Vos estis sal terrae

*

Para além da escrita relevante, acutilante e entusiasmante, que é a sua marca, qualquer livro com palavras da Fernanda é também muito útil para chatear aqueles que nos aborrecem. Por exemplo, aquele ranhoso que até calha ser nosso cunhado, que em todos os jantares de família insiste em repetir o que papou no Sol ou no Correio da Manhã, assim perturbando a saudável deglutição das entradas e postres. Por exemplo, aquele imbecil que até calha ser nosso primo, que vai para os casamentos e baptizados atiçar a luta de classes e espalhar o seu ódio à burguesia, assim estragando a festa à tia e ao avô. Por exemplo, aquele pulha que até calha ser nosso colega de trabalho, que se vangloria de fugir aos impostos, enganar os incautos e desprezar os políticos, assim promovendo o cinismo à sua volta. Por exemplo, aquele bandalho que vemos na televisão a envenenar a democracia, que se toma como uma sumidade moral mas que não passa de um farrapo de gente, assim usando o seu poder para perverter a opinião pública.

Para todos eles, o envio deste livro – mesmo que nunca venha a ser compreendido ou sequer lido – é um sermão que enche de gozo a quem o dá.

19 thoughts on “Vos estis sal terrae

  1. valupi,
    vão estar presentes, naquela sala, dois dos meus ídolos, a fernanda câncio e o ferreira fernandes. gente por quem eu tenho um enorme respeito, gente que me faz pensar as palavras que leio. acredite, para a tríade estar perfeita, faltava lá o senhor. eventualmente, até estará. se for e vir lá um miúdo de 24 anos cheio de sonhos, fale-lhe. teria muito gosto.

  2. Valupi,

    está numa ilha cercada de gente desprezível se é verdade o que diz.
    Agarre os sonhos do nosso jovem amigo, ambos merecem ser salvos.
    Feliz de mim que não vou à televisão, e como não sou da “família” estou salvo. Uf.

    Sem acrimónia meu caro, mas como se pôs a jeito não resisti.
    Isto não parece obra sua.

  3. De acordo,Caro Valupi.
    A bela escrita de uma e de outro e a clara limpidez do que nos dizem, ainda me trazem saudades dos jornais, de que já fui consumidor inveterado.
    Custou-me largar o vício, quase tanto como o do cigarro, mas estava farto de bandalhos, de pulhas, de ranhosos, de imbecis, dos seus e dos meus.
    Quem lhes encomendou o sermão que lhes pague !
    Obrigado Fernanda Câncio, Ferreira Fernandes, Valupi.
    Jnascimento

  4. Por definição, os cancros surgem quando células defeituosas ou corrompidas se espalham ou expandem para o resto do corpo. O Valupetas acha o contrário e elogia a veia pregadora e missionária da cancro (que bonito… uma anti-religiosa militante santificada!). Ela é o sal da terra! O sal da socretilândia, claro, pois o que caracteriza a célula-mãe em torno da qual gravitam os valupetas e os jugulares é a defesa do Pinto de Sousa (aquilo maior do que o qual nada se pode pensar!). Porque se há coisa que o genoma socretino determina é essa predisposição para fazer propaganda às medidas que o Pinto vai tomando. É que até o gajo mais desatento se apercebe que o assunto das crónicas (e mesmo dos seus artigos no jornal «não oficial» do partido) da dita célula-mãe estão permanentemente em sintonia com a agenda governamental. Continua assim, Valupetas, que aquele lugar no parlamento que te prometeram ainda vai ser teu! Vê-se que sabes bem o que é preciso fazer para que isso aconteça…

  5. Isso são só os defeitos de caracter. Para uma lista completa dos defeitos físicos, incluindo o mau hálito e o pé chato, aconselho-te a consultares o banco de dados do Hospital de Santa Maria.

    E são primos e cunhados, etc. Terás alguma coisa contra as mulheres, isto é, as potenciais bandalhas, já que elas não fazem parte da tua lista de gente impossível de aturar?

  6. valter marques, não vou lá estar. Se tudo correr como planeado, estarei a passear na Linha do Estoril, Cascais e Sintra enquanto for dia. Programa turístico. Mas também te confesso a minha incapacidade para detectar jovens com sonhos, tenham esses jovens 24 ou 88 anos. Porquê? Porque ainda não conheci ninguém sem eles, somos todos sonhadores.

    Já que tiveste a simpatia de vir partilhar connosco uma parte do teu mundo, que tal dares mais uns passos nesse caminho? Se quiseres, e quando quiseres, envia-me para o email do blogue mais um pedaço desse mundo. Oferece-nos um texto. Um sonho, dos teus.
    __

    ovitelo, não tens jeitinho para a geografia.
    __

    Jnascimento, é como dizes, largar um jornal que fez parte do nosso dai-a-dia é processo longo e doloroso. E que falta que nos faz essa companhia!
    __

    edie e mdsol, somos três.
    __

    Kalimatanos, já não se fazem primos e cunhados como antigamente.
    __

    rvn, essa é também a pergunta que faço a mim próprio todo o santo dia.

  7. Mais que o tom de “rent boy” detectável, com a ajuda de muita maldade, no comentário de Valter Marques ou a definição de “cancro” muito primária do DS, aquilo que realmente me fez sorrir foi o apelo que a Edie fez a Mdsol – a caminho do chão com bate-cu iminente e amaldiçoando a proverbial casca de banana. Felizmente, vinha um eléctrico a chegar e não foi preciso chamar a ambulância.

  8. Kalimatanos, não percebi patavina do que disseste, mas como normalmente não interessa, nem me vou esforçar. Junta-te com a tua proverbial casca de banana e fecha o saco (esta parte é importante, por causa dos maus cheiros).

    (ah, reparei que escorreguei no acento. Riamos, Kalimatanos!)

  9. kalimatanos,
    neste mundo de “boys”, como o senhor lhe chama, eu prefiro falar em ideias, convicções. ocupo um cargo, a que cheguei por mérito, com o meu esforço, em que poderia requerer muitas ajudas, poderia ter “favores”, no entanto nunca o fiz, por respeito a mim mesmo. na minha opinião, quando se louva alguém, quando concordamos em certo ponto de vista, não quer dizer que estejamos à procura de favores. acho que devo valorizar o mérito de quem o tem. se os senhores concordarem com as observações que os bloggers do albergue ou do 31 da armada fazem, com as quais eu também concordo, regularmente, quem sou eu para ir criticar. chama-se respeito pela opinião alheia, apenas isso. respeito.

  10. valter marques,

    pode registar para o futuro, estou do lado de que cada um é como é ponto.
    Mas, de experiência vivida o que lhe garanto é que nunca vi ninguém a “ocupar um cargo” por ter ideias, convicções e mérito. Com vinte e poucos anos ainda menos, mas poderá ser um provável Rui Pedro Soares, o tal génio da PT.

    Recato é possível?

  11. caro ovitelo,
    não tenho que expor a minha vida em blogs, mas ocupo o cargo de presidente de junta, sei que é um cargo mal visto por muitos – também eu verifico que são necessárias reformas administrativas profundas a nível autárquico – mas se lá cheguei foi pelo meu trabalho, uma vez que, num concelho conservador como aquele a que pertence a minha junta, onde o PSD é poder desde 1976, penso que não ganhei pelos meus lindos olhos. mas cada um com a sua opinião. podemos desvalorizar o cargo, podemos. orgulho-me do que faço, orgulho. mas faço-o pelos meus fregueses, não por mim. abdiquei o convite de um jornal de tiragem nacional, para o cargo de jornalista e tenho que trabalhar de noite para poder sobreviver, porque não é com os 274 euros que ganho, que sobrevivo. já perdi muito, já abdiquei de muito, mas não me arrependo. é possível eu ser pouco inteligente, mas tenho as minhas convicções. perdoem-me.
    tenho a certeza que nenhum dos meus fregueses vem ler isto, falamos do portugal profundo, população envelhecida, sem acesso à internet, logo isto não é campanha.

  12. Caro Valter,

    isto de expor a vida em blogues não lembra a ninguém em seu perfeito juízo. O exercício que nos trás aqui, por mim assim é, pode ser visto por diversas perspectivas. De um lado, temos aqueles que se exprimem como os índios, por sinais de fumo enigmáticos e sem sentido, por outro, como nós estamos a fazer, brincando, um pouco a sério, mas sem mais.

    Assim, ficou mais claro o que dizias, és um eleito de uma pequena freguesia. Parabéns, é tarefa que não invejo. Quanto a deixares passar um emprego com futuro por amor ao povo. Não é doença, passa com a idade e não é grave. Uma profissão é muito mais importante para tua vida. Quando se é eleito por aqueles que nos conhecem é já da esfera do mérito como dizes. Essa dos olhos bonitos também ajuda nas eleições, mesmo só de velhos.

    Um abraço, vou seguir o escreves.

  13. Valter Marques,

    Um mundo de “boys” não é, exactamente, um mundo de “rent boys”. Depois de me ter facilitado os dados do seu problema, que apreciei em todos os seus detalhes, politicos e profissionais, mais os sacrifícios, não sou eu que irei explicar-lhe a diferença entre esses mundos, porque senão ainda poderia ficar mais ofendido. Peço-lhe portanto que esqueça a minha falta de tacto e se concentre no divertimento, que lhe fará bem, tenho a certeza.. À nossa maneira, somos todos bonacheirões e gente de bem. São as putas das nossas ideias e a vaidade exagerada que temos de tê-las que estragam tudo.

    Um dia o seu Portugal Profundo vai aperceber-se disso e chegar-nos a roupa ao pêlo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.