Vamos lá a saber

Quem é que está convencido da versão (mas que pode bem ser a verdade dos factos) em que 6 jovens universitários são apanhados por uma onda no Meco e morrem afogados sem que estivessem sujeitos a qualquer outro constrangimento?

4 thoughts on “Vamos lá a saber”

  1. Só me ocorre uma das Leis da Estupidez Humana enunciada por Carlo M. Cippolla no seu ensaio “Allegro ma non troppo”: “O facto de uma pessoa ser estúpida é independente de qualquer outra condição dessa mesma pessoa”.

  2. Depois de tudo o que veio a público, e com profusão, só me ocorre perguntar: quem ordenou o encobrimento e quem tem poder para subjugar, desta forma, a Justiça em Portugal? Depois do caso Casa Pia, agora o caso das mortes no Meco. Quem será, de facto, o DDT? (dono disto tudo). Nem num caso nem noutro se quis investigar. Repito: quem deu a ordem; quem tem tal poder sobre a justiça em Portugal? Por contraste, investigou-se até ao absurdo a do Freeport E por pouco não se gastaram mais umas centenas de milhar a investigar o famigerado “atentado contra o estado de direito” protagonizado pelo suspeito de sempre, Sócrates. Será que a poderosa mão invisível que protege os banqueiros e os praxantes da Lusófona é a mesma que durante seis anos perseguiu o anterior PM? Ou não há mão invisível alguma e a justiça entrou, há muito, em roda livre, julgando quem quer, quando quer e como quer? E não teve o PS uma data de ministros da justiça que deviam zelar pelo regular funcionamento da justiça?

  3. não morreram na praia: morreram na casa e depois foram atirados ao mar. só os peixes, o guna que ficou vivo e outros que não constam da estadia, conhecem a história. é o resultado do fundamentalismo académico imbecil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.