14 thoughts on “Portugal, século XXI”

  1. Eu também acho que deviamos internacionalizar o pastel de Belém…
    Pelo número de fans que ele tem no facebook, vai ser um sucesso garantido.(para nós é de certeza).

  2. Depois da dos denominadores comuns vem a internacionalização dos pasteis de nata!Na corte celestial que o rodeia não há ninguém que lhe ensine o que é a bacoquice ou ao menos o sentido do ridículo?

  3. Enquanto isso as taxas de juro da dívida portuguesa estão a chegar a máximos históricos.
    A dez anos já passou os 14,5%. Mais do dobro dos célebres 7%. Três anos já passou 18%.
    Para o Público, DN e CM não se passa nada. Está tudo dominado.

  4. É uma autentica revolução!!! Até já tenho um nome: “A revolta dos pasteis de nata” Como é que ninguém se tinha lembrado disto antes? Já chega de subjugação Alemã. Este governo pretende atacar um dos pontos mais fracos dos alemães, as bolas, de berlim, com pasteis de nata. Genial !. ( os croissant que se ponham a pau).

  5. A conclusão que se tira disto é que tão estúpido é o Passos como é o Álvaro.
    Eles realmente desde que tomaram posse que andam a tratar da massa. Vejam o caso do vígaro do Catroga que já tem a sua massinha. O do Pigo Doce levou a massa lá para fora para a Holanda. O Jardim esse gastou a massa que não lhe pertencia. E agora andam a disfarçar essa massaroca confundindo-a com pastéis de nata. Quando ouvirmos um deles dizer. Já tratas-te dos pastéis de nata, querem dizer: já trataste da massa? Ou colocaste os pastéis a levedar ? Quer dizer:colocaste a massa a crescer?
    Filhos da puta!

  6. O que é grave é que estejam a passar ao lado da grande oportunidade relacionada com as cento e tal receitas de bacalhau.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.