Ajudemos o Daniel

Hoje fico-me pelo espanto que diariamente ainda consigo sentir: como é que este rapaz chegou a primeiro-ministro?

Daniel Oliveira

O Daniel Oliveira ganha a vida a escrever e a falar, principalmente sobre política. Aliás, escreve muito bem e tem por vezes bastante piada, tendo granjeado uma considerável fama e admiração entre os seus pares, pelo que foi uma boa escolha de carreira. É por isso com bastante preocupação que este admirador detecta, aqui e ali, alguns preocupantes sinais indicativos de perda de memória e confusão mental, algo que para o labor em causa pode revelar-se fatal, sobretudo para quem escreve num jornal com o nível de excelência do Expresso. No caso da crónica em apreço então, o sinal é algo grave. O Daniel Oliveira não se recorda como é que Passos Coelho, um “líder partidário com a inteligência de uma amiba”, chegou a Primeiro-ministro, apesar da improvável sucessão de acontecimentos que a tal levaram terem tido o seu desfecho há pouco mais de um ano, pelo que tem acessos diários de espanto com uma realidade cujos buracos na memória não o ajudam a explicar no devido contexto.

Agora, seria fácil aproveitar este sintoma de fragilidade para denunciar a suprema lata de quem tudo fez para que tal acontecesse, para o acusar de desonestidade intelectual de bradar aos céus, ou pior, de demonstrar um cinismo apenas comparável com o de Pacheco Pereira. Como não pode ser esse o caso numa pessoa diariamente empenhada em defender os mais fracos e vulneráveis da nossa sociedade, será melhor combater os sintomas com uma dose de exercícios mentais que o ajudem a recuperar a sua forma habitual. Sendo o Daniel Oliveira uma pessoa de uma inteligência inegável, não o vou insultar fazendo-lhe uma descrição pormenorizada de como é que Passos Coelho chegou a Primeiro-ministro. O importante nestes casos é exercitar uma mente entorpecida pelas inesperadas fragilidades de memória, e para isso é essencial que se faça um percurso pessoal que o obrigue a esse mesmo exercício. Deixo-lhe por isso uma pista em forma de vídeo para iniciar, sem narração, e um breve conselho: Daniel, segue as amibas.

25 thoughts on “Ajudemos o Daniel”

  1. Posologia: ver todos os dias na íntegra, em duas tomas, de preferência uma ao deitar e outra ao acordar; em casos de agudização pontual dos sintomas, poderá ainda visualizar-se uma das metades (a inicial ou a final, é indiferente), no intervalo para almoço ou, se for o caso, imediatamente após a sesta.

    Prazo da medicação: indefinido, podendo contudo administrar-se sem receio, nesta dosagem, se necessário até ao fim da vida útil (ou mesmo já no período da reforma, se julgado conveniente).

    Muito útil para todos os maiores de 18 anos que apresentem os mesmos sintomas deste paciente, que são bastantes, em todas as faixas etárias, classes sociais e até estratos académico-culturais (maleita bastante democrática e igualitária, portanto…).

    E votos de boas melhoras, ao Dani e a todos…

  2. Obrigado pela sugestão de leitura, certamente irrecusável, mas a minha quota anual de paciência para com este excelso escriba está já esgotada, desde o dia 23 de Março do ano transacto. Temos pena, mas não iremos abrir excepções…

  3. Excelente esforço, “seu Vega”, sem dúvida nenhuma… Os meus Parabéns!

    E Daniel Oliveira terá muito a ganhar com esta inestimável ajuda, mas convém que não nos iludamos: nenhuma ajuda será possível prestarmos aos desorientados Daniéis Oliveira que por aí abundam, desde 23 de Março de 2 011, enquanto eles não quiserem ajudar-se a si próprios.

  4. “Como é que este rapaz chegou a 1º-Ministro”, pergunta o Daniel…

    Amigo, vá perguntar ao Juiz Paulo Brandão, da Comarca do Baixo-Vouga, ao Dr. António Cluny, ao Juiz António Martins, ao Sr. Prufeçor Mário Nogueira, à Ana Avoila, ao Carvalho da Silva, à Judite de Sousa, à Manuela Moura Guedes, ao António Barreto, ao Manuel M.ª Carrilho, ao Tio Balsemão, ao Jerónimo de Sousa, ao Francisco Louçã, ao Poeta Alegre e a todos os patetinhas que de vez em quando saem à rua em ar de festa, mas muito indignados. São eles que têm a resposta certa para essa pergunta que o atormenta!

    Os outros, os que estão agora a lucrar com os dislates do rapazinho patarata, não só não têm respostas nenhumas para lhe dar, como nem sequer entendem a sua pergunta, engasgados que andam de tanto se rirem de vocês todos…

  5. Olhe, rapaz Daniel Oliveira, vá fazer essa perguntinha a todos os que votaram no Passos Coelho. São eles que têm a resposta! Eles e também muitos dos que se abstiveram. E sobretudo os que, numas eleições como as do ano passado, tiveram a coragem de votar em branco, apesar de se dizerem de “Esquerda”, ou até socialistas!!!

    Sim, se calhar, pode ir também perguntar ao Tó-Zé Seguro…

  6. Esta votação foi como o champô! dois em um.Arrumaram com o politico que lhes fazia frente,Jose Socratesa e aproveitaram a oportunidade para irem ao pote eleitoral (grandes patriotas…) nas esperança de aumentarem o numero de deputados.Resultado foi aquilo que se viu…Adeus tristeza até mais ver,já diz a canção de F.Tordo. São estes esquerdelhos que no parlamento se arrogam em defensores da classe trabalhadora.Este pais se não fizermos nada,vai ficar reduzido a escombros.Faço justiça de lembrar que daniel oliveira criticou a moção de censura do bloco.Só não compreendo a sua amnesia quanto ao promotores de Passos Coelho a Pm deste pais de enormes de oportunidades mesmo no desemprego….

  7. Para porem a direita no poder,para aproveitarem a oportunidade de aumentarem a sua base eleitoral,e para que aparecesse um josé Seguro,para não vos fazer frente,é que fomos a votos….Grandes pulhas e traidores da classe trabalhadora.Daniel Oliveira neste momento já deve estar lembrado….

  8. Não é , seguramente, amnésia de Daniel Oliveira, ele faz o que é prática corrente nos
    comentadeiros (bem pagos) da nossa praça…fogem para a frente sem se deterem na
    porcaria que têm feito no esclarecimento dos incautos que lhes dão ouvidos!
    Atente-se na explicação estapafúrdia dada pelo prof Marcelo no seu programa de on-
    tem na TVI, a propósito das calinadas do P.Coelho o tal nivelador da política por baixo!

  9. Eu até já corri com “amigos” de longa data por se terem deixado anestesiar pela propaganda miserável contra o José Sócrates, além de, também, deixar de lado toda e qualquer simpatia que dantes nutri pelo PCP e BE, quanto mais esse Daniel, oportunista como todos os outros – só de ouvir falar neles e no tal blog de “arrastão”(?) fico indisposto… Não há vergonha nenhuma no país tuga à beira-mar-plantado e o povinho, “por isto e por aquilo” até já está a aceitar uma nova ditadura, noutros moldes, mas que é, é! Já devem conhecer a explicação da anestesia de massas humanas pelos media, propriedade e não só, dos ricaços, malfeitores da humanidade – um vídeo domonstrativo do trabalho de Noam Chomsky:
    http://youtu.be/ja9ysM-hDGk

  10. A prosa sugere (factos passados) que foram os “amigos de Daniel” que derrubaram quem derrubaram. Não interessa se bem ou mal derrubados. Derrubaram. Infere-se que fomos para pior e por isso eis a oportunidade para preencher as lacunas da memória de Daniel. Duas breves notas:
    1. Se fomos ou não para pior, sendo um facto que sim, não deixa de ser uma opinião. É que mesmo achando que estamos pior não há quem deixe de pensar que estaríamos assim se quem foi derrubado o não tivesse sido;
    2. Em segundo lugar quem elegeu PC foram as pessoas, doa a quem doer.

    PJ

  11. oh paulo! vê lá se te decides, ou é facto ou é opinião ou ambos. quem elegeu o pc foi quem votou nele, o cavaco e mais o sis.

  12. A lêr o seguinte link no defunto blog camara corporativa

    “http://corporacoes.blogspot.pt/2012/04/pensar-como-e-que-podemos-prevenir.html”

    Por incrivel que pareça, março do ano passado foi de facto o momento na história de pensar em como prevenir mundos piores.

    Daniel Oliveira e toda a esquerda radical não perceberam o momento. Passaram ao lado da história. Agora é tarde demais, e como todos os mediocres , agora aqui chegados, perguntam-se incrédulos ” my god, como é que isto aconteceu?! ”
    Aconteceu porque sois vesgos, pá!

  13. A isto chama-se chorar sobre o leite derramado. O Daniel parece ter uma memória muito curta, ele e a rapaziada toda que ajudou a pôr lá o rapaz incapaz.

    No entanto, a situação não é só trágica devido a termos o rapaz interessado no livro (inexistente ao que parece) do presidente de Singapura como capataz deste governo da treta. É trágica por termos a alforreca de Boliqueime como inquilino de Belém e, pior ainda (e parecia ser impossível haver algo pior) é estar o PS entregue aos idiotas úteis da equipa do Seguro.

    Uma desgraça, diz-se, nunca vem só. Não era preciso era virem tantas e tão más em tão curto espaço de tempo.

    Bem, acho que para estes peditórios todos já dei e não estou a ver outra ocasião em que venha a precisar do meu cartão de eleitor. Pelo menos com esta gente em Belém, S. Bento e no Rato.

  14. Paulo Jorge,se estivesse josé Socrates a cumprir o memorando da troika,não tenho duvidas que o estava a cumprir nos seus estritos limites.Passos Coelho como tem agenda politica que é ter folga para as proximas eleiçoes,está a sacrificar os portugueses e a empobrecer o pais.Olhe a agenda passa até por coisas simples,veja a volta que os pros e contras deu.Dantes era um programa vivo, com muita discussão pura e dura,hoje faz sono… uma autentica vergonha.A direita tomou de assalto tudo que possa fazer barulho.Quer outro exemplo,outro dia uma senhora de Chaves,morreu do coração por falta de assistencia,por terem encerrerrado no hospital o serviço de cardiologia,esta noticia deu às 6 da manhã na Antena um RDP,a partir dessa hora desapareceu nessa antena a noticia.Outra, no 25 de Abril, das 5 às 7 20 da manha na mesma antena não deu um unica canção alusiva ao 25 de Abril.A musica era como se fosse um dia normal,pergunto isto é ou não a verdadeira asfixia democratica? com o intuito de anestesiar o povo.Por ultimo sondagens no correio de manhã,não é de fiar,pois nessa gente nem nas farmacias de serviço devemos acreditar.Vejam em que areas este grupo economico está metido.

  15. Maria Rita, acrescentar que não houve uma notícia na televisão pública sobre a manifestaçãodo do 1º de Maio – a repórter foi para as ruas de Lisboa dizer que havia muita gente a trabalhar e que era um dia igual aos outros.
    Acrescentar a cobertura integral e em directo (toda a tarde) da manifestação dos deolindos e jsds na av. da Liberdade, contra Sócrates.

    Paulo, compare e sobretudo, pense.

    Em Espanha, vi numa dos canais, que os separadores tinham imagens e música do 25/4. Já percebi que por cá a data foia pagada do mapa.

    Estes senhores, além de incompetentes, são um bocado a atirar para o fascista, não são?

  16. Maria Rita,

    Me perdoe, mas não há troika boa nem troika má. Há Troika, e há razões para eles por cá andarem… Ponto! Tudo o resto, “assaltos ao poder”, “asfixia”, “controlo de informação”, “governar para as próximas eleições” etc, são práticas banais de quem detém o poder. Argumentar com estes factos é fugir para a frente. São mecanismos típicos de defesa suportados numa memória muito selectiva…

    PJ

  17. Infelizmente, a razão para a troika cá estar poderia ter sido evitada .E isso faria toda a diferença. Pena que a esquerda trauliteira se esqueça desse “pequeno” pormenor.

  18. A “argumentação” de Paulo Jorge é exemplificativa: derrubar Sócrates foi sempre um “bem” em si, independentemente de quem se lhe seguisse, pois Sócrates poderia em qualquer caso ser igual, ou até pior, do que o seu sucessor, qualquer que ele fosse! Brilhante, não?

    Agora, relativamente a Passos Coelho, este mesmo argumentário simplista conduz fatalmente a este bloqueio mental oposto: será útil criticá-lo e apontar-lhe os seus vícios e defeitos, ainda que tão grandes e notórios? É que não sabemos se o que viria a seguir não poderia ser pior ainda (o Seguro, por exemplo?), por isso, à cautela, o melhor será mesmo mantê-lo… Pois imagine-se como ficaríamos, se o seguinte fosse ainda pior (o Sócrates, por exemplo…)?

    E prontos, assim dormimos todos mais descansados e felizes…

  19. Caro “Estratega Cerebral”,

    A teoria de que “para pior já basta assim” não faz o meu género. Um líder é derrubado não por aquilo que poderia (não) fazer amanhã, mas por aquilo que fez no passado e sobretudo por aquilo que não fez…

    Não sei se interpreto bem o seu racional mas o seu 2º parágrafo confirma a simplicidade da minha argumentação, porque o racional a seguir para PC é o mesmo do seguido para o líder derrubado.

    No essencial, concordo com todos os que acham que estamos pior no sentido em que “temos mais do mesmo”, sem esquecer que as mesmas pessoas que ontem elegeram o líder foram as mesmas que o derrubaram. Ou ontem eram boas e hoje são más? Doa a quem doer…

  20. Prezado Paulo Jorge,

    o que eu vejo é que aqueles que ontem derrubaram o Sócrates por ser “mau”, hoje suportam dócilmente o Coelho, com medo de que a próxima perda de qualidade governamental seja ainda superior à que ocorreu em Junho!

    Apenas aponto esta incongruência. Cada um que tire as suas conclusões…

  21. A desonestidade intelectual por parte dos militantes do PS já há muito que não me surpreende.

    Que o Bloco de Esquerda não segurou o governo do PS/Sócrates é verdade, e ainda bem que o fez.
    Que o Bloco de Esquerda contribuiu para o derrube do governo do PS/Sócrates é verdade, e ainda bem que o fez.
    Agora, o que também (e principalmente) é verdade é que os principais responsáveis pelo derrube do governo do PS/Sócrates, foram os seus responsáveis, naturalmente a começar por Sócrates, mas até ao mais insignificante militante que permitiu e sustentou a continuação da acção incompetente e, se calhar, criminosa desse governo.
    O que também é verdade é que se hoje temos um governo ainda pior (helás) do que o governo do PS/Sócrates, a responsabilidade é fundamentalmente do PS, do PSD e do CDS que ao longo de mais de 35 anos de responsabilidades pela direcção dos destinos do país nada fizeram para melhorar o grau de cultura, de informação e de formação do povo português, deixando, por interesse próprio, que este não seja capaz de distinguir o trigo do joio e que seja capaz de eleger como seus representantes as figuras miseráveis que vemos nas bancadas do PS, do PSD e do CDS e naturalmente de aceitar como primeiros responsáveis pelo governo pessoas sem a menor preparação para coisa nenhuma (a não ser para a mentira, a manipulação e a intriga) chamem-se eles Passos Coelho ou José Sócrates.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.