12 thoughts on “Vaidade, pecado capitoso”

  1. Não há que ter vaidade, quando temos consciencia de que estamos dentro da razão, de que estamos certos, de que não andamos a fazer o frete a ninguem do governo ou de um partido.Os vaidosos são os que, esses sim ,fazem fretes politicos e aldrabam e mentem para seguir uma agenda egoista e desonesta que só lhes interessa a eles e ás suas negociatas, enfim, os que se escondem e querem passar por gente boa mas mais não são que aldrabões.

  2. Também leio regularmente o que escreve. E dispenso os cuidados do JPP de querer proteger-me lá do que ele imagina, pressupondo que qualquer leitor não é suficientemente autónomo para ler.
    Francamente acho que o que desestabiliza o JPP é que Valupi escreve muito bem, mostra muito mundo, pega nos assuntos de modo original… Em suma: é muito bom. Lê-se com gosto mesmo que não se concorde com tudo. E isso provoca inveja. Por mim, nem complicava mais o assunto.

    Acho ridícula a “cena” do anonimato. Seria diferente se assinasse António da Silva? OU Bernardo de Alencar e Menezes de Vasconcellos. Mais uma vez não complicava o assunto: insistir na gravidade do pseudónimo é coisa de gente bedeira.

    :))

  3. Valupi, há muita gente que anda realmente muito incomodada e enervada, com o que se escreve aqui, sinal evidente que este blog tem tido um papel importante e determinante na denúncia da mediocridade duma oposição cada vez mais desacreditada para ser alternativa.
    Chega a ser infantil e ingénua a argumentação acerca da tua identidade, percebendo-se de imediato que a verdadeira intenção, de ser, a de alguém, tentar desacreditar através dos métodos caluniosos habituais uma pessoa, que mostra possuir uma capacidade que está claramente acima do seu poder argumentativo, levando a que, não se conseguindo vencer no campo da idéias, tentar trazer a luta para o campo da ignomínia, onde se sentem à vontade.
    Isto a mim dá-me um gozo enorme, imagino a ti como não te sentirás neste momento.

    Eu não acredito que este Zé Manuel seja o do Público. Este depois do que se passou e das «explicações desastrosas» por si prestadas deve querer estar muito quietinho à espera que que isto vaia caindo no esquecimento, a não ser que o homem tenha muito lata ou então, nem tenha, mínimamente, a noção do ridículo em que se meteu.

  4. Vaidade, pecado capitoso. por culpa, grande culpa, do Valupi.

    (&, vai ser e, se não for, faz-se)

    (elementar, meu caro jdias)

    (mct, até eu gostava de me conhecer)

  5. Boa malha! Teresa. Ultimamente tenho lido pouco do teu Blog mas continuo a ser o mesmo leitor atento quando lá passo. Gostei. Muito, muito.

  6. Obrigada, Zé. Ultimamente tenho andado a fazer uma cura de águas em relação ao blog, mas já percebi que não vou aguentar-me assim muito tempo. Fico entupida.

  7. Tereza, e o teu blog é…? Se calhar devia saber, mas esta cabeça já não é o que era.
    Cura de águas andamos todos a fazer, até os sapos já começam a reclamar com tanta chuva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.