Verdadinha – Não por aquilo que nós dizemos

AL – Na resposta que o Governo deu à crise, que aspectos é que poderiam ter sido tomados por si também, se estivesse no Governo?…

MFL – Não! Teria tido exactamente a oposição oposta daquela que o… Tenho dito isso imensas vezes, tenho feito propostas à Assembleia da República, tenho dito isso em intervenções, no sentido de que, o combate que foi feito à crise, por parte deste Governo, é um combate que, do meu ponto de vista, está a ir no sentido errado. Está a piorar e não a melhorar. E isso é visível nos resultados. Porque com tanta medida tomada, com tantas acções tomadas, com tanto dinheiro que é anunciado, alguns efeitos devia ter. E nós vimos que, por exemplo, o desemprego não tem parado de aumentar. Então, é porque a política está errada. Porque as políticas avaliam-se não por aquilo que nós dizemos sobre as políticas, porque normalmente quem defende as políticas gosta sempre delas, e está convicto de que elas são correctas. Agora, a verdade é que se estivessem correctas dariam efeitos benéficos: estão a dar efeitos que não são benéficos. E se não estão a dar efeitos… Se estão a dar efeitos que são benéficos, há que mudar de política. […]

A Manela sabe que a política são resultados, não paleio. É por isso que não perde tempo a falar de propostas, ideias, soluções, até porque não as tem. Mas mesmo que tivesse, admitamos recorrendo a supercomputadores, não valia a pena falar nelas porque ainda não existiriam resultados, toma e embrulha. São os resultados que contam, esqueçam a trabalheira das operações, dos cálculos, do pensamento. Vide o desemprego: se aumenta, a política está errada. Haverá coisa mais simples de entender pelos simples do que este simples raciocínio? Seguindo a implacável lógica, se o desemprego começa a subir em todo o Mundo, sem excepção, por causa de uma tal de crise como há 80 anos não se sofria, isso apenas quer dizer que as políticas de todos os países estão erradas. E que, muito provavelmente, a culpa do que acontece em cada um desses países é também do Eng. Sócrates. Dela é que não é, com certeza, pois tem dito imensas vezes que com isto da crise as coisas estão piores, não melhores. Espera… o quê, há uma epidemia de gripe? O número de atingidos não pára de aumentar? Nesse caso, as coisas na saúde estão a piorar, não a melhorar. E terá de ser o PSD a mudar a política da gripe, porque os socialistas nem um reles vírus, que é um bicharoco tão pequenitotes, conseguem obrigar a não infectar a gente. Espera… o quê, vai chover e ventar? Bom, estes socialistas, realmente…

A Manela não mente. Verdade verdadinha.

11 thoughts on “Verdadinha – Não por aquilo que nós dizemos

  1. Eu tenho Gauloises, mas quem parece que anda a fumar umas coisas(estranhas) é a Nelinha. O que me safa é que daqui a meia hora estou na mesa do fundo.

  2. Na verdade, a crise não atinge o PSD, que, pelo que se sabe, se arremediou em tempo. Ora, quem é que sabe prever ou prover o futuro? O PSD, sem dúvida! Mereciam ser todos conselheiros de Estado, esses grandes carolas!!!!

  3. eh pá, mas perante este esgasgamento colossal (resultado de nada ter a sugerir) porque razão é que a entrevistadora não pergunta à velha porque não aplicou então os seus remédios quando, no governo psd/cds, o desemprego subiu 3%? imaginam o sócrates a dar uma resposta deste tipo e o ricardo costa e gomes ferreira a passarem ao assunto seguinte? claro que já não largariam o osso…..
    a velha joga claramente da bancada, mandando bocas a torto e a direito. mas mesmo aí a incoerência e o engasgando é revelador daquilo que criatura vale.

    p.s. esta semana foi inaugurado o resultado do investimento da dow/airliquide/cuf em estarreja. este foi mais um dos grandes investimentos feitos no consulado sócrates (a par da enercon, fabrica da ikea, pescanova, portucel, etc) . tivesse o governo psd/cds conseguido pelo menos 1 investimento deste tipo e estaríamos hoje bastante melhor….

  4. Sempre atento, o ZZZZZZ…

    Bem como o Carlos Santos no VALOR das IDEIAS ( apreciem o estilo).

    A Nelinha fala e da sua boca só sai M……, com um M GRANDE.

    Quando for Primeira Ministra nem os Estivadores se “safam”.

  5. Caro Assis
    Eu tentei ver melhor as «bocas» da MFL e não é que não consegui ver nem uma a direito.
    «A torto e a direito»,penso que estás a ser um pouco lisonjeiro, com a senhora…

  6. Por motivos que agora não interessam não tive oportunidade de agradecer os cigarros, mas mais vale tarde que nunca. Obrigada!
    Agora, lá vou fumar mais um…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.