Uma Sicília de emoções

Para além do que o Miguel já apontou – Seguro reconhece que, em três anos, não conseguiu criar uma alternativa ao Governo de direita de Portugal – Celorico da Beira foi palco para mais uma exibição da pulsão populista a que Seguro se entrega por nada mais ter a que se agarrar. Veja-se o primarismo alarve desta oratória de 4ª categoria.

E lá veio, fatalmente, o ataque de carácter e o “imenso magma de afectividade”:

Quando questionado sobre o manifesto de 25 fundadores do PS à candidatura de António Costa, respondeu que valoriza "todas as expressões de manifestação e, neste caso concreto, aqui no distrito da Guarda"

Lembrou que há 19 anos foi cabeça de lista pela Guarda e "ver que estas pessoas continuam aqui lado a lado, significa que as palavras foram sempre honradas, que há uma relação de confiança e hoje é muito importante que entre os eleitores e os políticos exista essa confiança".

O secretário-geral do PS disse que na noite de sábado viveu em Celorico da Beira um "momento de emoção" com "tantos apoios, com tantos amigos e com a afirmação" do seu projeto.

Fonte

À evidência de estar a ser preterido por aqueles que fundaram e construíram o PS, Seguro dispara contra a honra alheia reclamando ser o único cujas “palavras foram sempre honradas“. Que quer isto dizer? Por um lado, que os seus adversários não são pessoas de palavra, assim discursando para a audiência externa. Por outro, que tudo o que ele prometer a alguém irá ser cumprido, assim discursando para a audiência interna. Sim, aterrámos na Sicília. Mas é uma Sicília de emoções, com tantos amigos.

6 thoughts on “Uma Sicília de emoções”

  1. Mais um bocadinho e é visto a oferecer bonés, t shirts e sacos de plástico com a sua fotografia. O homem esta apaixonado por si próprio.

  2. Costa pensava que isto ia ser um passeio, disseram-lhe o pessoal de Lisboa que pensa que é mais esperto que os do Norte. Chegava a Seguro e dizia-lhe para sair e dar-lhe o lugar e ia ser canja. Seguro mandou-o às urtigas, e começou a minar, na Comissão política, nos deputados, nas federações, não conseguiu. Depois quis mudar os estatutos, ficou-se. Agora anda a debitar frases feitas e diz que são ideias, tudo oco sem conteúdo. Resta-lhe a imagem de punho erguido com o apoio dos media, mas é pouco para o poder absoluto que pede. O povo sabe que tem o apoio dos socráticos porque querem ir com ele de novo para o governo e não quer mais esta gente a mandar em Portugal. Eu voto Seguro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.