E Passos, deixa passar este claro apelo à guerra?

Lembrando que existe uma crise de dívidas soberanas na Europa, que não afeta apenas Portugal, Passos Coelho sublinhou que “se o BCE tivesse por função resolver o problema dos países indisciplinados, imprimindo mais euros, pura e simplesmente esse seria um péssimo sinal”. No seu entender, tal atuação faria passar a mensagem de que não seria necessário rigor nem disciplina orçamental, porque o BCE imprimiria mais moeda.

“Na Europa isso já aconteceu há largas dezenas de anos e a Europa viveu uma guerra muito forte por causa disso”, afirmou

Passos Coelho, preocupado com a guerra em Novembro de 2011

(1) A situação excecional e de verdadeira emergência a que chegámos reclama do Banco Central Europeu (BCE) uma intervenção ampla e previsível no mercado da dívida soberana dos países solventes que enfrentam problemas de liquidez e a disponibilidade para uma intervenção ilimitada no mercado secundário;

(…)

E porque não o BCE começar a aplicar já aos títulos da dívida pública da Irlanda e de Portugal a orientação anunciada pelo seu Presidente?

Cavaco Silva, disposto a arriscar a guerra para salvar o governo PSD em Agosto de 2012

 

3 thoughts on “E Passos, deixa passar este claro apelo à guerra?”

  1. Gostava que me explicassem que raio é uma guerra muito forte, será que a levanta mais pesos, a que arremessa o martelo mais longe, a que esmurra mais ou a que consegue um uchi – mata limpinho, daqueles para ippon?

  2. Eu nunca vi tanta subserviência de um politico,como passos coelho em relação a merkel.no norte neste contexto diz o povo que “levou agua do cú lavado como benção”, e agora diz amém a tudo.Os paises indisciplinados diz ele.que moral tem este cavalheiro para qualificar desta forma, quando ele à frente de chafarricas, segundo consta, eram processos atras de processos em tribunal.quando a europa der a volta que vai ter que dar,passos coelho se for um homem digno, só tem que fazer uma coisa é dimitir-se.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.