Vamos lá a saber

Se nos dermos ao exercício de escolher os mais importantes jornalistas portugueses – importantes no sentido em que o seu trabalho jornalístico corresponde à consistente produção de um bem com valor para a qualidade da democracia e para a defesa dos direitos e das liberdades – que nomes registaríamos numa lista de 10, ou de 5, ou 3?

48 thoughts on “Vamos lá a saber”

  1. nomes de jornalistas ou de activistas ? para informar ou para dar catequese nos valores politicamente correctos ocidentais de aujourd’hui ?
    dos 1ºs lembro-me do cerejo ,

  2. Para não repetir os indicados por João Braga Filho, acrescentaria Adelino Gomes, Vicente Jorge Silva e Joaquim Furtado

  3. “… com valor para a qualidade da democracia e para a defesa dos direitos e das liberdades…”

    não sei… talvez aquele senhor que descarrega aqui linques e copypaste de publicidade ao financiador principal da direita alternativa europeia.

  4. Na minha modesta opinião:
    Ferreira Fernandes, sim mas está a colaborar numa espécie de blogue/jornaleco da cidade de Lisboa, ligado a uma empresa multinacional (americana?) de comunicação e maketing digital. Os jornalistas são acessórios para dar credibilidade.
    Joaquim Furtado, claro.
    O Vasconcelos não foi militante do PSD? Não é, propriamente, uma referência mas é relativamente moderado e ganhou alguma dignidade.
    Assumo a minha ignorância quanto ao Adelino Gomes. Não conheço a produção recente deste senhor.
    O Vicente Jorge Silva, vaidoso, também aderiu ao facilitismo da moda anti sócras para se safar, …náá.
    António José Teixeira, outro acólito do tio Balsemão, o spin doctor português suave? Hell, no!
    É este o Cerejo? Lóle!
    https://youtu.be/DyZzyqSJTFw

    Quanto a mim, tenho que procurar na prateleira, porque no activo…
    Diana Andringa, Estrela Serrano,…
    ainda se lembram do Carlos Fino?
    O Carlos Santos Pereira.
    O José Goulão especialista em assuntos do médio oriente, não é grande apologista de Israel, tem que se resumir a um blogue chamado “O lado oculto”.
    Ah, ainda mantém o emprego a promissora Eduarda Maia que, embora tenha escrito uma medrosa (ou merdosa) biografia do mafarrico, ou talvez por isso, acabou por se deixar ficar pela rádio.
    A Sandra de Sousa, também, lá se vai arrastando abaixo das estrelas provenientes da SIC.
    E não me estou a lembrar de mais ninguém, para já.

  5. Falando do Ferreira Fernandes e da “Mensagem de Lisboa” que foi agraciada com uma bolsa do Facebook Journalism Project, “… está incluída no Newspack – o projeto da Google com a WordPress para sites de editores locais e hiperlocais…”, é apoiada por um grupo que se entitula “O valor do tempo” que inclui marcas como “A Brasileira” e aquela merdas de lojas, tipo Disneylândia, que vendem latas de conserva, entre outras.
    Pergunta francamente e inocente:
    Este grupo é composto por empresas portuguesas que se juntaram, ou umas foram compradas, outras criadas e agregadas por um grupo de investidores?
    Alguém tem informação fidedigna?
    São portugueses ou estrangeiros?
    Já que temos estado a discutir informação, interesses geo políticos, agendas e manipulação, talvez seja interessante averiguar.

  6. Jorge Van Krieken
    Carlos Santos Pereira
    Adelino Gomes
    Joaquim Furtado
    Diana Andringa
    Alexandra Lucas Coelho
    José Goulão
    Fernanda Câncio
    Ferreira Fernandes

  7. Ferreira Fernandes
    Bárbara Reis (investiga, conclui apoiando-se em dados concretos, foge ao carneirismo)
    Adelino Gomes
    Joaquim Furtado
    Estrela Serrano
    Vicente Jorge Silva
    há mais

  8. “Pergunta francamente e inocente:
    Este grupo é composto por empresas portuguesas que se juntaram, ou umas foram compradas, outras criadas e agregadas por um grupo de investidores?
    Alguém tem informação fidedigna?
    São portugueses ou estrangeiros?
    Já que temos estado a discutir informação, interesses geo políticos, agendas e manipulação, talvez seja interessante averiguar.”

    o gajo que diz ser contra ataques pessoais e que faz perguntas inocentes quer identificar os parceiros da “mensagem de lisboa” para averiguar se é manipulada e têm agenda política. és mesmo burro, passas com o algodão e levas ao nariz, se não cheirar qanon não presta e deveria ser queimado por não estar ao serviço do povo.

    tens aqui o link, caso saibas ler podes inventar umas conspirações ao serviço do medina, a direita já tentou e não conseguiu.

    https://amensagem.pt/transparencia/

  9. Vá-se lá saber porquê, não me ocorrem outros que não os avençados do patrão do mano Costa, incluindo os do eixo da maledicência.
    Para quando a devida homenagem ao boneco do ventrículo que dá pelo nome JGF?

  10. Tovarich Vieira, meu! O bully mariconço hoje não te larga a braguilha! Borrifaste-a com Chanel n° 5 ou quê? Queres roubar-me a namorada, a fofíssima e ternurenta Miss Piggy von Porcalhatz?

  11. A estupidez desta besta é tão grande que até dói!
    Esqueçam que alguma vez defendi o direito deste animal por aqui andar a cuspir em tudo o que é comentário que não cumpra a sua fanática e infantil lógica. Até a mim este idiota ressabiado já começa a enjoar!
    Ó básico de merda, achas que estou preocupado em cascar no Merdina? Ele entala-se sozinho. Infelizmente é um triste que não chega aos calcanhares do Costa e vai deitar tudo a perder. Quis estar na vanguarda dos anti socráticos e anda a provar do fel que destilou. É o karma, temos pena.
    E se parasses de alocar neurónios aos dedos para te sobrar algo que te ajude a pensar?
    Talvez reparasses que lançaste bosta a kilómetros do alvo, mas nem sequer mereces que te volte a explicar o tema da pergunta. Pede ao Camacho que te faça um desenho porque eu não tenho a sua paciência de santo para te dar troco.
    Vê se aprendes a fechar a tampa do esgoto de vez em quando, meu. Deves andar com algum problema mas, acredita, a culpa não é minha. É capaz de haver alguma droga que possas enfiar nesses cornos para acalmar essa raiva que te impede de raciocinar em condições.
    Faz-me um favor, se não te importares:
    Quando não perceberes uma pergunta, pede civilizadamente que te elucidem e, se não souberes responder (acontece aos melhores), cala-te.
    Please?

  12. é certo , qd via televisão lembro-me de gostar das análises de António José Teixeira , que nomearam acima. ainda por cima ditas com uma bela voz -:)

  13. Olh’o Van Krieken…
    já nem me lembrava do homem. Envolveu-se no caso Casa Pia, certo?
    Não foi este a quem a Felácio Cabrita disse que ia “morder o cu todo”?
    Estou a fazer confusão ou este senhor foi quem concebeu o “Muito mentiroso” que denunciava esquemas e envolvimentos de autoridades (polícia, juizes, procuradores, etc) com jornalistas para baralhar o processo, desviar as atenções de alguns poderosos e, “en passant” embrulhar o PS no emblemático caso de pedofilia.
    Para mim, esse foi o ensaio geral, em termos de coordenação dos mérdia com o sistema judicial que permitiu o posterior sucesso retumbante no assassinato de carácter mais bem conseguido de que tive conhecimento.
    Claro que estou a falar do Sócras. Freeports, Marqueses e afins, foram jogadas merdiáticas que encaixaram que nem peças de Lego na mente virgem e salazarenta deste povinho que começava a chocar com a realidade do fim do verdadeiro regabofe dos fundos estruturais, fonte de enriquecimento de tanto social-democrata. O Sócras foi o perfeito bode “respiratório”. Estava no lugar certo, na hora certa e, ainda por cima, cortou regalias aos juizes.
    Não tenho muitas dúvidas que estas campanhas são projectadas fora de Portugal. O pessoal, aqui, não tem assim tanto andamento.
    Desculpem o à parte, já estou avariado da corneta.
    Voltando ao Van Krieken, o que é que lhe aconteceu?

  14. “Estou a fazer confusão ou este senhor foi quem concebeu o “Muito mentiroso” que denunciava esquemas e envolvimentos de autoridades (polícia, juizes, procuradores, etc) com jornalistas para baralhar o processo, desviar as atenções de alguns poderosos e, “en passant” embrulhar o PS no emblemático caso de pedofilia.”

    yah… confusão, insinuação e difamação é a tua especialidade. desta vez nem o teu padrinho camacho te safa dumas orelhas de burro. experimenta fazer outro comentário com os impropérios habituais e acusa-me de estupidez por não perceber as tuas ironias.

    nem deu para chegar ao “Desculpem o à parte, já estou avariado da corneta.”, afinal não é ironia, é avaria na corneta.

  15. “Não tenho muitas dúvidas que estas campanhas são projectadas fora de Portugal. O pessoal, aqui, não tem assim tanto andamento.”

    sim, em marte com a colaboração do josé gomes ferreira. o andamento resolvia-se contigo no acelerador de partículas de idiotice.

  16. Sinceramente, acho que, com a raiva que te move, nem lês o que teclas, quanto mais o que os outros escrevem. Faz uma retrospectiva das tuas intervenções nos últimos tempos para veres do que falo. Também pode ser Alzheimer, quem sabe?
    Eu sou avariado da corneta, mas tu és mesmo doente. Desculpa não ter a capacidade e paciência do Camacho para te malhar. O teu gozo deve ser lêr as bojardas que ele te dedica, todo nú e masturbares-te enquanto choras de autocomiseração. Sorry, vai bater a outra porta.
    Além mais prefiro falar das minhas estapafurdias teorias da constipação do que andar no ping pong com palhaços como tu.

    E eu que te pedi tão educadamente para fechares a cloaca…

  17. Em diferentes dimensões: Reinaldo Ferreira (Repórter X) à beira dele o Marcello é um menino de coro, ou de Cascais, que vai dar ao mesmo. Antonio Paulouro (Jornal do Fundão) o exemplo. Maria Antónia Palla, para além de qualquer conotação recente foi sempre exemplo de verticalidade e ética para com a profissão e luta feminista. E Peninha (Jornal A Patada), desmente todos os anteriores e ajuda a manter o equilíbrio, num tempo de “aureas mediocritas” tanta virtude é suspeita.

  18. 1 – clark joseph kent
    2 – lois lane
    3 – jimmy bartholomew olsen
    4 – perry white

  19. o gajo faz perguntas difamatórias e insinuantes, não gosta da resposta e caga 17 metros de justificações pretensamente insultuosas para entulhar o buraco onde se meteu. antes tinha vindo o donzelo em socorro da donzela com o lança perfume nº. 5, que a coco tinha receptado dum françiú (ernest beaux) que fazia espionagem de cheiros na rússia. o mundo é pequeno e a cabeça destes gajos acompanha na respectiva escala.

  20. Vieira, o Van Krieken não “se envolveu” no processo Casa Pia. O que fez foi desmontar a aldrabice da coisa da pia, que, como muito bem dizes, “foi o ensaio geral, em termos de coordenação dos mérdia com o sistema judicial”. Antigo jornalista do Expresso, foi lá que escreveu o primeiro artigo a enquadrar o assunto, que, para quem não estava a dormir, devia ter servido de alerta para a vergonhosa colaboração político-jurídico-merdiática que se avizinhava e, pouco depois (e até hoje), submergiria a Tugalândia.

    Aí dava nota da colaboração entre alguns polícias, elementos das secretas e prostitutos do Parque Eduardo VII, que levou à criação de um ficheiro de clientes que permitiria, eventualmente, chantagear ou enterrar uns e encobrir outros, com vista à prossecução de agendas presentes e futuras, políticas e não só. Foi salvo erro nesse artigo de Jorge Van Krieken que apareceu a primeira referência a “uma” assídua frequentadora do Parque Eduardo VII conhecida entre os “profissionais do sexo” que aí efectuavam o seu esforçado labor como Catherine Deneuve, devido à cabeleireira postiça que usava nessas audaciosas e deliciosamente anónimas aventuras. A Deneuve, como sabemos, beneficia de imunidade diplomática total e tem uma honrosa pós-graduação, obtida em Harvard, na difícil arte de passagem entre os pingos da chuva.

    O Muito Mentiroso foi uma coisa anónima que, tanto quanto me lembro, misturava verdades com ficções que se autodesacreditavam, assim desacreditando o todo e contribuindo para a impunidade dos alegadamente “denunciados”. Há muitas maneiras de esfolar um gato, como sabes, e aquela merda pareceu-me assim uma espécie de Protocolos dos Sábios do Sião à moda da Curraleira. Posso estar a ser injusto com os seus autores, mas foi essa a ideia com que fiquei.

    O Van Krieken não era anónimo, tendo criado um site (e não um blogue) chamado Repórter X, em “homenagem” (julgo que irónica) ao pseudónimo de Reinaldo Ferreira, jornalista, dramaturgo e até realizador de cinema que ficou para a História como “inventor” de crimes e outras situações dramáticas que só existiam na sua prolífica imaginação e que depois descrevia em excitantes reportagens prenhes de escabrosos e sanguinolentos pormenores. Para esse efeito, chegava, sem qualquer acanhamento, a encenar locais de crimes inexistentes, enchendo de sangue de galinha chão e paredes de um quarto de pensão, por exemplo. Numa dessas encenações teve até a colaboração bem-humorada de Stuart Carvalhais, conhecido homem dos sete ofícios (no seu caso parece que mais do que sete). Foi desenhador, caricaturista, ilustrador, actor, encenador e muitas coisas mais.

    No site Repórter X, por amor à verdade e honrando o jornalismo que era então a sua profissão, Van Krieken desenvolveu um exaustivo trabalho de investigação e desmontagem da treta da pia, com reprodução fac-símile de documentos, inúmeras entrevistas com alguns dos “inocentes” meninos protagonistas do enredo e funcionários da Casa Pia, etc. Chegou a disponibilizar, online, a gravação áudio da edificante situação que acima referes, em que a Cabrita, ao telefone, ameaça elegantemente que lhe morde o cu todo, apesar de (ouve-se no áudio) ele a avisar de que o telefonema está a ser gravado, ao que ela responde com a mesma elegância: “Estou-me a cagar!”

    Um décimo do que o Van Krieken publicou no Repórter X sobre a coisa da pia chegaria para perceber a vergonhosa aldrabice que aquilo era, apesar da junção de pederastas assumidos, como o embaixador Jorge Ritto, ao grupo de acusados, para credibilizar o resto do pacote. Van Krieken foi também o responsável pela divulgação do chamado “Envelope 9”, um CD na posse da “investigação” que, através do cruzamento de dados entre os números de telefone de todos os acusados, permitia concluir, sem margem para dúvidas, que nunca tinha havido qualquer contacto entre eles ou entre qualquer deles e o panasca predador da Casa Pia, o cobardola Bibi. Atendendo a que as alegadas pedofilações eram, de acordo com a acusação e o próprio Bibi, combinadas pelo telefone, isso bastaria, num país normal, para fazer ruir a aldrabice toda e meter na cadeia argumentistas, encenadores, actores e criadores de efeitos especiais do filme. Foi isso que aconteceu? Não, e do envenenamento persistente, endémico, que daí resultou ainda hoje sofremos as consequências. E continuaremos a sofrer amanhã.

    Soube depois que o Van Krieken (de que apenas conhecia o trabalho), casado e com dois filhos, um deles na altura acabado de nascer, foi alvo de uma tal avalanche de ameaças que, apesar da enorme coragem demonstrada, mas temendo pela segurança da família, acabou por sair de Lisboa, onde então vivia, e ir viver para o Alentejo. Nem aí os mafiosos o deixaram em paz e, tendo-lhe descoberto o refúgio, regressaram às ameaças, sempre sem dar a cara, como é próprio de cobardolas mafiosos. Não ganharam nada com isso, é claro, porque um homem livre assim não receia cobardes e sabe certamente como se defender.

    Os truques da cobardia mainstream merdia de então, já infestada de criadagem, e que não difere da cobardia mainstream merdia de agora, da qual Jorge Van Krieken destoava gritantemente, arranjaram uma fórmula simples para o rotular, emprateleirar, catalogar, desacreditar, anular. De cada vez que eram obrigados a referir o seu nome, nomeadamente aquando do Envelope 9, a fórmula era sempre a mesma: “Jorge Van Krieken, conhecido por defender Carlos Cruz.” Como vês, nada mais eficaz do que a simplicidade.

  21. Vieira, quando te diriges ao pide ranhoso e lhe dizes que “o teu gozo deve ser ler as bojardas que ele [Camacho] te dedica”, o que queres dizer com “bojardas”? Impropriedade verbal involuntária? Lapsus linguae?

  22. ” O que fez foi desmontar a aldrabice da coisa da pia, que, como muito bem dizes, “foi o ensaio geral, em termos de coordenação dos mérdia com o sistema judicial”.

    eheheheh… o que o gajo disse foi exactamente o contrário, que o jorge montou um blogue para limpar os direitolas envolvidos e embrulhar o ps na coisa pia. bom esforço, só faltou pulverizar a merda com coco 5 para dar cheiro respeitável ao estilo didático-ò-catedrático da palha que foste desenterrar na net.

    “bojardas”? Impropriedade verbal involuntária?

    ihihihihimpropriedade… não, chamou-te mentiroso, calino e deu-te um chuto violento na pêra sumarenta e doce

    bo·jar·da
    (italiano bugiardo, mentiroso, enganador, falaz)
    nome feminino
    1. Afirmação mentirosa. = INTRUJICE, MENTIRA, PETA

    2. Tirada disparatada. = ASNEIRA, CALINADA, PARVOÍCE

    3. Disparo de arma de fogo. = TIRO

    4. [Informal] Chuto violento. = PETARDO, TIRAÇO

    5. [Agricultura] Pêra de casta muito sumarenta e doce

    “bojarda”, in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/bojarda [consultado em 26-06-2021].

  23. Jorge van Krieken, que foi praticamente afastado do jornalismo por ser bom jornalista, merece-me respeito.

    Não esqueço uma excelente reportagem sobre a Madeira que publicou na revista do Expresso, com fotos do Luiz Carvalho, e que pôs o Jardim a vomitar insultos raivosos.

    No caso Casa Pia, em que foi ouvido como testemunha, foi alvo de acusações falsas, insinuações e ameaças, por ter revelado vários aspectos escabrosos da investigação da PJ e da actuação do MP. Teve de refazer a vida dele noutros lados, porque o jornalismo está quase monopolizado por cobardes, lacaios, vigaristas e militantes direitistas.

  24. José Pedro Castanheira é, há muitos anos, um dos melhores jornalistas portugueses. Anda um bocado refugiado na História, percebe-se porquê.

  25. a virilidade do camachismo com braguilhas armani sai um bocado apaneleirada, fixação possidónia ou projecção desviante?

    assobia pró lado, distribui empáfia e caga linques da mula russa como se não houvesse amanhã, infantilidade ou descontrolo emocional do envelhecimento?

    o vencedor deverá indicar a sua morada para envio do prémio (link musical the great pretender) por ctt expresso

  26. Quando vier a lei da rolha digital proposta pelo querido líder e promulgada pelo hipocondríaco eu quero ver quem é que será o jornaleiro que vai defender a liberdade e a democracia.

  27. Alô Camachô,
    É isso, já não me lembrava, por isso o referi em jeito de pergunta. Foram tantas as voltas e desinformação nos mérdia que a memória já não acompanha.
    A baralhação foi tanta que ainda há malta que continua a dizer que os xuxas são uma cambada de pedófilos.
    Não ligues ao idiota do trolha, que está a ficar completamente senil, inverte tudo o que escrevo para arranjar tricas e só diz merda. Parece uma porteira quadrilheira a tentar, desesperadamente, criar atrito entre os vizinhos. Já está a cair no ridículo.
    Creio que, bem ou mal escrito, se percebeu o sentido do que quis dizer.

    Quanto às “bojardas” que lhe vais assentando na regueifa, podes utilizar a lista de significados que o próprio tão diligentemente fornece e considerar as opções 3 e 4.
    Lóle!

  28. Ó Keijo, tovarich Vieirá. O bully mariconço é burro e aldrabão, como toda a gente sabe, e quando inverte o que dizes exercita os dois atributos: aldraba e inverte propositadamente o que escreves para te levar a “esclarecer” o que no escrito mais do que esclarecido está, dando-lhe a tão almejada conversa, e é tão burro que acredita que alguém cai na esparrela. Já o disse e repito: o bully mariconço não é apenas burro, é o pai e a mãe, a matriz e meretriz de todos os burros.

  29. “Ferreira Fernandes, sim mas está a colaborar numa espécie de blogue/jornaleco da cidade de Lisboa, ligado a uma empresa multinacional (americana?) de comunicação e maketing digital. Os jornalistas são acessórios para dar credibilidade.”

    isto é obra do porcalhatz para achincalhar o vieira

    “Estou a fazer confusão ou este senhor foi quem concebeu o “Muito mentiroso” que denunciava esquemas e envolvimentos de autoridades (polícia, juizes, procuradores, etc) com jornalistas para baralhar o processo, desviar as atenções de alguns poderosos e, “en passant” embrulhar o PS no emblemático caso de pedofilia.
    Para mim, esse foi o ensaio geral, em termos de coordenação dos mérdia com o sistema judicial que permitiu o posterior sucesso retumbante no assassinato de carácter mais bem conseguido de que tive conhecimento.”

    o idiota do trolha é que inverte tudo o que escrevo para arranjar tricas e só diz merda.

    até já expliquei tudo e o kamacho ainda explicou mais coisas que eu nem me lembrei de explicar para esclarecer o esclarecimento.

  30. Jornalistas ou comentadeiros? Muitas vezes não sei onde começa um e acaba o outro.
    O Cerejo não é aquele que tem uma predileção particular pela família Soares e outros socialistas, humm?!…
    Aproveito para enviar um grande abraço ao “mariconço”. É sempre um gosto ler o que escreve. Tem graça, sem ser engraçado.

  31. O idiota do trolha, para salvar a face, quer que eu confesse que penso o que ele quer só para não admitir que me percebeu mal. Isto faz algum sentido?
    Ainda bem que lhe achas graça, Sílvia. Pode ser que o gajo se acalme, sabendo que tem uma fã.
    Para mim, o tempo em que lhe achava piada, já passou. Quero mais é que vá enfardar clistéres de açorda.

  32. Foi sempre assim, Vieira, os bullies sempre tiveram séquito, admiradores, pequenos vassalos. Ainda há semanas vimos isso com aquela “heroína” adolescente que bullyava um colega na escola e fez com que o puto, ao tentar escapar, fosse atropelado. Atrás da “heroína”, rindo e aplaudindo com a alarvidade que caracteriza essa fauna, ia um séquito, uma matilha de groupies acéfalas.

    Às vezes dão-se mal, claro, quando têm o azar de dar com alguém não bullyável e passam a ser eles os bullyados. E então começam a choramingar, coitadinhos, e as groupies descabeçadas confortam-nos, que pena que eu tenho deles, mariconços cobardolas de merda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.