Os outros

Quero que o mérito seja reconhecido a quem o tem e que o estado me deixe de obrigar a pagar a saúde dos outros, a educação dos filhos dos outros e os problemas dos pais dos outros.
(…)
Não quero ir ao hospital de graça, não quero ficar em casa a receber sem trabalhar, não quero meter os meus filhos na escola de borla, não quero ajuda de ninguém para comprar casa, não quero que me ofereçam um Magalhães, não quero que me paguem o curso
Aqui

Gabo-lhe, pelo menos, a frontalidade. É raro ver a teoria do “cada um por si” exposta com tanta honestidade. Os “outros” que se lixem, cerveja Cristal é que não.

10 thoughts on “Os outros”

  1. Então não é que fui lá ver se o cromo tinha alguma coisa para dizer? Afinal não!
    Só não percebi o que é que o gajo quer? Se é que quer alguma coisa!

  2. Ja andar no meu carrinho em cima de asfalto posto na estrada por obra e graça do espirito santo, sem ser assaltado porque alguém policia a coisa por puro altruismo, e sem levar com um TIR pela frente porque existem anjinhos que colocam sinais de trânsito na estrada, e poder chegar ao restaurante a tempo de comer uma refeição que não me vai envenenar por que existe quem fiscalize, isso não é problema.

    Que parvoices como essa possam ser proferidas de forma inocua, eis algo que me custa aceitar.

    Os verdadeiros “liberais” da laia do imbecil que escreveu o texto citado deviam ser obrigados a restituir timtim por timtim tudo o que o Estado gastou para que eles andem por ai a ladrar e a brincar aos filmes de cow boys, como se tivessem alguma probabilidade de sobreviver mais de 30 segundos num territorio, não digo sem Estado, em que o Estado estivesse reduzido ao minimo, como por exemplo na Somalia…

    E também deviam ser obrigados a voltar para o nada de onde jamais teriam saido, não fosse a ajuda dos outros…

    Imposto generalizado e proporcional sobre a estupidez e a ignorância, é o que se precisa.

    Foda-se…

  3. Grande resposta, João Viegas!

    Se este béu-béu quer uma Economia forte, que vá viver para Angola, ou o Qatar! Seja lá muito feliz e deixe-nos livre da sua tristonha pessoa!

    Ele e mai-la geraçãozinha dele, que preferem ser ricos na Colômbia do que pobres no Canadá, fora daqui! D’stò!

  4. Enfim…esse gajo é um imbecil.
    É filho da mãe para merecer ir 3 dias por semana à hemodiálise, fazer oxigénio noturno, precisar de transplante hepático, e enfim, que lhe calhasse em família uma daquelas doenças raríssimas que só para o diagnóstico fossem necessários par cima de 90 dias de internamento.

    depois, com certeza, as IPSS tmariam bem conta dele…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.