9 thoughts on “404 QED”

  1. É a evolução a funcionar em pleno. Só sobrevive o que está adaptado ao meio, seja um ser vivo ou uma informação – e sendo que a biologia não passa de uma das formas da informação, o mesmo para a química e a física.

  2. E a informação só sobrevive enquanto o meio que a transporta sobrevive. É isso mesmo, Valupi.
    ___
    Gungunhana Meirelles, não conhecia a ladaínha do DMF, gostei bastante. Embora já não possa dizer o mesmo do tom auto-importante e pomposo com que a recita, em directa contradição com o conteúdo. Porque é que os escritores e poetas se levam tão a sério?

  3. My ass, o caralho. As Ruínas por exemplo estão todas, todinhas nas caches do Google. Mas vou deixar-te nessa tua ignorância porque és um malcriado. :-)

  4. Para sempre significa durante uns tempos. Podem ser maiores ou maiores, mas serão sempre uns tempos.

    O João Pedro da Costa tem meia razão, Vega9000 a outra meia: a cache do Google é para um sempre uns meses mais longo que o weblog.com.pt mas acabará por refletir o vazio.

    Agora, há locais que preservam o digital para lá das caches. Eis aqui, a título de exemplo, a primeira página do weblog.com.pt em 31 de dezembro de 2003, seis meses e uns dias depois da fundação, ou seja, há 9 anos:

    http://web.archive.org/web/20031231201405/http://weblog.com.pt/

    E no endereço seguinte, a primeira página NO DIA da abertura, 10 de junho de 2003:

    http://arquivo.pt/wayback/wayback/id1695184index0?year=2003&r_pos=1&r_t=7&col_pos=1&col_tot=9&l=pt&sid=026F394B58856E1E76EF66843CF6327B

    O archive.org já cá anda há muitos anos, penso que desde dezembro de 1995. E o arquivo.pt, projecto português, tem 130 milhões de páginas arquivadas entre 1996 e 2010, segundo informam no site.

    Sim: a menos que alguém os preserve, os arquivos digitais desaparecem. Mas não foi sempre assim com todos os suportes?

  5. João Pedro da Costa, falaremos concerteza. isto é conversa para durar uns anos.
    ___
    Paulo, no texto original falo de vários suportes digitais e de respectivas resiliências, sendo que os sites e blogs são uma parte. A cache do google irá à vida eventualmente, o archive tem mais hipóteses, concedo isso. Enquanto ninguém desligar a luz, i.e. o financiamento. A diferença está em preservação passiva (fundo da gaveta) ou activa (pagar as contas).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.