Uma péssima notícia a caminho

A hipótese de que Mohamed Lahouaiej-Bouhlel, o autor da carnificina em Nice, não tenha sido treinado, sequer instruído, pelo “Estado Islâmico” não é uma boa notícia. Significa que para as autoridades poderá haver agora um perfil terrorista completamente imprevisível e potencialmente indetectável a não ser posteriormente ao ataque, durante ou na sua iminência. Lá se vai a prevenção e a contra-espionagem para o galheiro. Esse perfil corresponder a um contexto de psicose em qualquer grau e de qualquer tipologia só aumenta o elemento imprevisível, como se vê por este caso e pelo que se sabe da planificação efectuada.

Mas a hipótese, a confirmar-se, corresponderá a um ainda maior triunfo do “Estado Islâmico” enquanto organização criminosa, porque seria a evidência de estarem a fazer um excelente trabalho de promoção da sua marca. Uma marca cuja força mediatizada estabelece uma dinâmica bipolar – acabando por aparecer tão fascinante para quem a defende e segue como para quem a abomina e teme – que chega e sobra para gerar ataques devastadores contra alvos civis aleatórios sem carência de logística nem sequer de financiamento.

Para quem dirige esta onda de terror, o facto de os seus agentes espontâneos poderem ser doentes mentais que passaram a vida alheados do Islão, ou até a dizer mal do mesmo, é absolutamente indiferente. Melhor, será algo que agradecerão pois permite acrescentar à retórica do martírio a da redenção. Perfeito para quem está a instituir uma forma de domínio político tão violenta e potencialmente destrutiva como a do nazismo. E perfeito numa cultura religiosa onde não existe um centro doutrinário a unificar interpretações do Corão, antes essa autoridade está atomizada e consente todas as intenções que se queiram atribuir aos textos considerados sagrados.

15 thoughts on “Uma péssima notícia a caminho”

  1. :-(

    mas também fico contente que a comunidade internacional perceba, de uma vez por todas, que os psicopatas ao serviço do terror podem ser, e estar, de e em qualquer lado com ou sem religião como brasão. miseráveis. :-(

  2. A França (e a Europa) está feita ao bife.

    Este terrorista, era tunisino, Tunísia que era colónia francesa até 1956 como a Argélia, e outros à volta do Sahara, enxamearam a França e as abelhas africanas são terríveis.

    Ora esses sacanas não suportam os festivais europeus desta nova “BELLE EPOQUE” que os “brancos” e as “brancas” se passeiam sem burca numcarnaval que nunca mais acaba.

    Ora aqueles africanos, neocolonizados preferiam continuar a ser colonizados para ter uma desculpa e comerem porco e tirar a burca.

    Invejosos

  3. Portugal regou com napalm e metralha a Guiné,Angola e Moçambique. A percentagem de população daqueles países de religião islâmica é assunto pouco divulgado. Quando o negro guineense mandar o camião que conduz para cima da multidão na feira da Malveira,também tu,de olhos ramelados,vais perguntar porquê???

  4. “Groups like ISIL can’t destroy us, they can’t defeat us. They don’t produce anything. They’re not an existential threat to us. They are vicious killers and murderers who perverted one of the world’s great religions.” – hussein obama, 24.03.16.

    “we’ve got to wipe out out isis, get nato involved and wipe them out” – trump, quase todos os dias

    isto é que é uma péssima notícia. é que haja um filho da puta chamado obama a fazer pelo terrorismo o que nem os próprios terroristas conseguem. como compreendo finalmente bem quem questiona a desaparecida certidão de nascimento e o cadastro universitário também desaparecido desse merdas. só um merdas deste calibre para apoiar uma poia de uma candidata que guarda segredos de estado da maior potencia nuclear do mundo na cave de sua casa. isto é uma absoluta vergonha. quando os eleitores elegem esta escumalha como seus representantes, não são os terroristas que nos destroem. daí mais uma vez a nojenta retórica deste pocalhão valerico, mero boca de servidão da cartilha terrorista. vai prá jihad que te pariu seu traidor, valerico de merda. que os americanos abram os olhos!

  5. Meu caro enapa: favorecemos o terrorismo quando, intencionalmente,esquecemos as suas causas. Quando não admitimos sequer que,como Nação,temos responsabilidades históricas no xadrez internacional que segrega a actual situação. Que temos estrita obrigação de colaborar na mudança dos esquemas que geram exclusão e pobreza : falo do fim da pobreza e da exclusão e não de revolução, a menos que os detentores do poder a exijam! Back to basics, é chato,não é? Quando já temos telemóveis,tão giros, mais inteligentes que nós…

  6. abraham ele há gente como tu que não percebe nada de timming. já foi o tempo de indagar sobre as causas de exclusão e pobreza. favorecer o terrorismo neste momento é não atacar o inimigo. cada dia que esperas enquanto indagas sobre a balela da exclusão e da pobreza, significa um inimigo mais forte e centenas de soldados que protegem a tua vida mortos. enquanto ficas aí especado a ouvir o filho da puta do hussein obama com aquele sorriso que tem tanto do imbecil por que te toma como de traidor, o isis prepara o próximo atentado. eu quero bem que se fodam as causas da exclusão e a pobreza, apenas quero que a exclusão, a miséria e a morte recaia sobre todos os filhos da puta dos islâmicos radicalizados, na senda do radicalismo ou que vêm para o ocidente com intenções de aqui exercer aquele culto tribal. sob o manto da nossa liberdade de expressão para a qual tivemos NÓS que derramar sangue. depois do caralho do profeta, dos árabes só vem merda, em especial o petróleo saudita.

  7. Ó enapalerma os terroristas até agora eram todos franceses de ascendência magrebina, Estás a sugerir que deveríamos bombardear a França ? Ou construir um muro a volta da França para não deixar os terroristas saírem?

    Explica lá!

  8. É evidente que a coisa está preta, na realidade, quem inventou o homem-bomba, foram os japoneses, pese embora, é certo, numa perspectiva diferente – enquadrados militarmente, sujeitos a uma disciplina militar, refiro-me, naturalmente, aos kamikaze .
    Meteram-lhe na cabeça que têm à espera uma legião de 70 virgens no paraíso ou coisa que o valha, e prontos. Talvez se algum teólogo muçulmano, moderado, os convença que na realidade, no caso, passarão a eternidade mas é à procura dos seus próprios estilhaços …
    Sim, porque um gajo não vai apresentar-se perante 70 virgens, todo feito em pedaços, antes disso, tem que primeiro, apanhar os cacos …
    Já no caso de variações sobre o tema ( atropelar pessoas com camiões, esfaqueanentos, apedrejamentos, empurrões para aqui e para alí, surripanço de carteiras de cruzados, etc. ) trata-se de meros suicidas falhados, pelo que, não haverá virgens, no caso, elas é que se farão explodir, e, se não se der o caso, de, por acréscimo, o mentecapto, levar ainda com as sogras das vitimas em cima …
    Religion de merde ! …

  9. por isso é que o trump se arrisca a ganhar as eleições, por haver cada vez mais enaparvos, que acham que o problema actual tem mão do presidente obama, que só é presidente há 7/8 anos.

  10. Enquanto vocês discutem os actos de loucos que podiam ser prevenidos com o regresso dos internamentos psiquiátricos compulsivos … o BCE faz TERRORISMO na CGD para a roubar aos portugueses e dar aos amigos da Goldman Sachs e &.

  11. Calma,

    Desde o inicio que sabemos que são pessoas desnorteadas, suicidarias, que encontram na propaganda do Estado Islâmico (ou na da Al Quaida) um pretexto para se atirar pelos ares e gozar o seu minuto de gloria. Quando têm preparação, é quase nada. Podem fazer estragos ? Pois podem. Isso também não é propriamente novo.

    E’ natural querermos reagir, mas não ha reacção eficaz que ignore um ponto funtamental : as reacções histéricas e idiotas, a que somos tão propensos porque vivemos mais dentro da televisão do que na realidade, são precisamente o alimento de que vive o terrorismo e aquilo que ele procura. Se quisermos fazer algo de util para diminuir a ameaça , podemos e devemos começar por ai.

    Boas

  12. Creio que este post terá sido escrito antes do ataque , por um afegão, com um machado, num comboio de passageiros alemão…

  13. Do outro lado Atlântico também se passa algo de novo e não, não são os Beatles que vão actuar no Stephen Colbert (sorry Conan, that’s life, I still love you)são mais os potenciais bluesmen que desistiram de fazer canções com as amarguras da vida. E estranho como ainda não foram feitas analogias porque ambos os “fenómenos” se baseiam em questões de identidade e raça, deve ser para manter as narrativas de ódios paralelas, se se encontram podem explodir e fazer luz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.