29 thoughts on “Vamos lá a saber”

  1. para já deveria ser suspenso, depois corrido da psp por aldrabar o relatório e julgado por agressões. em condições normais o sindicato da corporação safava o gajo, mas como estamos em ano de eleições pode ser que se foda para os direitolos mostrarem um troféu nas eleições. galo do carago a cmtv filmou aquela porra, senão o bófia ainda pedia uma indemnização por uma escarreta e danos na farda.

  2. Com uma boa polícia em Porttugal, os vistos Gold ficam mais carotes.

    Não ataquem a polícia que ajudam ao nosso ganha pão.

  3. O mesmo (em género, não grau) a aplicar às miúdas que se divertiram com as bofetadas. Vais por aqui só porque é divertido, certo Val?

  4. Joaquim O., aposto que tens alguma coisa interessante, ou tão-só gira, para dizer, mas vais ter de me ajudar a perceber qual é. Qual é ela?

  5. Nada, Val. Sou assíduo por aqui, tão só. O giro da coisa (desta vez) foi a tua pergunta. Julgo perceber o teu interesse no fórum da TSF. Aquilo, de facto é esclarecedor e, não poucas vezes dou por mim a ouvir, e ouvir e ouvir. Digo isto sem ironia.

  6. Existem duas situações: o “delinquente” massa bruta que tem nervos a mais e civilidade a menos, e por outro lado uma certa cultura de brutalidade avulsa que grassa nas forças de segurança, e ainda, numa outra instância o aborto que é próprio “sistema de justiça”. O agente em questão deve ser tratado disciplinarmente sem dó nem aquela manteiguinha com que se amolecem as falhas deste tipo. Se for identificado, humilhado e publicitado pelas redes sociais (e na rua onde mora), também não mete dó nenhum… Um tipo com tanta adrenalina é besta mesmo, um cachorro perigoso…
    Por outro lado – e mais “estruturante” – as forças de segurança devem ser expurgadas do cheiro a cabedal castrense, bota grossa e cassetete gratuito em que se transformaram…. E também o “sistema de justiça” deve levar um pontapé no cu, dado com vigor por parte dos cidadãos, por exemplo acabando-se com aquela frase arrastada e hipócrita que todos os sacanas reproduzem até à exaustão afirmando “ter confiança na justiça”… Se há coisa que não dá confiança a ninguém em nome de coisa alguma é mesmo a “autoridade” e o “sistema de justiça”. Comecemos por por a canalha que abusa da toga e do cassetete no lugar que merece, ou seja, um lugar como qualquer outro, em pé de igualdade com quem lhes paga o salário…

  7. Se um polícia tem a infelicidade de usar a arma que traz à cintura e a consequência fôr a realização do objectivo para que foi concebida é preso. Se tem o azar de utilizar o bastão que traz do outro lado do corpo é linchado. Então, para quê andar armado? Porque não usar lenços coloridos em vez de pistolas e cacetetes? Era muito mais fotogénico.

  8. Aquilo em Guimarães foi “bestas contra bestas”. As bestas que destruiram e armaram desacatos, e as bestas que espancaram a torto e a direito, cegamente, como besta que investe sobre quem a provoca. O Miguel Sousa Tavares fez, a propósito, um dos comentários mais despropositados que já lhe ouvi. Disse que, contra bestas, besta e meia. Disse ” que se fosse lá fora” (Espanha ou Berlim ou Londres? ) o arraial de porrada seria muito pior. Os “nossos” até foram mansinhos a bater. Aquele idoso espancado ia direito ao cemitério, que era para aprender. Alguém falou aí em punir os agentes que bateram em excesso ou sem motivo? Já se esqueceram que desde Miguel Macedo ministro, na polícia não se toca? Já se esqueceram que para governantes e justiceiros a impunidade é total e absoluta? Não repararam que deixar fazer ondas, para fingir democracia, e depois, com o tempo, esquecer tudo´, é a regra de ouro? E que sucesso! Lembram-se daquela história da divida escondida da Madeira, que foi classificada de “coisa nunca vista” pelo ministro Gaspar? Como vai ser o fim da história? Quem foi preso? Quem beneficiou? Empresas e nomes de empresários e suas ligações políticas? Aqui funcionou na perfeição o segredo de justiça, que funciona na perfeição sempre que os super-magistrados querem e podem e mandam.

  9. Como o agente parece mentir à descarada com todos os dentes que tem , proponho um estágio de um ano junto a alguém acima de qualquer suspeita no que à seriedade e honestida

  10. Como o agente parece mentir à descarada com todos os dentes que tem , proponho que se tente corrigir eese desvio comum estágio de um ano junto a alguém com provas dadas e acima de qualquer suspeita em assuntos de seriedade e honestidade, Pedro Passos Coelho.

  11. Deve ser convidado a comparecer no estádio, na festa da entrega da taça, devidamente acompanhado de todo o Corpo de Intervenção, para abrilhantar a festa, distribuindo uma valente carga de porrada.

  12. Deve ser agraciado com o grande colar da Ordem Militar da Torre e Espada, do Valor, Lealdade e Mérito, por num só acto ter conseguido agredir três gerações de concidadãos portugueses, ao mesmo tempo deve ser castigado o f**** da p*** que filmou isto tudo e aquele polícia que se armou em protector de menores… Deve ser pedófilo!

  13. “… aquele polícia que se armou em protector de menores…”

    encurralado pelas cameras não teve outra solução e a mesma visão de futuro de carreira foi desperdiçada pelos colegas da corporação que poderiam ter aproveitado os restantes membros da família para saírem em braços depois de terem arreado no pai, empurrado os filhos e o avô. seria bués de pungente ter imagens de um agente a torcer um braço a um velho para o ajudar a atravessar a rua e o outro mano a ser conduzido por uma orelha para não se perder da família. cambada de parolos ainda acredita há justiça e que a polícia serve para proteger os cidadãos.

  14. “… aquele polícia que se armou em protector de menores…”

    esse vai ser condecorado no dia da raça para salvar a face da polícia, enquanto o povo esquece o comissário silva, que entretanto vai para adido numa embaixada ou caso o sindicato o deixe cair, a sua cabeça será servida nas próximas eleições para reforçar o slogan: a impunidade acabou.

  15. Um destes dias acordamos sem políticos que prestem, sem polícias que nos defendam dos ladrões e dos arruaceiros, com tribunais dedicados à poesia de expiação da turba que se alivia nas redes sociais.

  16. Lucas, eu já me considero acordado nessa realidade, que se há-de pensar, quando os opinantes televisivos consideram que as jotas produziram um quadro de grande qualidade e de futuro muito promissor, referem-se ao ministro Jorge Moreira da Silva, o do imposto sobre os sacos de plástico, uma taxa que incide sobre os mesmos, por alegadamente, serem inimigos do ambiente, então, pergunto eu, e depois de taxados, já passam a ser amigos do ambiente ?

    Sem dúvida, um grande futuro pela frente, já estou a imaginar outras geniais inovações políticas, imposto sobre ex-fumadores, taxa sobre aderentes ao saco de papel ou de pano / plastic bag tax avoidance, e por aí adiante …

  17. Cá para mim, o homem de Guimarães (para distinguir do homem do Bussaco) teve um dia terrível, desde logo a seca de estar de serviço a um domingo, quando podia ocupar o dia com coisas bem mais agradáveis, acresce que devia já ter os ouvidos azucrinados com todos aqueles “operacionais de escrivaninha” na retaguarda a transmitirem-lhe ordens, orientações, sugestões e bitaites – o prevalecente modelo de gestão de 5 timoneiros e 1 remador – e então, depois de ter admoestado sobre a saída intempestiva e pontificado sobre os inconvenientes de levar crianças para ambientes e situações daquelas, o que até nem é descabido, perante a reacção do agredido, que foi a de levantar o braço esticado na direcção em frente, como que a dizer que a saída era apenas alguns metros à frente, passou-se dos carretos, pois que o cidadão não só não tinha ligado patavina ao sermão, como ainda, estava a pôr em causa toda a estratégia securitária, cuidadosamente urdida pela mente policial … só assim se entenderá a insólita reacção, e bem assim, o argumentário, cuspiu para mim e rasgou-me a farda, ou seja, uma outra forma de dizer, borrifou-se para a minha palestra, e estragou a estratégia policial previamente delimineada, personificada pela farda.

    Quanto ao miúdo, não se preocupem, pode suceder que lhe venha a ser disponibilizado apoio psicológico pelo MAI, quiçá, talvez até, por aquela psicóloga que leccionava na ACADEMIA DA POLÍCIA, e que um dia afirmou perante as câmaras da RTP, que não acreditava que nenhum polícia partisse deliberadamente para a agressão, sem ter sido previamente provocado …

  18. A ministra já deu o mote: “não vou permitir que se julgue um polícia na praça pública”. Os outros cidadãos, claro, podem ser julgados na praça pública. Ela também, suponho. A justiça é uma para polícias e outra para os restantes cidadãos. Exemplar!!! Portas e Passos aplaudem. Cavaco cala e consente, porque este é mesmo o governo que lhe “enche as medidas” . O governo, as policias e os super-magistrados.

  19. A culpa é do governo, que é o responsável pelas insuficientes condições — em termos materiais e de meios humanos — em que opera a polícia. Evidentemente que o caos dae uma situação de desordem pública de massas — e, por isso, incontrolável — gera a confusão e a desnorte das forças policiais.

    Também é verdade que Portugal vive uma enorme crise social, da qual decorrem estes fenómenos. E o governo que se aliou à troika no saque ao país é o único responsável por esta crise social sistémica. Admiram-se que haja pessoas — com aspecto de cidadãos comuns! — a saquear lojas de material desportivo em Guimarães? Os credores de Portugal, mais os traidores da nação portuguesa que lhes recolhem o saque, haviam-lhes antes dado o imperial exemplo.

  20. em guimarães a polícia limitou-se a ver e o chefe a aliviar as frustrações no pai dos putos, prato que o benfica serviu nos ecrãs gigantes do marquês para justificar o vandalismo da claque, depois foi esperar que a primeira garrafa entorna-se o caldo, bófia danadinha para vingar a humilhação da corporação em guimarães e a gandulagem do costume a surfar o descontentamento.

  21. Val, para o caso, não se trata do esclarecimento que me dão as opiniões do fórum, mas sim das reações que as perguntas de cada fórum procuram e induzem. Tal como esta que nos trouxe aqui. De facto, o agente agrediu uma família, que as imagens não mentem. De facto, pelas imagens nada parece justificar uma reação daquele calibre. De facto, a imagem obriga a que haja consequência. Dito isto, a merecer castigo (e a ressalva – apesar da imagem – é fundamental, sim senhor), não faço ideia de qual possa ser. O que não quer dizer que não venha a ter opinião acerca do castigo (a existir), e sobretudo acerca do modo como foi apurado (se o for). Seja para o agente da PSP, seja para José Sócrates.

  22. quem colocou a comissario um homem com aquele perfil psicologico tambem deve ser expulso da corporação.do comissario só posso dizer o seguinte: é um tresloucado. lamento o que se passou no marquês com a nação benfiquista.afinal não é só em portugal que há merda!

  23. espero que os sportinguistas,mostrem a diferença caso vençam ou percam a taça de portugal.depois devemos pugnar por novas eleiçoes para a presidencia do sporting,pois com um presidente como o actual é dificil o sporting sobreviver por muitos anos.se só um pode ficar,para bem do sporting que saia o actual presidente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.