Viva Salazar (na memória da luta pela liberdade)

«Totalmente de acordo (mas também não usaria o manifesto exagero do “de baixa estirpe”…).

O maior problema não é haver um Museu dedicado a Salazar, a coberto duma suposta interpretação da «História Pátria».

O maior problema mesmo é não se ter ainda conseguido mostrar Salazar, logo desde os bancos da Escola, como ele efectivamente ficará na nossa História: o férreo impulsionador de uma Ditadura, dita “mole” e alegadamente de inspiração Cristã, mas ainda assim criminosa e interminável, qual doença crónica e muito grave, mas não mortal, continuando sempre apenas a ser realçados os únicos aspectos em que o nosso “brando” Ditador terá tido um papel globalmente positivo na História de Portugal, em especial no reequilíbrio das contas públicas, logo nos inícios do Estado Novo, e na opção pela neutralidade, durante a 2ª Guerra Mundial – feitos sem dúvida relevantes, mas limitados a determinados períodos muito concretos e que não poderão nunca ofuscar o seu papel essencial no Séc. XX português, nomeadamente:
1) na interrupção da modernização geral do País levada a cabo, com grande sucesso, pela 1ª República, apesar da constante sabotagem violenta por parte da contra-revolução monárquica – outra das verdades históricas que infelizmente ainda não se ensinam nos bancos da Escola;
2) no apoio declarado – e praticado – ao insurrecto Franco e no consequente seguidismo acrítico em relação ao Fascismo e ao Nazismo, em especial na estreita colaboração com a Alemanha em alguns dos aspectos mais vergonhosos do Holocausto dos Judeus europeus;
3) na incapacidade de encetar uma Descolonização tempestiva na Índia, na África e em Timor, a par das que foram conduzidas pelas outras Potências coloniais europeias, que tivesse podido evitar a tragédia das guerras de libertação;
4) no bloqueio económico duradouro que originou em Portugal, ao rejeitar o Plano Marshall, forçando a população de menores recursos a uma Emigração maciça, durante décadas consecutivas; e
5) no prolongamento “ad nauseam” de um Regime político anacrónico, que se poderia ainda considerar, com alguma benevolência, minimamente actualizado e compreensível até 1945, mas que ficou “fora do Tempo” pelo menos a partir da adesão de Portugal à OTAN, na qual o nosso País teve a “honra” de ser, durante décadas a fio, o único com um Regime não-democrático.

Ora se o tal Museu de Santa Comba tiver cinco módulos que desenvolvam historicamente e com seriedade estes cinco temas, então, sim, eu quero ir visitá-lo. E de preferência com os meus Netos, os quais gostaria contudo que já lá tivessem ido antes de mim, com todas as Turmas da sua Escola. Isso, sim...»


__
Oferta do nosso amigo António das Neves Castanho

16 thoughts on “Viva Salazar (na memória da luta pela liberdade)”

  1. pois, só que daqui a um século, Salazar será visto como um governante muito à frente : biológico e minimalista, sujando e gastando pouco a Natureza. pan , verdes e tal vão tomar conta do poder, os parâmetros para avaliar governações mudarão… tudo o que agora acham bom será lixo amontoado.

  2. “no reequilíbrio das contas públicas, logo nos inícios do Estado Novo, e na opção pela neutralidade, durante a 2ª Guerra Mundial – feitos sem dúvida relevantes”
    Esta questão da neutralidade e os elogios de todos à fugida com o cu à seringa da 2ª Guerra, PCP e extrema -esquerda incluídos, sempre me irritou. Neves Tacanho, evidente anti-salazarista não resiste ao elogio
    Eu não tenho nenhum orgulho nisso.
    Antes vejo como cumplicidade para com o Eixo e cómoda cobardia o facto do ditador se por de lado e fossem os outros jovens, principalmente americanos, ingleses e russos, a morrer aos milhares para livrar o mundo das loucuras e atrocidades de Hitller e Mossulini.
    Preferia que tivéssemos participado, teria muito orgulho nisso.

  3. ó pá. a pegada ecológica do botas corresponde a um chinelo de enfiar no dedo , pensa que isso não vai ser valorizado no futuro pós amazónico , jp ? será visto como um ecologista de grande visão holistica e premonitória , o fundador do paradigma ambientalista, no mínimo ! -:)

  4. Segundo o novo e “especial” conceito de ecologia desta caixa de comentário muito maior ecologista teria sido Hitler que com a sua guerra sobre a Europa limpou o planeta de várias dezenas de milhões de seres humanos que andavam sujando e gastando a natureza.
    Mais um século e Salazar e o do bigodinho&suástica serão vistos como governantes muito à frente, biológicos e minimalistas, que deixaram pegadas ecológicas “especiais” nos seus mui especiais campos de concentração.

  5. Bom, essa do não aderiu ao Plano Marshall não é bem assim. Parece que aderiu foi, tarde e a más horas, porque numa primeira fase, recusou .

    Não tenho paciência para ler o texto todo de Maria Fernanda Rollo mas o link é este :

    https://www.academia.edu/613396/_Portugal_eo_Plano_Marshall_história_de_uma_adesão_a_contragosto_1947-1952_

    Na página 862 consta :

    “ — Os Estados Unidos tomariam uma parte, por exemplo, 50% ou 40 milhões de libras dos saldos portugueses em esterlino-ouro, com todas as suas garantias e condições de reembolso;
    — A importância em dólares dos Estados Unidos correspondentes àquela importância seria utilizávelunicamente na aquisição, nos Estados Unidos, de equipamentos e mercadorias para execução de planos de fomento na metrópole e colónias. “

    Nota : após o término da II Guerra Mundial, e de acordo com o texto de Maria Rollo, o total da dívida inglesa a Portugal, era de 80 milhões de libras esterlinas .

    Segundo li em tempos, a maior parte, se não todo o montante do empréstimo Marshall, foi utilizado na construção das barragens hidro-eléctricas no norte . A maquinaria necessária para o funcionamento das barragens e o próprio cimento para a construção, foram comprados com o dinheiro do empréstimo.

    E por aqui se enxerga que já naquele tempo, se faziam acordos ruinosos para o Estado .

    Por isso, digo, tínhamos e continuamos a ter governantes de merda . Daí, o meu moniker .
    Vivo num pais de merda, com políticos de merda, e um regime de merda . Se acham que um país é digno e próspero, com uma juventude a servir os estrangeiros à mesa, e a transportar mochilas às costas, em motoretas, então … sejam muito felizes …

  6. Para bom entendedor, a maquinaria e o cimento acima referidos, foram comprados aos americanos .
    Portanto o empréstimo era do género “ toma lá um em empréstimo para fazeres compras na minha loja “ .

  7. bem , agora a sério, se forem procurar quais os desafios e propostas dos ambientalistas estão lá chapadas algumas , muitas coisas , de que o senhor botas é acusado. ou seja, continuando na linha dele, do desenvolvimento sustentável a longo prazo e prezando o rural e refreando a pulsão consumista dos pobres de espírito, hoje dariam cartas na cimeira do clima…uma suíça climática :)

  8. Nesse caso yo bora matar todos os humanos e deixar o planeta coberto de belas e lindas florestas.
    Talvez dessa beleza única nasça algo também único, algum yo yo.

  9. se estiver atento , somando uma série de factos, como bactérias e fungos multiresistentes, catástrofes ambientais, excesso de população, águas contaminadas,aberrações cientificas na área da genética, vai ver que não falta muito para a próxima extinção. a maça do conhecimento é tramada, quando lhe dá para mexer nas coisas sem qualquer tino destrói paraísos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.