Espoir & αλλαγή

Hollande não é nenhum Obama. É um homem do sistema profundo, sem grande background, sem grandes feitos de que se possa orgulhar, chato e aborrecido no discurso,  nem nada que, normalmente, entusiasmasse demasiado. Ou sequer entusiasmasse, ponto. É presidente hoje não por mérito próprio, mas porque Strauss-Kahn se auto-destruiu e  Sarkozy se tornou extremamente impopular, até para os franceses de direita. E mesmo assim é presidente por uma unha negra.

Normalmente, não seria eleito, ou se fosse teria um mandato sem grande história. Mas não vivemos tempos normais, e é nos ombros deste homem apagado e inexperiente que repousam hoje as esperanças do princípio do fim da crise, e do ressurgimento da Europa. É uma responsabilidade cuja importância não pode ser menorizada. A Europa está profundamente doente, a cura pela sangria não está claramente a resultar, e os nossos amigos gregos, mais uma vez, mostram quais as consequências de deixar a doença seguir o seu curso natural, como tanto agrada aos liberais. Os primeiros sinais de gangrena estão aí. E tresandam.

1) I accept the third major ideology of history, the most rooted in the history of my people. The same anti-communism internationalism and universalism-liberalism.

2) I accept the need for a state founded and built with this ideology that continually nourishes and directs the individual and collective life. A state that serves these eternal principles of revolutionary Nationalist worldview ever, with the ultimate aim of forming a new society and “a new type of man”.

4)I understand that nationalism is the only absolute and real revolution because it seeks birth of new ethical, spiritual, social and spiritual values. The right and left solutions supposedly fighting each other, it’s just theater two partners who perpetuate the dominance of cosmopolitan internationalist and anti-national and anti-popular forces.

5) I think the only state that serves to correct the historical role of the People is the state where political power is the People without party pimps. For the People nationalism is not only a numerical section of people but a qualitative composition of people with the same biological and intellectual heritage, which is the source of all creation and expresses its power in secular state. The only state that can express the people as an organic whole and spiritual living.

10) I think it is important to society, the whole community of the People and not through the person. The person becomes a person and be pollinated form shape “I” in “We” of the total. People do not have historical importance as opposed to persons who are condensations spatiotemporal special qualities of the People and the Nation. A person can only be one person who completes the socialization, through the ability, as harmonious synthesis of social and individual values. This superior type of person is a new kind of man who seeks to realize nationalism.

12) The People’s State of Nationalism attaches equal social opportunities that are grounded in meritocracy and not ignore the law of diversity and difference in nature. Respecting the spiritual, ethnic and racial inequality of men can build equity and law in society. This egalitarianism is proof of moral excess of nationalism and shows how the one is not a legal difference to protect the natural existing institutional inequalities. Because they are an integral part of nature and life. Unlike the People – National State law gives the same room for enhancement and sealing of the different element of every being. So fight like every nationalist isopedotismo (Nations, Tribes, People), and any phony artificial inequality and oligarchy (money, party, perversion)

(Excertos dos valores do Partido neo-nazi Chryssi Avghi, que acaba de eleger 21 deputados ao parlamento grego. Traduzido do grego original pelo Google tradutor. Clicar na imagem para aceder ao site)

5 thoughts on “Espoir & αλλαγή”

  1. Assim é, Vega 9000! Ao que a Europa chegou, neste principio de século e milénio. Gente mediocre a governá-la e o ressurgimento desses idealistas de extrema-direita que nunca levam a bom porto. Este inicio de século está a ficar pavorosamente parecido com o inicio do sec. XX. Oxalá, não venhamos a viver dias idênticos aos que se seguiram aos anos 30 desse século. Hollande é inexperiente em política, dizem os comentadores. É possível. No entanto aparece como que uma tábua de salvação para todos aqueles europeus que estão já em grande desespero. Se concretizar algumas das suas promessas eleitorais, como o de pôr algum controlo sobre os Bancos, já será bem bom, como que um arejamento, nesta pétrifica Europa da austeridade e do neoliberalismo
    Há na História, exemplos de politicos que passaram de homens cinzentos e vulgares a grandes estadistas, provocando grandes alterações e melhoria em muitas situações críticas que encontraram; oxalá estejamos perante um caso desses.

  2. Ò Sr. Bega, bomecê acabou de encontrar a alma gémea do gajo que ocupa Belém. Já biu as afinidades ou semelhanças? Hein? E a femme dele usa saia branca quando bisista o papa? Fogo, a Bruni já debe estar a pensar como é que se baie librare do sarkozy, agora que num é mais a primiera dame.

  3. temos inda outro condimento a juntar a este crescimento do nazismo/fascismo (não só na Grécia, o que é aberrante, concordo, mas na Bélgica, Áustria, Holanda, França, Itália e mesmo Alemanha, mas mais envergonhado, por causa das coisas anteriores): a indiferença e desinteresse perante o fenómeno. Foi assim que começou, não foi? É certo que a extrema esquerda subiu estrondosamente na Grécia…mas não sei porquê, não vejo diferença e não me consolo com isso.

    Enfim, o velho continente, com as suas guerras mundiais, as suas várias guerras genocidas, os seus totalitarismos assassinos, não se compara, em sabedoria e capacidade de aprendizagem da História , aos estúpidos dos americanos que nem História têm…

    (mas têm mais tomates…e agora chamem-me imperialista, a ver se eu me ralo)

    http://www.youtube.com/watch?v=Lz6XWStZV48&feature=related

  4. José, o Churchill foi um caso desses. A man can dream.
    ___
    edie, dizes bem. Eu próprio ainda me ri um bocado com a figurinha daquela gente na conferência de imprensa, e depois é que fui pesquisar um pouco. Começam todos assim.

    E se quiseres ser chamada de imperialista, usa este ;)

  5. Vega,

    tenho de te agradecer a sugestão. Com este Kompensan, consegui aliviar azias de algumas pessoas a quem mandei o comentário e clip acima. Parecem-me agora bastante mais calmos e pacificados…e, eu, claro, sou toda pela paz e amor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.