18 thoughts on “Um pequeno vídeo para o YouTube, um grande passo para o erotismo”

  1. já percebi o teu problema ó Valu-tetas. ficas fascinado pelos angulos de um poliedro em órbitas elipticas cruzadas e pelas tetas em apertos cúbicos. isto às 2:36 da manhã, como assunto de reflexão política emergente deve querer dizer que te faltaram poderosos argumentos para comentares encomiasticamente as originais manobras de camionetas electricas, juros dos títulos da dívida, taxas de desemprego ou, o mais certo, e isso como homem eu sou capaz de perceber e respeitar, apetecia-te meteres as mãos naquele maravilhoso e sexy cubo, até ficar todo roxo.

    de resto, o erotismo da cena, com um cenário de fundo com toda a volumosa magnitude sedutora e volúpia virtual necessária a um bom espectáculo público de propaganda (não és tu que andas a ler uns livros de publicidade e marketing?), faz-me lembrar a técnica do nosso primeiro a tentar resolver o cúbico problema do país. tás a ver a cena. ele dá voltas e voltas, faz ares de fera e especialista com recursos ilimitados para a gestão de causas nacionais, mas aquele esbracejar disléxico, a voz de falsete, os gestos estudados maquinais dissociados da voz, os fatos armani, a pose majestática e as piadolas labregas servem só para nos distrair do essencial: ele sabe lá o que fazer com o cubo … a não ser distrair a malta com espectáculos de magia de festas de anos.

    e ainda há gajos e gajas que têm tesão com isto? não devias consultar um sexólogo, psiquiatra ou ir às putas? sempre conseguias mais prazer e realização xexual. se precisares de algum grupo de apoio para esses problemas de perversões e patologias obsessivo-compulsivas, não te envergonhes. eu conheço alguns com muita experiência que garantem o anonimato. fica à vontade para me incomodares. eu sei o que uma pessoa sofre com essas pulsões e desequilíbrios irracionais. abraço.

  2. Gostei á brava da metáfora Humert, e realmente é estranho o que anda o rapaz bajulador a fazer ás tantas da manhã a olhar para estas coisas sub-roxas complicadas. Só gostava mesmo que o nosso primeiro fosse uma primeira como esta delícia inocente porque assim sempre tinhamos qualquer coiisa útil e interessante para apreciar sempre que ele aparecesse nas tv´s a fazer mais um dos seus números de PALHAÇO de circo. Assim é só para nos causar azia e caganeira …

    pS – Eu posso ensinar-lhe (a ela, não ao palhaço) como se resolve o cubo sem olhar para o dito e concentrando-me apenas nas fitas cruzadas. Cumps

  3. Eu também quero uma primeira com estas capacxidades peitorais e inteligencia a “dobrar”. Ai que motivação tinha pra a ouvir vezes sem conta. E até me podia mentir todos os dias, como faz o bode charlatão que nos desgoverna, que eu engolia tudo como um menino embeiçado.

    KUBO AO PODER, Já

  4. Porra para o Palhaço, porra para o Valupetas e para o Rubik e porra para estes palonços que só pensam em política e no merdonças do primeiro. O homem já é um cadáver político que tresanda e ainda se ocupam com ele? Eu quero é o cubo a rodar incessantemente. Nao à maneira de conseguir um video com alta resolução e pra ai com 30 minutos?

  5. Depois de ler com atencao este post engracado e provocador qb, mais as respectivas respostas, desculpe a pergunta. Mas essa coisa das fichas significa o que? Obrigado.

  6. Há para aqui uns gajos(as) a fazer comentários a este vídeo que devem ser panilas ou assexuado(a)s, com certeza – com o(a) cognominado(a) Humert (que nome…) à cabeça! Eu, se fosse político, além de me estar a cagar para as suas críticas, sentia que estava no bom caminho, com inimigos destes! Dasssss. Belo vídeo!

  7. nao posso deixar-vos por umas horas e olha no q’isto dá. uns maduros a perorar sobre as virtudes de um primeiro no feminino, roliço, encantador e que animasse a malta. e só lhes posso dar razão, tal é a evidência da urgência de uma generosa figura de estado que nos dê alguma pica. mais uns ceguetas que juram nunca ter visto um cubo, apesar de ele saltar ritmada e alternadamente olhos dentro. uma ameaça declarada de censura por falta de humor, tesão e noites mal dormidas (pudera, depois daquela visão a ensombrar o tecto do quarto). mais um torres androgino que pela pinta de matarroano faz mesmo parte do tal grupo de inocentes que ainda acredita no papai noel vestido de primeiro. e, leandro boy, descanse que isto é só a malta da ala mais ligth lá da tasca da xuxaria. os mais radicais, chamados de abrantinos, vivem ali para os lados da camara corporativa na rua do jugular. são mesmo gente aborrecida que não aprecia uma boa prosa dinâmica e combativa. o erotismo que os excita passa mais pelas missas e cânticos do largo do rato. o mais significativo e verdadeiramente importante é que nenhum destes, dos bitaites e masturbadelas virtuais, nem dos outros que fingem governar, são capazes de resolver o enigma cúbico do país, nem de qualquer outro. e isso entra pelos olhos e bolsos dentro – e de que maneira. cada dia que passa a nossa miséria aumenta e esta malta da aspirina b (de bajulação) insiste em amplificar a mais monumental propaganda e mistificação política de que há memória depois do 25 abril. e deixem lá a rapariga do cubo, que é do melhor que por aqui passou. o resto é fancaria e bocejos. Passem bem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.