12 thoughts on “Vamos lá a saber”

  1. Está acorrer às 1000 maravilhas. Melhor não podia ser. Até já entraram na fase de ocupação permanente de lugares chave dentro aparelho do Estado. Quem vier vai ver-se grego para fazer seja o que for…. Culpa ? Da vergonhosa oposição, do arco do poder, que temos….

  2. Tudo pelo melhor! Um ajustamento quase perfeito … até, se não
    houver qualquer imprevisto, iremos continuar a seguir o caminho
    dos irlandêses e dispensar o apoio de U.E.! Há imensas inscrições
    para investimento estrangeiro no país, todos os dias chegam os
    investidores … vão ser construidos mais 15 hotéis na àrea de Lisboa!
    A sic tem concedido montes de tempo para propaganda do governo,
    a entrevista do rogeiro ao irrevogável vice portas o charlatão de fei-
    ras e romarias e, ele bem diz que, são só mais 6 meses para nos livrar-
    mos da troika … depois podemos decidir por nós próprios!??!

  3. Não sei no que é que estes acéfalos se baseiam, para garantir que em Maio/Junho nos vamos ver livres da troika. A Irlanda que está muito melhor que Portugal no equilíbrio das suas contas, e que nada tem a ver com a Lusitânia, segundo declarações , de um destacado membro do BCE, só não aderiu a um plano de convergência, por não preencher as condições para tal. Daí o ir correr o risco de regressar aos mercados sem ajuda. Mas quando é que estes vendedores de banha da cobra ganham juízo e deixam de aldrabar os tugas.

  4. Não sei. Tenho cá para comigo que já viram melhores dias. Há (pode ser apenas um impressão), paira um perfume indelével a fim de ciclo de confiança, a princípio do fim dos colaboracionistas, a máscara está a cair. A ver se aparecem, então, as tais alternativas partidárias, que tão urgentes são. Bom final de Um de Dezembro.

  5. Não sei se foi à direita saudosista ou se foi à democracia que saiu a sorte grande. No curtíssimo prazo, parece que tudo corre de feição à direita bafienta. Mas pode ser uma “victória de Pirro”, porque a verdade ‘e que os portugueses ficaram a conhecer a direita herdeira do fascismo em toda a sua extensão: manhosa, hipócrita, desumana, antipatriota e traidora, como sempre foi, aos interesses da nação, fazendo prevalecer os mesquinhos interesses de casta. Como vai cair do pedestal, não sei. Penso que o vendaval virá do exterior, que os de dentro foram domesticados como bois capados e que, tal como eu, se limitam a carpir a triste sina nas redes sociais. Somos uma multidão de valentes, revoltados sim, cada um em sua casa ou nas tertúlias de café. Para além, claro, daqueles que despejam a sua impotência ou conformismo nos teclados dos PCs. A frustração não podia ser maior. Afinal, os que agora são humilhados, como os professores, estiveram na linha da frente para colocar esta gente no poder. E não me digam que não sabiam ao que estes governantes vinham. Acreditaram em tudo o que PSD/CDS/PCP/BE lhes venderam. Sabiam que havia um impreparado pronto para ser o trampolim perfeito para o assalto completo ao “pote”. Sabiam que estavam a tirar o tapete a uma equipa de homens honestos e conhecedores da situação do país. Pois não pensaram duas vezes. Juntaram-se à volta de um jotinha que nunca soube o que era trabalhar para ganhar a vida. Sabiam e escolheram esta nulidade para dirigir o país em meio de uma gravíssima crise internacional que nos afectava terrivelmente. Não tiveram a mínima dúvida em dar a esta gente o poder absoluto. Agora, aguentem-nos até 2015, que o Cavaco é todo deles. E bastam umas dezenas de policias de choque para conter a raiva inútil dos que, à pinguinhas, se vão manifestando na rua. O primeiro sinal de alguma esperança seria ver o PS correr com o Seguro, que parece ter tanto medo de governar como o diabo da cruz. Não compreendo por que motivo este senhor se fez ao cargo, no PS. Às vezes chego a pensar que o Seguro é a perfeita toupeira da direita e a sua primeira função como chefe da oposição foi certificar, pelo silêncio, todas as barbaridades atribuidas aos governos PS por uma direita que em devido tempo o irá recompensar.

  6. O “protetorado” em que vive esta “gente honrada” continua a ser defendido com unhas e dentes pela “boiada”. Os maduros, os lombas e os branquinhos da fonseca estão confiantes. Já nem se lembram do dia 1-12-1640… É verdade, estes “patriotas de lapela” têm limpado o terreno. Mas como tudo é composto de mudança, o fim do seu protetorado caminha para e enterro.

  7. depois de mais uma receita de farófias, temos o sermão aos peixinhos:

    “… ainda me lembro bem de ter chegado de Angola há não muito tempo e de ser preciso de acordar bem cedo para ir para a fila arranjar leite para poder consumir em nossa casa – havia racionamento de alguns produtos essenciais.”

    http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=699942&tm=6&layout=121&visual=49

    só me lembro de um país miserável, que foi solidário com este filho da puta e de uma espécie de racionamento do abastecimento de combustíveis que nunca funcionou, matrículas pares/ímpares. se tivesse de se levantar cedo para ir trabalhar não mentia tanto e dizia menos asneira.

  8. Maria Abril,

    Acreditaram sim, nisto que escreveu: «E não me digam que não sabiam ao que estes governantes vinham. Acreditaram em tudo o que PSD/CDS/PCP/BE lhes venderam.» A minha única questão prende-se com quem tinha (tem) o controlo dos meios de comunicação social; com o facto de terem sido à época testadas e aprimoradas em PT as técnicas da calúnia e da desinformação política aparentemente habituais do outro lado do oceano. Não lhe parece que muitos dos que acreditaram talvez que já estejam do seu lado e do meu? E que eventualmente até possam ser seus/nossos aliados?

  9. Esta Maria Abril, afinal, deve ser um outono manhoso e pardacento. Nem é mau de todo: vê restrito e vago: Ainda bem!
    José Luís Moreira dos Santos

  10. Está tudo a correr bem, sim, mas só no “palco”.

    Na “plateia”, pelo contrário, está tudo a dar para o torto! E cada vez se nota mais.

    Quando o pano finalmente descer (nenhuma ilusão dura para sempre…) e as luzes da “sala” se acenderem, veremos então como ficam as coisas para a pior Direita que já (se) governou em Portugal desde o 25 de Abril…

    Acho que alguns dos “artistas” vão ser arrebanhados dos “camarins” e passeados pelos corredores em “pelota”, até um destino que ninguém pode hoje adivinhar.

    Que uma multidão enganada e em fúria é sempre imprevisível.

  11. Está tudo a correr tão bem, tão bem, mas tão bem…

    Só falta mesmo é o “consenso” com os xuxas. Não é, ó sô Rui Rio?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.