Vamos lá a saber

Chumbando o Orçamento e indo-se no mais curto espaço de tempo para eleições, as coisas ficarão na mesma ou o eleitorado vai solucionar a crise aberta pelo BE e PCP?

14 thoughts on “Vamos lá a saber”

  1. Chumbando o orçamento e indo para eleições o BE e o PCP desaparecem o Chega sobe meia dúzia de votos, o gajo que saiu do armário tem 15% de votos e o Melo fica sozinho na assembleia. O PS fica com maioria mas como a abstenção vai ser elevada não chega para a maioria absoluta.

  2. Não sei se vai solucionar a crise, como devia, estou certo é que vai determinar qual vai ser a sua, a nossa, sorte, qual vai ser o seu, o nosso futuro. Bem gostaria de estar optimista!

  3. não sei , mas não aprovar o orçamento por motivos obscuros (qual é a coisa horríiiivel de direita que o orç. tem?) ou por birra , não deve agradar a muita , muita, gente e não deve render muitos votos.

  4. se as eleições forem já os portugueses ganham um bom orçamento e o costa uma maioria absoluta, perde a direita e a esquerda ranhosa.
    se forem daqui as uns tempos, quando as sondagens garantirem ao presidente a vitória da direita organizada, depois de 6 meses de campanha orquestrada pela comunicação social e destabilização social com a ajuda do pcp e be, teremos mais uma vitória da santa aliança à maneira do pec4, um orçamento para os ricos torrarem ao gosto cavaquiano dos anos 90 e um governo participado pelo ventrolha, parrachita e filosofo remaxiano diogo amorim. será avisado ter passaporte válido nessa altura.

  5. Não tenho dúvidas que a esquerda toda sairá perder! Quem perderá mais? Irá depender da percepção que ficar no eleitorado quanto à culpa da falta de entendimento.
    Mas todos ficarão a perder, tanto mais que há que contar com o factor Marcelo, que terá a faculdade de calendarizar a crise e não tenho dúvidas que o fará de maneira a favorecer ao máximo a direita.
    Há que reconhecer que a ideia que fica é que a esquerda não é capaz de se entender, pelo que é perfeitamente normal que os eleitorado procurarem outra solução de governação.

  6. Depois de ouvir nos últimos dias o AFilipe, o JOliveira, o JSousa e um outro cujo nome não me lembro agora, desconfio bastante que JSousa, quando disse que o PS só não formava governo se não quisesse, estava a dar o pontapé de saída para montar uma cilada ao PS, seu (do pc) inimigo figadal. Fê-lo com êxito. ACosta não merecia este desfecho, o povo também não, só possível porque à esquerda, como disse o outro, é tudo um putedo. A esquerda portuguesa está polvilhada de oportunistas e vendidos. A direita vai voltar ao poder com o RRio – até mesmo com o paneleiro.

  7. Se repararem os porta voz de ambos os partidos meteram a velha cassete. Então no PC a colocação de voz a pai fundador do deputado Oliveira é uma evidência. Martelam as respostas sem faltar, vírgula, pausa ou alteração de vocabulário. Quando os jornalistas contratados para executar a estratégia começaram a fazer o discurso de que o governo ia cair tinham os ouvidos bem cheios do que ouviam nos mentideros. Isto é PC e BE ajudaram a missa passando o que circulava nos corredores das sedes. E a palavra era este não vai passar. Não há aqui ideologia nenhuma há uma estratégia politiqueira de quem vê uma sangria nos votos de votação em votação. Da direita não espero diferente e aceito nesse aspecto sao honestos sabe-se o que pretendem da esquerda (qual esquerda ?) não esperava. É uma traição feita a um partido que apoiaram por terem duas visões que se conjugam fraqueza do PS sangria nos votos. Nunca lhes dei o meu voto, não darei e fico feliz por isso.

  8. Mais uma pergunta desfasada da realidade. Não existe crise aberta pelo BE e PCP. Ou, pelo menos, crise que seja relevante. A crise que verdadeiramente conta é a crise sistémica, a crise deste regime.
    Um regime político jacobino e maçónico, ontologicamente hostil aos superiores interesses da Nação.

  9. E lá vem ele, cantando e rindo, aos peixes pregando… perdão, as víboras maçónicas e jacobinas namorando, cantonês e mandarim alternando, esganiçadamente desafinando, com a bota ameaçando, no botas de Santa Comba se inspirando, pide “erudito” recauchutado, pobre coitado de pirilau mirrado, não converte ti nem mim, mas insiste, persiste, não desiste, como é triste!

  10. Português pelo amor da santinha de que tu mais gostes lá do teu oratório mas cala-te. Isto já não é para ti . Pareces um fantasma , um morto vivo. Queres chatear? Olha enquanto te leio chateias, mas depois dou uma volta e esqueco-me. O que me chateia é a conjuntura dos vivos a dos zombies não.

  11. Zombie: um adjetivo adequado para qualificar este (des)governo de impatriotas de barrete frígio e avental maçónico. Também perfeito para adjetivar as víboras, que botam faladura, enquanto mordem o pó da terra ou chafurdam na lama.

  12. Se as eleições fossem pagas por quem as provoca “outro galo” cantaria:
    Quando não se tem responsabilidades governativas não custa reivindicar o que quer que seja. Aqui refiro-me ao PC e BE. O CDS e companhia não entram nesta equação.
    Enquanto não aplicada uma “nova lei” que outros países já aplicam de o partido ou coligação que vencer as eleições receberam um bónus, por exemplo, de mais dez deputados vamos viver com o espectro de governos sempre à espera de um ou mais partidos que lhe dê apoio.
    Assim como está só está bom para os partidos de contestação. Nada tem a perder. A não ser alguns deputados.
    Se OE for chumbado parece que estou a ver os deputados do PC a deslocarem-se de táxi para a Assembleia da República. Quanto ao BE numa carrinha de nove lugares.
    É como se diz: “quem corre por gosto não cansa”.

  13. CRISIS ENERGÉTICA
    Teresa Ribera viaja a Argelia por el cierre del gasoducto que atraviesa Marruecos hacia España en plena crisis energética
    https://elpais.com/economia/2021-10-26/teresa-ribera-viaja-de-urgencia-a-argelia-por-el-cierre-del-gasoducto-que-atraviesa-marruecos-hacia-espana.html

    Será que alguém pode ajudar a perceber onde está Portugal metido nesta confusão ? É que só se ouve falar da crise energética, dos preços, etc. , mas parece-me que o assunto fia mais fino e só vamos ter conhecimento da realidade quando abrir-mos a torneira /interruptor e a lâmpada não acender nem o esquentador aquecer a água. Ou estamos fora desta situação ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.