Sobre a sondagem no i

Sobre o barómetro da Pitagórica/i, que está a dar certo brado por mostrar o PS a descer e coligação/restante esquerda a subir, duas breves notas:

1 – Os dados técnicos da sondagem publicados pelo i estão, à data deste post, errados. Referem-se à sondagem anterior, publicada aqui na ERC. Como esta a que o jornal i se refere ainda não está publicada, não se sabe quando e como foi feita. Lamento, mas mesmo admitindo a seriedade e bondade dos dados recolhidos, é de um amadorismo impressionante. Copy/paste, não?

2 – Não estou particularmente impressionado com a descida em uma sondagem (apesar de já não ser a primeira). Teremos que verificar outras para confirmar alguma tendência. O que podemos tirar com alguma segurança, creio, é que pelo menos o PS não sobe aos valores onde devia estar, mantendo-se estável. Tudo na mesma, como a lesma, logo após a aprovação do OE mais violento que há memória. Ou seja, Seguro não consegue convencer os indecisos e o voto flutuante. Não me parece admissível.

Adenda: sobre a Pitagórica, ler o Der Terrorist

10 thoughts on “Sobre a sondagem no i”

  1. As pessoas já perceberam que Seguro é o Passos do PS. As suas credenciais resumem-se aos corredores partidários da jota PS e da “militância” parlamentar. Mudar para quê? Alguém quer este Seguro como PM?

  2. não parece admissível que o seguro não conseguia convencer os indecisos mas isso é um facto. um tipo que tenta queimar de todas as maneiras o seu antecessor e como oposição aos incompetentes em praça não tem mais do que a indignação violenta, está mesmo à espera que o poder lhe caia no colo.

  3. vega o unico seguro que me interessa é o de saude. vega 9000,peço desculpa introduzir no teu post estas linhas que já têm uns anos.é a fotocopia duma pagina da revista do expresso com o endereço: asoromenho@expresso.pt.nesta pagina aparece uma parte com conselhos de daniel sampaio para os pais e parte restante com perguntas que presumo que sejam feitas ao mesmo psicologo. então la´vai um episodio relatado por ele?: um dia um grupo de adolescentes,com muito bom nivel economico e frequencia de optimos colegios,deu uma festa quando os pais estavam fora.abrem uma garrafa com uma navalha e, de repente,um deles poe a navalha no pescoço de uma rapariga e leva-a para a casa de banho.foi violada por cinco rapazes. anal,oral,vaginal.mais tarde,este grupo,aparece no tribunalcom os seus advogados,os seus pais e o relatorio do que se tinha passado. agora digo eu: só não mataram, quanto ao resto os indianos imitaram-nos muito bem. é bom sabermos que neste pais tambem temos destes canalhas.

  4. discordo do tratamento dado aos jotas.prefiro um ministro que desde miudo milita no partido,fez a sua formçao academica e mais tarde é chamado a desempenhar funçoes governativas,a um sujeito que debita uma palavras para ser ouvido e aparece num governo sem nada que o justifique.recordo o caso mais recente de santos e cunha,mas há muitos mais.é minha certeza que os melhores ministros do ps foram na esmagadora maioria os militantes do ps de varios anos.provem-me o contrario se tiverem coragem.Uns vêm dos juniores outros entraram mais tarde.qual o problema? o que é preciso é competencia e quem escolhe os incompetentes deve ser responsabilizado.Nota: quando veio o 25 de abril,já tinha tinha regressado há um mes da guerra colonial. não aderi a nenhum partido.só o fiz em 79 e por pouco tempo, mas andei na luta pela liberdade.

  5. O Seguro é aquilo que é e sempre foi. A culpa dele ser secretário geral do PS é da maioria de militantes que nele votou, e a culpa dele ainda o ser é dos que não votaram nele e nunca mais o confrontam e agem para o destituir.

  6. Permito-me repetir,o Seguro é o seguro do “Láparo”,sendo mais os que concordam que os que discordam.É mais que altura e já em contagem decrescente,do PS mudar de rumo e de secretário-geral que perante uma esquera democrática se tem evidenciado pelas piores razões e desde logo pelo passivismo cobarde sempre que o passado de Sócrates é mentirosamente invocado.O que há dias foi invocado brilhantemente pelo ex-ministro Silva Pereira num confronte televisivo demolidor com um lamentável “funcionário”de nome Arnaut,o que me fez antever algo de positivo desde que tenha continuação.

  7. Não assumir o passado, limita toda a estrategia do partido e de um lider sem carisma nem garra,para o lugar.liderar um partido não é a mesma coisa que liderar um grupo de escuteiros.lamento o silencio de certos” senadores” como mario soares,almeida santos e outros.Há alternativas para acabar com esta letargia seminarista.Silva Pereira é na minha opinião a mais credivel pela segurança que demonstra nas sua intervençoes. A assunçao do passado recente é meio caminho andado para ter a seu lado a maioria dos militantes e simpatizantes.Acho, que chegou a hora de combatermos com toda a força, o embuste que foi vendido pela direita aos portugueses, para ganhar as eleiçoes. por ultimo,espero que a saida do senhor da mota engil não, corresponda a um regresso ao partido socialista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.