11 thoughts on “Vamos lá a saber”

  1. O Cavaco procurou brilhar no Conselho de Estado daí, a sua intervenção
    foi no sentido de reafirmar os convénios subscritos por Portugal para a
    contenção dos défices etc. e tal mas, acabou por ser mal entendido na sua
    explanação, deixando a impressão que estaria a defender a aplicação de
    sanções ao nosso país … como foi noticiado pelo “Público”!
    Como há sempre um comendador agradecido e, lutador pela verdade dos
    factos, o Xavier que por vezes, se veste de lobo, saiu em defesa do visado
    e conseguiu autorização do Presidente Marcelo para falar sobre o que se
    passou na referida reunião … como um verdadeiro cavaleiro andante!!!

  2. Mas que pobreza de motivação dos partidos do governo. Ainda o Cavaco é motivo de alguma argumentação?
    que pobreza de “factos”!!

  3. Mais uma data de atletas campeões da Europa, logo mais aí uns 10 ou 12 comendas que terão que ser atribuídos ( sugiro que o Presidente mande fazer uns azulejos com fitinhas , sempre sai mais barato, por este andar). Já agora , gastei algum tempo , sem sucesso, a procurar se haverá algum benefício atribuído a quem é comendador… Alguém me poderá ajudar ?
    Antecipadamente agradecido

  4. o cavaco disse o que disse: temos que obedecer. o xavier resolveu defender a bela adormecida e pediu autorização ao alcoviteiro marcelo para fazer um broche de desagravo na televisão brochista do sócio número um do partido da brochada.

  5. AAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHHH !!
    Mas o Cavaco disse alguma coisa ?

    Deve ter sido:

    Maria. Temos carapaus alimados para o alomoço?

  6. Até que enfim, temos cavaco outra vez. Já estranhava a falta de tema, agora mais premente porque não está no governo da geringonça.

  7. Pregar a austeridade e o “rigor”, enfim, o cumprimentos disto e daquilo, quando é para os outros, é fácil, não estão cientes de que a creatura foi agraciada com uma sentença dum tribunal qualquer que mandou devolver, a ele e aos(às) demais ( Leite magro, digo magra ) os montantes relativos aos cortes nas aposentações dos funcionários do banco de portugal, acrescidos de juros à taxa de 4 % ?
    Nada mau, nos tempos que correm, quem me dera um depositozito a prazo a 4 % ao ano !
    A partir daí, transfigurou-se : nunca mais enviou mais nada para o tribunal (in)constitucional. E tornou-se paladino e feroz crente do TINA ( there is no alternative ) em cavacolês, ” tenho interesse na ama-de-leite “

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.