens a liberdade de uma mulher por restringida vá-se a ver por ti, porque pela lei não é.

A mulher em causa, que já participara em inúmeras causas públicas, dando a cara, precisamente, não está inibida de fazer o que lhe apetecer, como isto: participar nas III jornadas nacionais contra a violência doméstica.

Por que o fez é irrelevante. O poder fazê-lo é determinante.

Não tendo na ocasião dado conta de nenhum relato pessoal, de nenhuma acusação, de nenhuma revelação acerca de eventuais operações plásticas a que te tenhas submetido, mas apenas de uma participação num coletivo de gente por uma causa, estás, Carrilho, indignado com o quê?

Será indignação, a palavra?

É que para indignação basta a nossa.

28 thoughts on “A voz de Carrilho continua sem vergonha”

  1. que nojo de homem. só quem já passou pelo mesmo, tatuagem involuntária e maléfica que fica para toda a vida, pode sentir tamanha repugnância. que não fique impune. mas, quer dizer, como punir alguém que dilacera completamente a vida de outro? que lhe rouba sonhos, que lhe planta medos, que lhe semeia solidão. enfim. :-(

  2. … parece que a babá e o Carrilho na sua novela pindérica e saloia, onde o gajo é decidida e antecipadamente o criminoso a pendurar no Pelourinho mediático, mesmo esquecendo os jogos pérfidos e preversos de manipulação com que estes dois patetas se entretêm a conspurcar – se publicamente, as isabeis e oilindas ficam úmidas e histéricas com as cusquices e coscuvilhice deste par de pandegos, esquecendo – se, por exemplo, entre outras minudências da pobre actualidade socialista, de comentar aquela obra prima de vacuidades e banalidades confrangedor as que é a tal moção do sargento Costa !

  3. Caríssima Isabel.
    Presumo que nunca tenha tido uma relação duradoura, em sede marital. Informo que não conheço o «visado» nem a, alegada, vítima. Mas …, proponho que reflicta sobre três observações:
    1. Numa separação, depois de esmiuçada, encontraremos, sempre, na sua origem, questões de sexo ou de dinheiro.
    2. Numa separação, nunca existe, apenas, um culpado.
    3. Julgamentos “populares” nunca serão os mais adequados.
    Fique bem.

  4. Ò palerma sabes o que é uma moção de candidatura a um partido? A um ano das eleições, se queres um programa de governo compra o do Gomes Ferreira.

  5. humidades,querias um programa do antonio costa,para o homem da tecnoforma plagiar como o outro? para depois das eleiçoes fazer tudo ao contrario, como manda a cartilha ultraliberal ?não te enerves, tem calma! uma coisa é certa,é melhor estar calado, do que aldrabar os portugueses,como fez passos coelho!

  6. Se eu fosse de algum partido e alguém me oferecesse uma moção daquelas, depois da Troika e do Memorando soxialista e das criticas Xuxas de como fariam tudo melhor que este governo tramposo, com um mínimo quase imperceptível de austeridade, tipo anestesia milagrosa, com a arrogância crítica e fácil da oposição da Bancarrota … como forma de me aliciar e convencer que agora é que era e que afinal valia a pena e que havia realmente uma clara diferença é esperança … e se me apresentassem aquele documento pobretanas de expectativas e pindérico de inspiração e entusiasmo, eu mandava esse gajo à MERDA com o tamanho do ilusionismo e crendice preguiçosa que me propõe. Mas isso sou eu que não me satisfaço com qualquer vinho a martelo como tu é vocemecês !

  7. tu kerias era mais 4 anos de viragem de frangos, mas tás com azar, já nem os publicitários de relvas acreditam nisso.
    beijocas
    nataxa pires

  8. Nataxa … és tu a prima da CosTaxas e taxinhas que o sargento inventou para Lisboa inspirado na tal Moção de vinho a martelo, porque o Pai Natal não passou o cheque pras prendas e milagres socialistas?

  9. pelo menos, Humidades e Moções, deixas-me em boa companhia – a da Isabel.

    mas, já agora, e também serve para o Alfredo Pereira, confundir violência doméstica com relações conjugais é grave. e será típico de gente repugnante…

  10. não, meu! sou de lima, andei no basqueiro, mas moro na quinta dos finos, aqui chamam-lhe imperiais, em cascais. quanto a martelados, só bebemos OE colheitas 2013/2015 ou PORDATA, castas INE trabalhadas pelo enólogo barrete.

  11. NataXa já vi que bebes e ficas Feliz e delirante com qualquer zurrapa, que acompanhe com qualquer orelhinha ou pezinho de porCosta, desde que tu imagines estar a comer filet mignon em cama milagres Xuxialistas au poivre … vai ser mesmo Fodido quando acordares e perceberes que é só mais do mesmo rançoso Chispe!

    entretanto aproveita e acompanha com umas imperiais e tremoços …

  12. Certidões, atestados, reprodução de documentos, obras, inspeções de ascensores, tapetes rolantes, ocupação do espaço, publicidade, ruído, feiras, incineração de animais, inumação, exumação ou cremação. Câmara liderada por António Costa tem 189 taxas em vigor

    NataXa … Conheces toda a tua família. ? Ora mata lá as Xaudades!

  13. desde que a vinci ficou comprou a ana, quantas vezes é que já foram é aumentadas as taxas aeroportuárias em portugal, quanto foi o valor desses aumentos, houve contrapartidas em equipamentos ou serviços e alguém ouviu o menistro piroso queixar-se ou a catarina-dos-nove atirar-se à piscina dos impostos? poizé, o que lhes faz micose é o costa e com o barulho ninguém ouve falar do oe2015, da demissão da loira da cruz, das mentiras da marilú, da implosão do ensino ou da renascimento da legionella portuguesa.

  14. Comentários, que entendo que muitos destes comentário são embebidos em ressabiamentos pessoais.
    Eu ainda não li nada acerca de quem realmente importa! As crianças, as crianças são as verdadeiras vitimas dos jogos loucos e da vaidade orgulhosa de cada um que deles se utilizam para conseguirem sei lá o quê.
    Deus ajude as crianças porque os pais parecem não as ajudarem.
    Pais privados de ver os filhos, pais que dizem mal das mães, mães que que gostam de ser vitimas.
    Infim, por por ultimo gostaria de ver especialistas de saúde mental acompanhar os divórcios que se fazem nas conservatórias do registro civil, essas salas eu chamo “salas do terror”, porque assinasse o divorcio e pode começar o terror para as crianças que os pais assinaram um divorcio, mas começa o terror para os menores só porque os pais não foram acompanhados psicologicamente para esse enfeito.
    Muito há para fazer certamente, deixem só os casos que ligam câmeras de filmar.

  15. Na falta de uma alternativa melhor (onde andará o piropo?) vai-se animando as hostes com um merdley de peixeirada e linchamento público.

  16. Este Carrilho “acha-se”, como cá por cima dizemos. O que tem o Governo a ver com as suas questões familares? Porque nos incomoda com a sua vidinha que a ninguém interessa? Foi Ministro? Já tantos passaram… Para que não restem dúvidas. Sempre o achei execrável. A confirmar-se tudo isto é, de facto, um ser indigno. Muito pior, quanto a mim.
    bac

  17. Anda tudo ressabiado…. poucos são os que estão de bem com a vida …
    Ainda bem que eu estou…
    António Gedeão é que tinha razão a humanidade não evolui o que evolui é a CIÊNCIA…

  18. Caro Carrilho,

    Sendo assim como és, mereces mais, muito mais!
    Se fosse a ti desnudava-me na ponte sobre o Tejo na hora de ponta, soltaria o leão do marquês e entraria parlamento a dentro.
    Talvez ainda te reconheçam, talvez ainda te aplaudam, talvez ainda fosses capa e espada do correio da manhã, talvez o leão rugisse e o marquês descesse a Avenida da Liberdade e voltasse por ti de juba erguida. Talvez tudo isto aconteça e possas depois ser tu pousar naquele pedestal com o teu leão.
    Podes estar descansado que todos te veremos, nós, os milhares de portugueses que circulamos no marquês nas horas de ponta, te deixaremos rosas vermelhas, te aplaudiremos e te faremos entrevistas para as televisões.
    Se quiseres faremos panfletos explicativos que daremos aos turistas da tua causa, da tua perseverança.
    Podes sempre fazer ioga lá em cima e pentear a juba ao leão.
    Crê ainda que, todos as buzinas, todas as luzes, todos os neons são por ti, para ti.

    Um Abraço

    Deste teu amigo

    Pedro Portela

  19. ALFREDO, meue, ganda baile, u pruvlema é ca Izatell num intende pá, tás a bere, é tipu mrpp, o pobo e o alagado disgraçadu é ca teie razãoe, oube, a dafeza dus dirreitos pur esta istirpe é ssempre faita açim, çem sanalizar a cauza i o efaitu, tás a bere, vasta sere molhere pra tere razãoe, hum. a gente num cunhesse us factuse mas a Izatell teie vola da cristale e é cumá judite, hum, ela leie os jurnais e tirra a infurmçãoe dalie, tás a bere, depois avre a voca e aparessem as ulindas a acarneirare a coisa, tás a bere? comprimentus, pázinhu.

  20. Moções a Martelo e Alcoólicos Felizes, lole, lole, prós analfabetus cirurgicus daquie, lole, çagnafica, láfe aute laude, hum. Ó moções, oube, aquilu é ifaitu da zurrapa azeda cus gajus tomam, pá, num bãoe a intenderre u ca dissestes, meue, fogu, çus xucialistas sãoe açim, já biste a casta deles pá? um em ébora, dize ké bitima, o ôtro malha na santinha da mulhere, dize ké bitima, ambus sãoe burrus purque num savem defenderrçe e a varvara, a santa, partassipa em marxas cuntra a biolenssia, hum, a Izatell avre a voca e saie em dafeza cum vase nus jurnaies, i u costa querre sere primeirrru manistru, tás bere, faltalheça coiza no curiculo, quele é puliticu carrreirrista, hum. Bamos a bere u cumunicadu dele a dizerrre ca num ça mete na bida du militante Carilho.

  21. Ó CABRAL tenze razãoe, pázinhu, mas oube, a trampa é çempre a mesma tás a bere, e nu meiu distu tudo, o gaju até é capaze de terre razãoe e perdeu-a pá, ca num çagnafica que deba dare purrada na molhere, tás abere.

  22. ó isatell, oube, oube só o ca iscraberao sovre tu, hum, boue a citare, ora aí baie « Na terra onde pululam seres como a libertario-masturbadora Isabel Moreira (uma vergonha supranacional) …», lole, lole, baie ao Estado Sentido, tenze lá um fâ à contrariu sensu, hein, hum, andu a aprendere latie, tás a bere.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.