Uma das maiores tangas relativas ao PSD e PS

É dizer-se que nada há que os distinga. Alguns elaboram sobre a proximidade ideológica, ambos partidos de centro-esquerda na sua génese ou evolução, a outros basta o currículo de partilha do governo numa continuidade ininterrupta, onde as opções ficaram condicionadas por igual pragmatismo. Mas essa suposta homogeneidade não passa de preguiça ou mentira. Porque as pessoas são diferentes, os grupos ficaram culturalmente distintos, os resultados do uso do poder diferem. Os sociais-democratas são gente de menor confiança do que os socialistas, são seres de moralidade mais ténue, de ambição mais desregrada e urgente. Vamos reformular: no PSD há mais cínicos do que no PS, porque no PSD houve clientelas no seu financiamento mais ricas do que no PS. Terceira tentativa: no PS ainda há românticos e um horizonte romântico ou idealista.

Consequências? O PSD tornou-se num partido sem recursos humanos, sem ideias, sem contacto com a realidade. Enquanto o PS tem um banco cheio de estrelas capazes de substituir a actual vedeta em caso de lesão ou expulsão. Para além disso, o PS é um partido de sólida cultura política e de pujante cultura democrática.

Iguais? Quem nos dera.

51 thoughts on “Uma das maiores tangas relativas ao PSD e PS”

  1. Esse boato do são iguais foi largado para fazer o eleitorado de esquerda pender para o BE. Empurram o PS para o centro para se proclamarem eles a esquerda.
    É conversa de pseudo-comuna!

  2. Caro Val,

    Como sabes eu tenho pensado um pouco nessa história do PS e do PSD. Para mim, neste momento, qualquer social democrata que saiba o que isso é estaria no PS. O PSD não deixa caír a sigla porque aquilo que naturalmente os seus dirigentes queriam que ele fosse: um partido liberal, defensor ávido do Estado mínimo da economia de mercado, teria grandes problemas em ganhar eleições. Não tenho memoória de nenhum partido liberal europeu ter ganho umas, e no presente só o FDp na Alemanha pode aspirar a 17% e fazer coligação com os democratas cristãos da CDU.
    O drama hoje é que o PSD se tornou um partido cuja argamassa é o poder. A todo o custo. E se isso implica ter lá a social democracia no nome, têm. Mas não há país no mundo onde social democracia seja diferente de socialismo democrático. Eles não são sociais democratas mas reclamam o título porque é complicado vencer eleições a dizer que se vai privatizar a segurança social. E como eles querem o poder não o dizem.
    Inevitavelmente ofereço.te um link onde há dias elaborei sobre a sorte dos partidos liberais na europa e o gosto de poder do PSD:
    http://ovalordasideias.blogspot.com/2009/05/as-ameacas-ao-modelo-social-europeu-vs.html
    Um abraço,
    Carlos

  3. mil vezes preferível o PS no poder do que o PSD, estes logo que lá chegam além das negociatas todas fazem medo – medo sim! – faço votos que não seja preciso voltar a provar para nos recordarmos. Olhem como anda a maré em Itália.

  4. e isto, como se a política não fosse feita a todo o tempo de conversas e pressões, independentemente de se deverem contrariar. E já agora Portugal representado ao mais alto nível pelo porteiro das Lajes como é? Uma grande derrota para os partidos do PPE são os meus votos.

  5. Não é nenhuma lesão ou explosão que irá derrotar a actual estrela do PS, é o Partido Democrata dos EUA. E vai para lá lá outro do PS, isto é, do partido que melhor serve os interesses dos EUA e de Portugal desde Frank Carlucci.

  6. A Sorbonne e mais uma dúzia de universidades francesas estão em greve há mais de 4 meses. Em Portugal nada se sabe!!!!!

  7. O P. S. e o P. S. D. são diferentes em tudo, excepto na acção governativa, em que, não sendo iguais, se têm aproximado demasiado.

    Este Governo de José Sócrates tem, felizmente, começado a fazer alguma diferença, finalmente. Mas ainda se deveria ir mais longe, em termos políticos e económicos. A seu tempo, dirão os optimistas (eu apenas espero que sim).

    Mas o facto de estes dois Partidos serem realmente tão diferentes em quase tudo, mas terem tido opções políticas tão semelhantes, quando no Governo, constitui, a meu ver, uma das melhores explicações para a confusão reinante no eleitorado português e uma certa descrença relativamente ao nosso sistema partidário: pois não foi o Soares quem “meteu o Socialismo na gaveta”? Não foi o mesmo Soares que, aliado ao cinzentão Mota Pinto, trouxe o F. M. I. para Portugal? Não foi Guterres quem, por exemplo, “tramou” a Regionalização e a primeira hipótese de despenalização da I. V. G. em Portugal (a par de inúmeras outras acções que em nada o distinguiriam de um Governo dos seus opositores no P. S. D. da alltura, Fernando Nogueira, Rebelo de Sousa, ou mesmo Durão Barroso?)?

    É por isso que toda esta conversa (da treta) do eventual retorno do Bloco Central (com Sócrates!!!) só pode contribuir para degradar ainda mais a credibilidade no nosso sistema político e servir, objectivamente, apenas os interesses de quem quer ter o Poder sem o merecer, ou seja, mandar mesmo perdendo as Eleições!

    O problema é que… a Democracia não é isso. Não é, senhores conselheiros presidenciais?..

  8. Z, de que negociatas falas?

    Do terminal de contentores de Alcântara? Da estação de tratamento de Lixo da Cova da beira?

    Medo de que medo falas? Dos interrogatórios de Fafe? Dos processos aos manifestantes de de Guimarães? Das visitas aos sindicatos?

    venha o diabo e escolha entre os dois, cada vez que convenço mais que só há duas soluções o branco e a abstenção! Ou em ultimo reduto o PCP!

  9. Valupi, larga o vinho pá!

    Que moralidade tem um tipo que manda um trabalho para a universidade acompanhado de um cartão de Secretário de Estado? É desta moralidade que falas?

    “no PS ainda há românticos e um horizonte romântico ou idealista.” Quem? O Santos SIlva? O Vitalino Canas? Ou será o Armando Vara?

  10. bem, o voto é livre e cada um tem a experiência que tem, eu queria um governo do PS mais Bloco mas o Bloco retirou-se desta possibilidade embora noutro dia li que viabilizará um governo minoritário do PS com a abstenção. Não sei, agora podes ter por certo que farei o que estiver ao meu alcance para obstar a um governo de direita, eu não gosto mesmo deles e eles odeiam-me literalmente e não caio noutra de pensar que a alternância é saudável como pensei há anos, nesses anos o país ardeu como nunca e eu junto.

    Antes disso tem que cair o PPE y su burroso.

  11. Este post é que é uma tanga, própria de quem começa a ficar à rasca com o exôdo do eleitorado de esquerda para o PCP e BE. E é uma tanga porque se este PS é o partido cínico por excelência: é um partido que se deslocou para a direita e que por isso ainda ficou mais idêntico ao PSD, mas que depois tem necessidade de dizer que é de esquerda (pois pode haver quem tenha dúvidas); mas de uma esquerda diferente, da dita «esquerda» moderna. Enfim convém-lhe parecer de esquerda, como convém parecer que o «omo lava mais branco».
    Este post é também uma tanga, porque se ainda há românticos e idealistas no PS, estes são aqueles que são vistos como os não «modernos», e que não são adeptos do grande plastificado Pinto de Sousa, o tal líder conhecido como sendo um grande aldrabão, mentiroso e manipulador: um cínico, que tanto agrada aos situacionistas como o Valupi. Aliás, esses tais idealistas mais não são do que representantes daquela «corrente» que o Valupi considera ser a «esquerda imbecil», a tal esquerda que não é cínica, pois claro!
    Concluíndo, o que se pode dizer é o contrário do que foi dito pelo cínico Valupi: o PSD é um partido em que se pode confiar mais do que no PS. Porquê? Porque é mais fiel aos seus príncípios doutrinários. E nessa medida até é preferivel ter um governo PSD do que um PS, pois um partido de direita, em princípio, governa melhor à direita do que um dito partido de esquerda. A não ser… a não ser que o PS já não seja um partido de esquerda, e então o Valupi está cheio de razão: o PS é melhor que o PSD!

  12. O PSD também tinha um bom banco: era o BPN e faliu. Agora é “nosso” e os suplentes devem estar a desenrascar-se noutros futebóis. Culpa da crise, essa malandra!

    Por isso é que a líder da oposição se indignou tanto quando se começou a ouvir falar em economia de casino porque os mercados de capitais eram indispensáveis para a economia. Eram indispensáveis para a economia e, sobretudo, para a democracia que alguns idealizaram.

    A líder da oposição, dois anos depois de, como Ministra das Finanças de Barroso, ter concedido o regime de neutralidade fiscal à reestruturação do grupo Totta que lhes permitiu poupar cerca de um milhão de euros de impostos, era administradora não-executiva do Banco Santander de Negócios (que integra o grupo Totta) auferindo mais de 80 mil euros em remunerações.

    Eu gosto sobretudo disto: administrador não-executivo. Deve ser fantástico!

    E a tão propalada política da verdade dá tanto jeito…

  13. “O PSD tornou-se num partido sem recursos humanos”

    Pura verdade. Aquilo hoje é charneca árida, não é solo que dê qualquer fruto. Só dá, sem precisar de ser espremido, videirinhos e vigaristas.

    Mas não estou nada tão certo do que dizes àcerca do PS, que acho que é um partido em dramático processo de redefinição – e até em luta pela sobrevivência. A redefinição é plenamente justificada, se pensarmos que já foi um partido marxista, ideologicamente retrógrado e desfasado, ainda que com um feliz cheirinho soarista a liberdade e com a auréola da luta contra o comunismo em 1975. Digo sobrevivência, porque temos visto nesta Europa partidos socialistas a desaparecerem num buraco, sem deixarem rasto. Um dia estão, no outro dia já não.

    O PS vive ainda dum estranho mas eficaz sentimento colectivo, o de ser o partido em que o povão convive com classes médias e com intelectuais. Quanto tempo durará ainda este sentimento algo inexplicável? Aposto que a inexistência de alternativas credíveis é o que explica esta durabilidade. O PC é uma múmia paralítica, com um resto de vitalidade no corporativismo reaccionário, mas amplamente cadáver no resto – sobretudo na vida cultural, onde há 40-50 anos pontificava. O BE é um movimento de eternos adolescentes com rugas, aos quais tu costumas chamar concisamente, e com pontaria, imbecis. Eu acrescentaria: imbecis incuráveis. A esquerda portuguesa, quase tudo somado, é isto, em 2009. Já só vive de memórias. Mas o tempo não pára.

    Sem a fachada positiva e combativa do Sócrates, o PS já teria desaparecido. Isto é bom, mas é grave, porque um homem não substitui nem deve substituir um movimento político. Onde estão as ideias socialistas hoje em dia? O que é o programa socialista a longo prazo? O que é o socialismo?

    Parece que ninguém sabe. Sabemos o que não é. Sabemos o que não deve ser, graças ao Louçã e ao Jerónimo. Isso é bom, mas não chega. Haverá, escondida, mais alguma coisa?

    Eu sou um céptico, não acredito em quase nada. Mas gostava de saber em que é que o Sócrates acredita. Porque gosto dele e espero que tenha êxito.

  14. Andre, bem visto.
    __

    Carlos, é isso mesmo, eles não são sociais-democratas. Aliás, eles não são nada para além de um projecto de poder pelo poder.
    __

    z, tens razão. O PSD é despudoradamente clientelar. É que nem disfarçam.
    __

    Manolo, em Portugal nada se sabe?! Então, como é que soubeste?
    __

    Marco Alberto Alves, concordo muito contigo.
    __

    Animal, e um raciocínio, arranja-se?
    __

    Ibn, o Santos Silva, bem lembrado.
    __

    ds, desconfio que não comungamos da mesma definição de “romantismo” aqui aplicado à política. Seja como for, o PS é o partido que maior diversidade ideológica e cultural agrega. Isso é factual.

    Entretanto, continuas equivocado: eu não votei nem vou votar PS. Se tens queixas desse partido para apresentar, não é neste departamento.
    __

    tra.quinas, temos de esperar mais uns tempo para saber o que esse banco agora nosso guarda nos seus cofres. Se nada se souber, igualmente muito se ficará a saber.

  15. Sintomático e revelador! Os grandes adeptos do Pinto de Sousismo não acreditam em quase nada! Eu, ao contrário, acredito. E uma das coisas em que acredito é que as pessoas que não acreditam em nada ou em quase nada estão mais próximas do niilismo do que do cepticismo. E está à vista aquilo em que o Pinto de Sousa acredita: no poder da publicidade e da manipulação, pois é nestes que reside toda a sua estratégia de conquista do poder, e não em qualquer ideologia ou doutrina. O que é o «socialismo» com o Pinto de Sousa? É uma caricatura que só engana quem não acredita em nada.

  16. E aqui o Valupi, como é costume, descobre, nos meus comentários, coisas que não são ditas. Mas eu por acaso disse que tu ias votar PS? Eu apenas constato que este é um governo do teu agrado, e uma das razões para isso é ele não ser um governo de esquerda. É por isso mesmo que eu digo que esta tua conversa de diferenciação entre PS e PSD é que é uma grande tanga.

  17. Nik, boa análise. Quanto à pergunta sobre o que seja o socialismo, parece-me que a resposta é óbvia: é a social-democracia. Foi o que Soares anunciou quando abriu e fechou a gaveta.

    O PS não está dependente de Sócrates, é o que intuo. Bem pelo contrário, existem alternativas prontas para substituir o chefe e manter o eleitorado. Isso explica-se pela riqueza sociológica do PS, como grande aglutinador da esquerda democrática, e também pelo descalabro da direita, que desapareceu do mapa.

    E boa pergunta, essa sobre as crenças de Sócrates. Mais uma vez, surge uma resposta óbvia (para mim, e à luz do que ele fez): ele acredita na inteligência como factor primeiro de desenvolvimento económico. É notável, aliás, que de Sócrates não vem “bullshit” ideológico. Ele fala é da obra que há para fazer. Nesse sentido, e comparando com Guterres, é Sócrates que tem a verdadeira paixão pela educação.

    Outra característica onde Sócrates se revela é na promoção de uma cultura democrática. É o que explica o empenho com que vai para o Parlamento debater, por exemplo. Ou a sua resistência às campanhas negras.

  18. ds, não dizes que vou votar PS, mas dizes que estou à rasca com o êxodo do eleitorado para o PCP e BE? Tu decide-te, pazinho.

    A questão nem é tanto a do Governo ser do meu agrado (que é pela sua coragem reformadora), é antes a da oposição ser do meu mais fundo desagrado, e é a de eu não pactuar com a pulhice dos que querem destruir um governante recorrendo à infâmia, à calúnia, à difamação. E repara: mesmo que Sócrates fosse culpado do que o acusam, as acusações continuavam a ser ilegítimas, e quem as fez a não merecer qualquer confiança. Porque as acusações dos pulhas não se podem substituir à Justiça (a menos que tragam provas, o que ainda não aconteceu).

    Acredita, isto não é assim tão difícil de entender.

  19. Larga o vinho, Valupi! Não votas PS, mas o governo Pinto de Sousa agrada-te – porque não é de esquerda, repito. Da tal esquerda «imbecil». Estou a ser muito complexo para a tua cabeça? Bem… mas, como acrescentas, afinal o que está em questão é mais a oposição desagradar-te. Não podias ter sido mais claro, caro Valupi! A direita que te agradaria (e que seria a tal direita sem diferenças em relação ao PS «moderno») não está a fazer o seu papel como devia. Mas como poderia fazê-lo se não se distingue do PS? O que tu desejas é assim impossivel de acontecer, porque ninguém se opõe àquilo com que genericamente concorda. E é por isso que a luta pelo poder se reduz a mudar caras. È a politica de plástico em todo o seu esplendor!
    Mas como eu disse: os grandes fãs do Pinto de Sousa são os tais niilistas que não acreditam em nada, e que por isso, mais rapidamente, aderem de forma acéfala a toda e a qualquer campanha de marketing e publicidade como a que sustenta a imagem do Pinto de Sousa. Dizes tu que este é um apaixonado pela educação, o inventor do 12º ano em dois dias! ahahahahahhah! Acredita na inteligência, o doutor por faxe num Domingo! ahahahahahhaahha! Larga o vinho, pá!

  20. ds, a tua capacidade argumentativa faz-me crer que tu és um dos excluídos da paixão educativa do senhor engenheiro. Mas não te esqueças do programa das Novas Oportunidades, ainda vais muito a tempo de aprender.

  21. OK, Valupi. Tal como tu também ainda estou à espera que tu consigas dar respostas com algum sentido e que não fujam às questões e aos factos apontados. Mas se tu me dizes que estas incapacidades são eliminadas com as Novas Oportunidades, quem sou eu para duvidar desta tua crença ou fezada! Porque tu, sendo um Pinto de Sousista assumido, não estás ser irónico, pois não? É que se não estás, larga o vinho, como eu já te disse, porque só os muito idiotas acreditam nisso! Se estás a ser irónico, larga o vinho também, porque vê-se que já nem pensas bem no que dizes e estás a denegrir uma das «grandes» bandeiras publicitárias do Pinto de Sousa no campo da educação, pela qual ele é um grande apaixonado!

  22. ds, mas quais são os factos apontados a carecer de resposta? O teu discurso é vazio de factos, constróis o teu caso no protesto contra o facto (esse, sim) de alguém ter uma opinião diferente da tua, e isso chega-te. Assim, nem sei se te admitem nas Novas Oportunidades. Tu toma cuidado contigo.

  23. Ah, pronto… Se nem sabes se me admitem no embuste, (acrescento eu, para ficar mais explícito) das NO, então já tenho a certeza de que estavas a ser irónico a respeito desse dito «programa». Mas fico também com a certeza de que à semelhança do Pinto de Sousa gostas de fazer propaganda de políticas e programas mentirosos. Mas que depois são reformistas e apostam na educação e inteligência!!
    Ah… E escusas de responder a mais este meu comentário, pois já percebi que este é mais um comentário vazio. Aliás, não poderia ser outra coisa, pois apenas constata o vazio que vem do teu lado. Eu só estou a pintar um retrato, e por isso a tela acaba por ficar necessariamente em branco….

  24. Ah… Dorme bem e tem sonhos cor-de-rosa*.

    *Os sonhos cor-de-rosa, ao contrário dos outros todos, não são ilusórios. São bem reais; mentiras bem reais.

  25. olhem-me esta baixaria, a mesma táctica da outra vez mutatis mutandis , usarem instituições internacionais para denegrir o Governo e o país, da outra vez foi o Eurostat e o deficit, a seguir preparam-se para vender as reservas de ouro,

    Ibn: quando eu falo em negociatas falo em grandes negociatas de Estado, venda dos créditos fiscais ao Citigroup, país a arder desembestadamente para irem buscar 50 milhões de contos aos fundos de emergência e porcarias assim, de resto esses negócios que falas sempre houve e sempre há, são eles também que fazem girar a economia, uns são bons outros piores, é assim,

    quanto a medo não tenhas dúvidas que ‘eles’ adoram: basta ver o negro de fumo do fundo dos cartazes da fleite, ou a carinha do gajo do CDS a dizer que não brinca,

  26. e já agora isso de esquerda imbecil também não engulo: o Bloco tem antecipado a anos de distância problemas e temas que se tornam facto uns tempos depois, é uma boa componente do mosaico político, de vez em quando terá umas imbecilidades como qualquer um, é a história de pegar no cajado se bem me lembro,

    como será isto tudo coma Revolução Digital? mas atenção que a Itália dá novas temíveis,

  27. “mesmo que Sócrates fosse culpado do que o acusam, as acusações continuavam a ser ilegítimas, e quem as fez a não merecer qualquer confiança. Porque as acusações dos pulhas não se podem substituir à Justiça (a menos que tragam provas, o que ainda não aconteceu).”

    Provas? o que são para ti provas? Um fax como sendo um exame, não é uma prova? LOL, pois não, é só um facto! Larga o vinho

    “A questão nem é tanto a do Governo ser do meu agrado (que é pela sua coragem reformadora),”

    Dá-nos lá um exemplo da coragem e da veia reformadora.

    Explica lá melhor: Gostas do governo por oposição à oposição? Grande razão sem dúvida.

    Assim, ao jeito de defensor dos martirizados???

    Larga o vinho, pá

  28. Isto está cheio de gajos que andam a mamar à conta do PS. Depois de 4 anos de governação ainda há quem consiga dizer bem e afirmar que este governo é socialista… Lamentável.
    Tenho amigos que infelizmente são socialistas com cartão e é incrível como a máquina do partido lhes fez uma lavagem cerebral conseguindo alheá-los da realidade.
    Este blogger para estar a dizer bem do PS ou tem a lavagem cerebral já feita ou está a mamar algum à conta do partido!
    Vão trabalhar porque é disso e dos 150 mil empregos que o país precisa.

  29. z, claro que o Bloco tem boas ideias. O problema não está aí, pois, por esse critério, o CDS também tem algumas boas ideias.
    __

    Ibn, és tontinho.
    __

    Pina, e quem queres ver no Governo?

  30. “Isto está cheio de gajos que andam a mamar à conta do PS.”

    Este argumento, que cada vez mais é utilizado nas caixas de comentários, é extraordinário. Nunca fui nem me estou a ver militante de nenhum partido, mas a verdade é que mesmo que me pagassem bem, honestamentamente, não saberia o que raio elogiar nos partidos da oposição. Falha minha com certeza…

  31. “Ibn, és tontinho.” Pois se calhar sou, mas não sou é “cobardolas” e tu?

    Tu não passas de uma pobre caixa de ressonância que só serve para amplificar o som!

  32. Que interessante… Encontrei uma citação de um professor de Filosofia Política da Universidade de Braga que se limita a constatar o óbvio, e que por isso nada teria de surpreendente nem de estranho. O que a torna «surpreendente» (mas se calhar nem isso) é o facto desse professor ser conhecido por ser um liberal. A citação em causa é a seguinte: «A esquerda democrática criou a ‘terceira via’, o ‘novo centro’, ou mesmo a ‘nossa via’ do PS português. Mas tudo isso não passou de um expediente para fazer de conta que não tinha aderido, de facto, aos aspectos essenciais do neoliberalismo.»
    Quem diz isto, portanto, não é comunista, não é socialista, nem sequer social-democrata ou da esquerda em geral. É um liberal que, ao fim ao cabo, nos está a dizer que este PS é um partido de cínicos, como eu disse antes: é um partido que inventa mil e uma designações para se definir e apresentar (na actual propaganda mentirosa é, como se sabe, «esquerda» moderna) apenas para esconder (e enganar os outros) a sua verdadeira essência, as suas verdadeiras orientações politicas. Tanga, de facto, é este PS dizer que é de esquerda ou então dizer-se que é diferente do PSD, como faz o Valupi. Não, uma mentira repetida mil vezes não se torna numa verdade; uma mentira repetida mil vezes por mentirosos e pela tralha socretina é que tem a pretensão de passar por verdade…

  33. Só isso Valupi? Continuas a querer negar as evidências e a querer afirmar as (tuas) mentiras? Olha, e por que é que não vais fazer essa pergunta ao professor em causa? Mas, pronto, eu dou-te uma ajuda: um aspecto essencial do neoliberalismo que este governo adoptou e a que deu forma de lei está no novo código do trabalho. E para ter a certeza disso basta ter presente as criticas feitas ao código do Bagão pelos então deputados do PS, que agora enquanto ministros decidiram «aperfeiçoar» (liberalizar ainda mais, entenda-se).

  34. Ah, o Código do Trabalho resulta da política neoliberal do Governo… entendo…Qualquer tentativa de reformar a sociedade explica-se pelo neoliberalismo… Pois claro, para quê pensar se há professores que pensam por ti?

    Aqui entre nós, ds, não fazes puto ideia do que seja o neoliberalismo, pois não?

  35. ehehheheehheheheheh
    Eu acho piada é à maquilhagem e aos cosméticos linguisticos de que tu e os mentirosos dos Pinto de Sousistas se servem para mascararem as medidas NEOLIBERAIS do governo. Ele é o batôn «reformista»; a base «moderna»; o rímel do «desenvolvimento», etc, etc; e tudo isto para não definirem essas medidas pelo que elas são realmente.
    E depois, Valupi desconversador, nenhum professor LIBERAL pensa por mim: para o caso de não teres percebido, o que é relevante aqui é um LIBERAL (parece que «soft», mas LIBERAL na mesma) dizer que a «esquerda» moderna aderiu aos aspectos essenciais do NEOLIBERALISMO. E se um LIBERAL diz isso é porque se reconhece nas políticas adoptadas, está de acordo com elas. Percebeste, ou é preciso fazer um desenho à medida da tua desonestidade intelectual?
    Aqui entre nós, ainda não reparaste que já não enganas ninguém com a tua «desconversa»?

  36. A «desconversa» continua… Mas, pá, não sejas tontinho… Já devias ter percebido que eu não dou crédito é aos mentirosos. Não te preocupes, por isso, comigo, pois podes ter a certeza de que o meu voto nunca será dado aos socretinos.

  37. os politicos são como as mulheres dos soalheiros, ralham as comadres decobrem-se as verdades,é ver o caso do Dias loureiro parece que não parte um prato, pois pode comprar um serviço da vista alegre.Eu voto P.S.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.