Uma justiça patriótica e de esquerda, com o patrocínio do CM

img_400x516$2014_09_05_23_54_15_401988

O Correio da Manhã – um esgoto a céu aberto que António Costa admira, defende e promove – podia ter feito a sua 1ª capa pós-sentenças do Face Oculta dramatizando o castigo imposto a essa figura patética chamada Manuel Godinho, o sucateiro crucificado no altar da Justiça furiosa. Teria sido uma capa do agrado popular. Ou podia ter colocado pai e filho Penedos lado a lado, dramatizando a desgraça que atingiu essa família outrora tão poderosa e reputada. Teria sido uma capa do agrado popular. Ou podia ter dado o protagonismo ao Tribunal, ou ao juiz que leu a sentença, assim dramatizando a excepcionalidade do processo e do seu desfecho exemplar e justiceiro. Teria sido uma capa do agrado popular. Podiam ter ido por aí, sem receio de perder leitores, se estivéssemos perante um tablóide apenas com interesses comerciais – e não face a um tablóide com uma agenda política específica e sistemática. Assim, a capa que montaram dramatiza a figura de Armando Vara e acrescenta-lhe uma ligação a Sócrates. O agrado popular terá à mesma sido atingido.

Dentro do pasquim, Miguel Alexandre Ganhão, subchefe de Redacção, expande a doutrina aveirense – Vara e Salgado – e anuncia ao povo que já pode dormir descansado: os monstros estão a ser caçados, finalmente. Louva “a igualdade de todos perante a lei”.

No Público – um jornal de referência, certo? – a Direcção Editorial também toma partido pelo povo: Justiça sem medo do poder. É isto que o povo quer, é disto que o povo gosta. O poder que se cuide. Daí terminar o seu manifesto em nome do povo com: “Vara disse estar «chocado» com a condenação. Os portugueses que acompanharam o processo não estão”. Vara, grande javardão, desiste. És apenas um contra os portugueses.

Mas o prémio para o maior amigo do povo tem de ir para o Jerónimo de Sousa, et por cause. Ei-lo, em 47 segundos, a dar-nos um lamiré do que poderá vir a ser uma Justiça patriótica e de esquerda: «A justiça funcionou neste caso». É o próprio que admite não ter lido o acórdão, sendo que tal pormenor em nada o inibe de concluir pelo funcionamento da Justiça. A Justiça terá funcionado para o Jerónimo, conclui-se por exclusão de partes, porque toda aquela bandidagem apanhou pela medida grande. É só esse o critério. Imaginemos que o Tribunal tinha ilibado os réus, ou imaginemos que o Tribunal tinha ilibado o réu Vara – nesse cenário, Jerónimo teria a certeza de que a Justiça não funciona e continuaria sem precisar de ler o acórdão. A rematar, a voz do povo: “Este princípio democrático de uma Justiça igual para todos é fundamental”.

Uma Justiça igual para todos nasceu em Aveiro, dizem em coro esses especialistas em povo que são o Correio da Manhã e o PCP. Contudo, há um sucateiro condenado a mais anos de prisão do que muitos assassinos e por causa de dinheiros a uma escala caricata quando comparada com outros escândalos financeiros. Há um ex-gestor de um banco que não viu provada em tribunal a existência da verba que viu provado em tribunal ter recebido. Há a decisão inaudita de recolha do ADN numa tipologia de crimes que até agora não suscitou tal necessidade em mais nenhum tribunal português. Há o dado estatístico bizarro de todos os 36 arguidos terem sido condenados. Ou seja, aquilo com que estamos a lidar nesta sentença poderá ser qualquer coisa menos a expressão de uma Justiça igual para todos. Tudo neste processo, desde o início e incluindo a exploração política que alimentou, é diferente e estranho.

Se com o Correio da Manhã e com o Jerónimo estamos perante sectários inveterados, já a posição do Público exprime o sentimento colectivo de que Armando Vara, fosse qual fosse a sentença que recebesse, estaria sempre condenado. Não se lhe concede a presunção de inocência depois de tantos anos de assassinato de carácter e perante a pulsão vingativa que a queda de Jardim Gonçalves originou. A sua carreira estava destruída, mesmo ilibado continuaria a ser perseguido. E nessa crença vem por arrasto a tentação para o inibir nos seus direitos. Caso um eventual recurso lhe reduza a pena ou o ilibe, tal gerará reacções furibundas dos especialistas em povo.

Queremos mesmo viver numa sociedade onde o Correio da Manhã e o Jerónimo é que estabelecem quais são os casos onde a igualdade de todos perante a Lei foi servida?

42 thoughts on “Uma justiça patriótica e de esquerda, com o patrocínio do CM”

  1. o correio da manhã está para o sócras como tu estás para o costa e já agora que falas nisso, nunca te vi uma referência à participação da evaporada isabel moreira na porqueira do crespo.

  2. Ao meter, à força, o nome de António Costa neste artigo, está a actuar exactamente como o Correio da Manhã em relação ao Sócrates. Lamentável!

  3. não! nem jornais nem políticos e nem juízes que não trabalham à medida. a justiça não pode entrar na fornada da revolução industrial.

    e não posso deixar de te dizer, Manojas, a propósito do que disseste, que a intelectualidade próspera baseia-se em factos.

  4. Olinda, será um facto que António Costa admira, defende e promove o Correio da Manhã? Será este o facto em que se baseou a intelectualidade próspera para o anunciar, ou eu não entendi o que quis dizer?

  5. Valupi, é lógico que por estes delitos, geralmente considerados mais condenáveis do que, digamos, crimes de sangue mortais, precedidos de violação e tortura, e seguidos de canibalismo e Alka-Seltzer para assentar, que não podem dar mais do que 25 anos de cadeia, o criminoso que andou a distribuir uísques velhos pelo Natal, condenado a 17 anos e meio, vá fazer companhia aos inocentes condenados pelas «ressonâncias da verdade» nos testemunhos (contraditórios e obviamente falsos) do processo Casa Pia.

    Mas o pormenor picaresco que sublinha o carácter espectacular — para público bovino ver — desta nossa mais recente opereta justicialista é a colheita de ADN. Na previsão de quê? De futuros crimes de estupro? De raptos ou infaticídios, tipo Maddie? De marcas em mais garrafas de uísque, daqui a dezenas de anos, depois das penas cumpridas?

    O ADN é a assinatura, não dos criminosos, mas de quem os julga. É o equivalente da entrada de lambreta na Assembleia da República do famoso juiz motard que ia lá prender os pedófilos.

    Não me admirarei muito se, depois do rercurso, o sucateiro e demais implicados virem as suas penas agravadas pelos mais que prováveis havanos profusamente distribuídos, sem qualquer atenção aos efeitos do fumo secundário sobre o prezado contribuinte que paga os subsídios e rendas da judicatura.

    É o circo que temos (e merecemos).

  6. Digno do Correio da Manhã é esta série de posts infantiloides, a criticar o tribunal porque sim, sem qualquer tipo de argumentação, e num tom popularucho (todos feitos uns com os outros para derrubar o meu Campeão) de fazer corar de vergonha qualquer publicista que se preze, mesmo nos anos 1920.

    Mas tu SABES, de antemão, que o Vara é inocente, que os crimes foram completamente fabricados e que isto tudo não passa de mais um ardil malcheiroso armado pelo complô judeo-maçonico…

    E sabes também, e das a saber, que infelizmente ha entre os apoiantes do PS pessoas que têm exactamente os mesmos reflexos alarves do que aqueles que foram criticados, e bem, nalguns posts publicados aqui, quando o respeito pelos tribunais e por alguns principios de direito, por exemplo a presunção de inocência, eram julgados convenientes para finalidades propagandistas reles.

    Trata-te pa !

    Ah, ia-me esquecendo reticências…

    Boas

  7. Nota marginal: sempre achei as imagens — omnipresentes no campus de Lisboa — da balança da Justiça destrambelhada, com um prato virado para cima e outro para baixo, muito apropriadas, mas a tapeçaria do Almada Negreiros que decora o tribunal de Aveiro, com a sua estrela judaica proeminente, num estado supostamente laico onde a cruz e outros simbolismos religiosos não são permitidos, não deixa de ser divertida.

    Claro que o julgamento de Salomão nada teve a ver com este, para além do aspecto espectacular de ambos, mas parece que a tapeçaria foi mandada limpar a seco [*] para acompanhar o resto da maquilhagem festiva:

    Tribunal de Aveiro em obras para o Face Oculta
    _____________________

    [*] Ou nem tanto: se calhar os uísques até já marcharam, à saúde do estúpido cidadão servido pela justiça que merece.

  8. Estou vingado.

    O ferro velho açambarcava tudo.

    Nem um simples azulejo das retretes dos apeadeiros da CP o ferro velho cedia para uma simples colecção.

  9. oh viegas, tu que tens a mania que sabes tudo e cagas postas de pescada sobre justiça, explica aí ao pessoal qual foi a lei ou acordeão em que os juízes de aveiro se basearam para aplicar a recolha de adn. não sabes, nem tu nem ninguém, devem estar a adaptar o poema, porque a música é sempre a mesma.

  10. Já agora, atendendo à ressurreição da fénix justicialista, e a propósito da prática de oferta de envelopes com numerário, da ordem das 25 milenas ou mais, a individualidades partidárias como contribuições ilegais para gastos de campanhas, não será de agarrar já potenciais whistleblowers como Medina Carreira e Henrique Neto — que repetidamente afimaram em público saber coisas, sem todavia revelarem nomes — antes que, assustados, se ponham ao fresco?

  11. Ignatz,

    Não li o acordão e não sou especialista, mas julgo que a lei em que o tribunal se deve ter baseado é esta (lei 5/ 2008 de 12 de Fevereiro de 2008, artigo 8°) :

    http://dre.pt/pdf1sdip/2008/02/03000/0096200968.pdf

    Não faço a minima ideia se o acordão esta ou não bem fundamentado, besta parte como nas outras. Agora partir do principio que esta so porque a solução não convém e criticar quem nota que, por uma vez, a condenação caiu sobre poderosos é apenas infantil.

    E exprimi-lo de maneira indirecta atravês de uma conversa inventada entre duas mulheres, supostamente parvas e superficiais (eram louras, não eram ?) por serem mulheres e por almoçarem ao pé do Valupi apenas mostra que o Correio da Manhã fez escola por aqui…

    Boas

  12. esta condenaçao levada ao extremo, milhoes de portugueses já tinham passado pela cadeia.desde o agente que perduou multa por carga de lenha transportada sem guia,como agradecimento foi parar a casa do defensor da legalidade,ou do funcionario que vai atrasando um processo ate´chegar a altura conveniente.no caso do vara actuar e ,receber dinheiro é chocante. perante a gravidade deste caso, os senhores que assaltaram o bpn bpp e bes e o governador aldrabão estão perdoados!

  13. O processo Pia foi desenvolvido visando o PS. Na altura, Sócrates assobiou para o lado. Ou encolheu-se. Agora, este “face Oculta” visou também o PS e António Costa também assobia para o lado ou encolhe-se. Por isso compreendo o “pirôpo” do Val ao Costa a propósito das manchetes difamatórias do Correio da Manha. Dentro de algum tempo talvez seja o Costa a ver cair-lhe em cima o resultado da sua indiferença a este violento ataque ao seu partido. Sim, porque não é o cidadão Vara que está no banco dos réus mas o PS. Ontem com a pedofilia, hoje com a sucata. A direita ri às gargalhadas. E o Jerónimo esfrega as mãos de contente. Um dia há-de sair a alguém o tiro pela culatra.

  14. Acabo de saber que o António Costa ganhou à tangente em número de federações. Será um sinal da sua derrota a 28 de Setembro, com a direita a “votar pelo seguro”?

  15. poizé, viegaz. não leste e não fazes ideia, mas sempre dá para insinuar:”Agora partir do principio que esta so porque a solução não convém e criticar quem nota que, por uma vez, a condenação caiu sobre poderosos é apenas infantil.”

    . achar que os sucateiros de ovar, o vara e mais uns gestores dumas ep são poderosos, tá ao nível de corrupções com caixas de robalos, canetas mont blanc e cabazes de natal, por este critério não deve haver um único português que escape ao crime de corrupção e podem começar por apreender os pirús que os senhores juízes recebem pelo natal e não consta que os devolvam à procedência ou mandem instaurar processos a quem os enviou.

    . depois temos sentenças onde a prova foi substituída pela convicção dos juízes, que por sua vez partilham convicções do correio da manhã, da procuradeira que é irmã do procurador e que são filhos do cão de caça do cavaco. isto são factos e não convicções.

    . infantil é aceitar qualquer merda que os ungidos do cej cagam em forma de sentença e aturar os reparos moralista-ò-bacocos desta cambada de calaceiros bem pagos e com subsídio de alojamento. se a justiça fosse clara, haveria menos recursos.

  16. Estou ai com o Viegas na maioria dos comentários.
    E o Valupi desde que anunciou que apoia o Costa, mas não tenciona mexer rabinho para ir votar porque ele não é perfeito, tem sentido a necessidade de lhe dar umas bicadas.
    Assim para justificar a distância entre o discurso e a acção.

    Relativamente ao “face oculta”, processo em que o próprio nome já é um programa de acção politica, não tenho muitas dúvidas que foi politicamente influenciado e aproveitado.

    Tambem não tenho muitas dúvidas que terão existido crimes que merecem punição.

    Na sua conclusão, não me causa muita surpresa a condenação mas sim a gravidade das penas que indiciam a intenção de estabelecer um “exemplo”. Uma pena “exemplar”.
    Ora a sã e correcta aplicação da justiça é, naturalmente, a contradição dos “exemplos”. Todos os cidadãos são iguais perante a lei, não sendo uns mais “exemplares” que outros.

    Posso acreditar que existem provas e indicios suficientes para convencer um juiz independente que os 37 arguidos eram culpados de alguma coisa.
    Ao contrario, não consigo acreditar, ou aceitar que o sr. sucateiro merece uma pena de 17 anos e meio de prisão efectiva. Pena MUITO superior ao que é habitual para pedófilos, por ex. Ou semelhante aquela aplicada a homicidas (desde que tenham algumas atenuantes).

    Por isso, são as penas que denunciam a anormalidade deste processo na justiça. Não as condenações em si.

    Mais grave…parece que este processo foi julgado por um colectivo de juizes. Três ao que entendo.
    Estas decisões foram unanimes?
    Fico com um nó no estomago pelo que isso pode significar.

    Miguel

  17. A fantochada de Aveiro foi planeada para promover e executar um auto-de-fé a Sócrates. Não o conseguiram com a absurda acusação de “atentado ao Estado de direito” mas mantiveram o palanque e a lenha acesa permanente instalada no correio da manha e em todos outros pasquins mais ou menos mascarados.
    Todo o processo de julgamento, e agora esta sentença, não é mais que, de certo modo, o julgamento possível de Sócrates por interpostos amigos e as condenações hard-core e o tesão ADN é para informar o pagode, à maneira do correio da manha, que ele e os amigos são “monstros que cometem crimes hediondos”.

    O Valupi, por interposto António Costa, também é candidado a entrar neste filme pornográfico na figura de juiz de Aveiro.

  18. Quem quiser discutir o facto de António Costa ter optado, presume-se que na posse de todas as suas faculdades mentais, por se tornar colunista do CM, passando a receber dinheiro à conta do papel cultural e projecto político que aquele jornal tem na sociedade, vamos a isso. Estou muito curioso em relação à forma com tal poderá ser defensável caso a decência, a cidadania e a democracia sejam valores que se queiram igualmente defender.

  19. oh meu, alguma vez criticaste ou fizeste referência à isabel moreira ser visita assídua do crespo enquanto a porqueira durou? não consta, mas acabou o crespo e a isabel nunca mais lá pôs os butes.
    aí vai a lista de todos os colunistas do correio da manhã para te entreteres a catar traidores socialistas, chamo a especial atenção para a fernanda palma e eduardo cabrita, mais dois casos de decência, cidadania e democracia que devem andar a ser subornados pelo correio da manhã e que ainda não têm auto-fé aqui na loja.

    Acácio Pereira
    Alexandre Pais
    Álvaro Rodrigues
    António Costa
    António José Fialho
    António Sousa Homem
    Armando Esteves Pereira
    Carlos Anjos
    Carlos Garcia
    Carlos Rodrigues
    César Nogueira
    Diamantino Pereira
    Eduardo Cabrita
    Eduardo Cintra Torres
    Eduardo Dâmaso
    F. Falcão-Machado
    Fernanda Cachão
    Fernanda Palma
    Fernando Jorge
    Fernando Sobral
    Francisco J. Gonçalves
    Francisco José Viegas
    Francisco Moita Flores
    Helena Garrido
    Joana Amaral Dias
    João Pereira Coutinho
    João Vaz
    José Carlos Martins
    José Manuel Silva
    José Rodrigues
    Leonardo Ralha
    Luciano Amaral
    Luís Pires da Silva
    Magalhães e Silva
    Manuel Catarino
    Maria de Belém Roseira
    Maria Inês Almeida
    Mário Nogueira
    Mário Pereira
    Maurício do Vale
    Miguel Alexandre Ganhão
    Octávio Machado
    Octávio Ribeiro
    Paulo Fonte
    Paulo Morais
    Paulo Rodrigues
    Pedro Santana Lopes
    Reginaldo Rodrigues de Almeida
    Ricardo Tavares
    Rui Hortelão
    Rui Pereira
    Tiago Rebelo
    Victor Bandarra

  20. ignatz, entendo o teu problema: não tens nada para dizer face à decisão do Costa em prol do sucesso do CM. Será, se for, um problema teu. Pelo que pretendes falar da Isabel e do Crespo, não porque tenhas algo a dizer sobre esse outro assunto, mas porque é assunto outro. Bute lá.

    A Isabel, sempre que foi ao Crespo, defendeu as suas ideias, defendeu o seu partido e defendeu a decência. Por aqui, será igual ao Costa no CM, imagino porque não o leio lá. Acontece é que ela não era paga por ir ao Crespo, o seu serviço era gratuito e à cidade. Porém, mesmo que ela estivesse a ser paga, não consta que a Isabel tenha estado nessa altura a concorrer para secretária-geral do PS e para primeira-ministra. As responsabilidades aumentam à medida que aumenta o poder a que se concorre.

    É por isso que não gasto muitas calorias com a presença de Maria de Belém, Rui Pereira e Eduardo Cabrita, por exemplo, no esgoto. Mas lá que eles estão a trabalhar para o sucesso do esgoto, e que estão a ser remunerados por isso, estão. E isso teria de ser realçado caso estivessem numa corrida eleitoral com a importância daquela onde está Costa.

  21. Ignatz, ler a lista só me faz concordar com o Valupi. Pior ainda, ler o CM faz-me duvidar da sanidade mental de quem não se importe de lá escrever, mesmo que tenha bom carácter e atenuantes a apresentar (por exemplo, poder pagar a renda da casa a tempo) .

  22. Valupi, ler a tua defesa da Isabel só me faz concordar com o Ignatz. Pior ainda, ver o Crespo fez-me duvidar da sanidade mental de quem não se importou de lá ir, mesmo que tivesse bom carácter e atenuantes a apresentar (por exemplo, poder pagar a renda da casa a tempo) .

  23. No Telejornal de ontem da RTP, breve entrevista do crachá de ouro da PJ que já anteriomente tinha dirigido o profeticamente denominado «Apito de Ouro» e se encontrou agora à frente de outro processo com um nome falante: o «Face Oculta» (ah, o destemor do óbvio dos nossos investigadores… ou será só fé cega na incapacidade do povinho aprender a analisar os seus próprios processos mentais?):

    Pergunta: «Sente-se desiludido com a polícia judiciária?»

    Resposta: «Com a polícia judiciária, nunca. Desilusão é um termo demasiado violento porque não corresponde. É… reduz-se tão só a isto; eu perdi, por razões várias, umas factuais, outras homicidas, perdi, passe a expressão, de… do gozo de… de… eu só consigo fazer as coisas com paixão, com gozo. E depois há momentos em que feita a avaliação é melhor partir.»

    Sobre as escutas clandestinas (por não ter sido requerida a autorização que a lei exige) é que pergunta nenhuma e muito menos resposta, apesar da acessibilidade de mais uma potencial estrela mediática que aparentemente não se importa de prestar declarações.

    Mas as declarações que fez não deixam de ser estranhas. Razões várias? Razões homicidas? Passagem à disponibilidade a seu pedido, depois do processo exemplar em que tudo correu bem e a justiça voltou a campear?

    Mas de que é que ele está a falar? Saberá mais alguma coisa que não quer contar, apesar da prontidão em vir a público falar do tempo que faz e outras banalidades?

    Assim até parece que o processo afinal não correu lá muito bem. Fico curioso. Deixem-me tentar adivinhar: apesar de alguns dos seus principais marechais terem sido aprisionados, o temível Napoleão do Crime continua em campo, invicto e contumaz. Será isso?

  24. Com esta condenação desproporcionada até parece que já que não podiam acusar Sócrates … enfim

    Acordão com mais de 2000 páginas para este tipo de crime económico, haja paciência!!

    Isto não implica grande complexidade, não existe a fraude por exemplo através das facturas falsas, pagamento duplicado, lapping, skimming, empregados/colaboradores fantasma, sobrefacturação, contabilidade criativa, inside trading, branqueamento, actividades transnacionais, a cibercriminalidade de alto coturno, etc, etc, etc que necessita grande trabalho dos auditores que apoiam a investigação ao crime económico

  25. Acrescente-se à lista o nome de José Medeiros Ferreira. Mas mais importante do que saber quem foram ou são os colunistas, e porventura, lamentá-lo, é saber o que lá escreveram ou escrevem.
    Mas voltando à raiz do problema, insisto, mesmo arriscando-me a algum impropério: O que Valupi fez, metendo, à força, o nome de António Costa, é o que o infecto jornal faz em relação a Sócrates, e exemplos não faltam.

  26. Ignatz,

    A resposta à tua pergunta esta no meu comentario e podes aferir por ti proprio. Mas foda-se, o que conta é fazer barulho e gritar que os juizes de Aveiro estão feitos com o Cavaco, isso antes mesmo da sentença estar disponivel e apenas porque os condenados são amigos do querido lider.

    Ha alguma diferença entre a atitude da corja do Cavaco, tão criticada por estas bandas, e a parvoeira acéfala dos posts do Valupi sobre este assunto, e dos seus séquitos comentadores ?

    Eu não vejo absolutamente nenhuma…

    Boas

  27. Valupi,
    Entendo que Costa quis aproveitar o facto do “correio manhoso” ser um jornal dos cafés que chega a toda a gente, mais ou menos manipulada, para também, a palavra e as ideias dele próprio, poderem chegar ao povão e contribuir para o tirar do engano e manipulação levada a cabo pelo mesmo jornal.
    Este procedimento é trivial no homem político que quer aceder e exercer o poder político para alterar o estado das coisas. Só mental e como Ideia platónica de absolutismo, inexistente e impossível no mundo dos homens, se pode exigir um comportamento perfeito imaculado ou divino, como exige Valupi a Costa mas que não exige a outros nem ele próprio pode cumprir dada a sua condição de animal humano.
    O próprio Sócrates, a quem Valupi exige de Costa uma fidelidade pura sem mácula, procede na rtp com igual intenção pedagógica, pois é bem visível que o estatuto editorial da rtp, embora mais maquilhado na forma, não difere do ‘da manha’ no conteúdo e nos seus fins.
    No mesmo sentido, tudo quanto é político, não hesita em aproveitar qualquer oportunidade para passar as suas ideias no campo do inimigo. Os jornais, mesmo os pasquins, fazem outro tanto ao convidarem opositores de ideias para se darem ares de pluralistas o que, em termos de real-política, os políticos consideram de aproveitar.
    E o que fez A. Costa foi aproveitar real-politicamente a oportunidade. O que conta é o que A. Costa escreveu, que mensagem quis fazer passar e não creio que se tenha dito ou considerado alguma vez admirador, defensor e promotor do ‘da manha’. Aqui, o Valupi está, mais uma vez, a distorcer as palavras de Costa para lhe dar conotações de acordo com o seu preconceito face a Costa.
    Talvez tenha sido educado na despedida, como bom caçador de moscas com açúcar e não com vinagre, como é de sua natureza sem radicalismos desnecessários .
    Os radicalismos de natureza ético-moral são sempre possíveis
    mentalmente mas nunca realizáveis na existência dos humanos. Mas talvez o dono da escrita neste blog queira ficar na história como o imaculado santo Valupi.

  28. “Mas foda-se, o que conta é fazer barulho e gritar que os juizes de Aveiro estão feitos com o Cavaco, isso antes mesmo da sentença estar disponivel e apenas porque os condenados são amigos do querido lider.”

    exactamente oh biegas, se não fossem amigos do querido líder, não tinham sido condenados. quem é que deu cobertura aos magistrados de aveiro para desobedecerem à destruição das escutas? e a procuradeira toda contentinha, não abre inquérito à desobediência e ao sucesso das fugas de informação? néria, pelos vistos o que interessa é que foram incriminados uns pilha galinhas que traficavam sucata, ouve bem: sucata, colarinhos brancos na sucata, sequência lógica dum país que foi mandado pró galheiro por ladrões & incompetentes, resta a sucata, grande fonte de riqueza & fortuna fáceis que serviam para financiar os bombeiros, grupo desportivo de esmoriz e andar de mercedes. gostava de ver uma inspecção da finanças às contas de uma psi20 que tivesse passado da portaria e de conhecer um amigo do cavaco que tivesse sido preso, mas acho que vou ficar a chupar no dedo.

  29. “O Correio da Manhã – um esgoto a céu aberto que António Costa admira, defende e promove…”

    venham lá essas evidências sobre admiração, defesa e promoção, pode ser mesmo com artigos do costa a incensar, defender ou promover o esgoto a céu aberto. mas olha que essa técnica é capaz de dar resultado e ser adoptada pelos direitolas, já hoje tropeçei em comentários do género, que o gajo é um traidor e que até já fez um acordo com o rio, não se sabe bem para quê, mas tamém não interessa.

  30. joão viegas diz:
    “Ha alguma diferença entre a atitude da corja do Cavaco, tão criticada por estas bandas, e a parvoeira acéfala dos posts do Valupi sobre este assunto, e dos seus séquitos comentadores”

    O problema de viegas é semelhante ao de Valupi que também não vê diferença entre ser mental/inteligível e ser existente/sensível, entre pensamento e vida.
    O que ele pensa que Costa deve ser, Costa tem o dever de ser mesmo. Isto é; Valupi, o pensador jiadista.

  31. ignatz, se tu não entendes que a decisão de ser um colaborador pago do CM corresponde, por inerência, a uma forma de admiração, defesa e promoção – posto que se está a pôr o nome e o talento ao serviço do sucesso comercial do jornal – então esta conversa é igual à das declarações do Costa sobre o caso PT-TVI. E o assunto fica arrumado sem mais gasto de caracteres.

  32. poizé, pázinho. nem pcp vai tão longe nas associações depuradoras ou o cds na devolução de retratos. para quem se reclama democrata deves ter falhado uns capítulos e para quem se diz do centro, só se for do olho do cu. e damos por terminada a sessão de interpretações dos silêncios & omissões do costa.

  33. Inscrevi-me em julho como simpatizante do PS e vou votar em António Costa.
    E uma das razões por que o vou fazer é a esperança que tenho de que António Costa saberá rodear-se de uma equipa de gente capaz de, na primeira reunião, lhe despejar um balde de correios da manhã pela cabeça abaixo. Entre outras coisas.
    (Dito de outro modo: substituir António José Seguro por António Costa, evidentemente, mas também os álvaros, os belezas, os euricos, os brilhantes e os dias pelos valupis que por lá haja.)
    Outra razão é o facto de estar convencido de que não serão necessários dois baldes: António Costa perceberá à primeira, ao contrário de alguns pregadores da transparência-sim-mas-a-seu-tempo e da franqueza-claro-mas-agora-não-dá-jeito que julgam estar a defendê-lo.

  34. Nem mais.
    Também tenho erros a apontar ao Costa, mas detratores há-os ao pontapé. Por isso prefiro concentrar-me na alternativa que ele encabeça, face ao merdas do Seguro.
    Embora compreenda muito bem a estratégia da “verdadeira” esquerda, que tanto capitaliza à sombra de um desgoverno de direita, prefiro apontar as baterias à escória que tem desgraçado verdadeira e premeditadamente o país:
    Os oligarcas (belmiros, soares dos santos, balsemões e outros )
    A comunicação social (maior parte dos jornalistas incluídos)
    A bosta de governantes atuais ( incluindo o senil da presidência), lacaios dos poderosos interesses económico financeiros que estão a roubar os estados soberanos por este mundo fora.
    É um alvo ambicioso, por isso tenho muito com que me entreter, não tenho tempo para detalhes de merda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.