6 thoughts on “Vamos lá a saber”

  1. construir lares públicos para os milhares de idosos pobres e sozinhos que aí vêm. é que estes que vêm aí não têm galinhas, couves e vizinhos. proibir a exploração do idoso e o trabalho senil ( dos maiores de 65 anos) também era boa ideia.

  2. Senil és tu a deitar pela boca fora ofensas dessas a quem tem mais de 65 . O PR tem mais de 70 e está pronto para outra . O teu comentário fez me vómitos . Só faltou dizeres para cortarem a p… aos velhos

  3. se·nil
    (latim senilis, -e, de senex, senis, velho, idoso)
    adjectivo de dois géneros

    1. Próprio de velho ou da velhice. ≠ JOVEM, NOVO

    2. Velho; idoso.

    “senil”, in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, https://dicionario.priberam.org/senil [consultado em 05-08-2019].

    se acha que isto é uma ofensa..a velhice toca a todos e se proíbem pessoas de 13, 14 e 15 anos, saudáveis e cheias de viço, de trabalhar , chamando-lhe trabalha infantil, mais sentido faz proibirem o trabalho de pessoas na fase descendente da vida , cheias de mazelas e cansadas. e o pr faz uma bela figura , sim senhor, mais valia gozar a reforma e deixar o lugar a um tipo mais novo e com mais juízo.

  4. Não estão todas nos programas eleitorais de cada um dos partidos? Julgo que sim. E não reflectem o que deseja o eleitorado de cada um deles? Certamente que sim. Então está tudo escolhido e bem escolhido. Para quê nos preocuparmos mais com o assunto?

  5. yo tem uma boa dose de razão, parece que há uma grande falta de lares para idosos em algumas regiões do país, tanto que é extremamente difícil arranjar um lugar para um idoso que necessita. E os preços são muito altos. É curioso que se fale tanto de creches gratuitas ou baratas e nada de lares para idosos gratuitos ou baratos.
    Por outro lado, proibir os idosos de trabalhar seria incentivar a sua morte. Para muita gente, deixar de trabalhar é o passaporte para a morte.

  6. é isso. e o que eu quis dizer, de forma aparentemente ofensiva, mas era unicamente para ser irónica, é que o estado não pode resolver o problema da segurança social simplesmente aumentando a idade da reforma como se aumentasse impostos. as pessoas não aguentam e reformam-se antecipadamente com grandes cortes ou pedem pensão por invalidez também com cortes, logo , vão ter pensões reduzidas, vão empobrecer. o estado acha altamente poupar agora os tostões pró défice, mas não vai ser altamente quando essas pessoas ficarem vulneráveis.
    hoje, é preciso muito ,mas muito dinheiro, para ter conforto na velhice. qualquer pessoa que tenha pais idosos sabe isso : é médicos, medicamentos, assistência, fraldas e carradas de cenas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.