Um Cristo da dissonância cognitiva

É sempre assim com teorias de conspiração. Dão voz aos medos e preconceitos do povo, são simples de explicar, populares e impossíveis de rebater – quem opta por acreditar no irrazoável não está disponível para aceitar a razão. Mas sendo inútil discuti-las, vale a pena destacar que estas acusações estão generalizadas no debate. Que não são excepção, são a regra. E que isso diz mais acerca do estado do país do que dezenas de estatísticas e relatórios internacionais.

Deixámos de distinguir um argumento sério de uma teoria da conspiração, já não estranhamos o que é estranho, tratamos de modo igual o que é diferente. Assim está o debate político – afastado do conteúdo das medidas, do impacto dos programas, das leis, do que é real, do que deve ser a busca pelo bem-comum. E assim está o debate público – formado por comentadores obedientes a narrativas partidárias e a radicalismos que valem likes e partilhas no facebook. Inevitavelmente, assim estamos nós. A economia pode crescer e o desemprego baixar, mas a única coisa que anima as hostes é que Passos Coelho quer aumentar a pobreza.

30 de Março

.

Proença de Carvalho é livre de pensar e dizer o que quiser sobre o BES, sobre Sócrates e sobre a investigação que o conduziu à actual prisão preventiva. Mas, já que o faz com regularidade, convinha aclarar igualmente o contexto das suas afirmações e acusações.

É que, de facto, resistem várias dúvidas quanto a esse contexto. Qual a relação que Sócrates teria tido na compra da Controlinveste (DN, JN, TSF, O Jogo), da qual Proença é hoje chairman? Qual a influência que o ex-primeiro-ministro teria tido – como escutas publicadas indiciam que teve – na escolha do jornalista Afonso Camões para a direcção do JN? Por que razões não considera existir uma incompatibilidade ética entre ser chairman de um grupo de comunicação e, através desse grupo, defender pessoas que lhe estão profissionalmente associadas – como defendeu Sócrates na TSF, no seguimento da sua detenção e do motorista João Perna, que o seu escritório representou? E por que razão não vê implicações na coincidência de ser o mais reputado crítico do juiz Carlos Alexandre, quando este é responsável pela investigação ao ex-primeiro-ministro e ao banqueiro Ricardo Salgado, seu cliente?

16 Março

35 thoughts on “Um Cristo da dissonância cognitiva”

  1. Proença de Carvalho é simplesmente uma vizinha que vive da intriga e manipulação com sucesso. Um zero que vive no controle dos bastidores.

  2. E, por isso, por não responder, não saber responder, porque os seus lacaios não sabem responder, vem com os costumeiros generalismos, confortavelmente encostado num poder que é fitício. Um vazio jurídico, que se encosta no nome. Nunca vi nada mais atacado do ponto de vista jurídico, sem saber reagir quando respondido por outros. Un peu comme les gitans, que atacam em matilha, mas quando sozinhos, simplesmente se escondem e temem a formiga.
    A palavra de Proença de Carvalho continua a merecer o que há anos alguém, por escrito público, lhe chamou «besta quadrada». Exatamente. E quando tal epíteto lhe foi atirado em audiência, logo ele se empertigou, mas caíu como os patos na manteiga no suspense tão bem causado – quedou-se, pois, quando soube que quem assim o qualificava, era sobrinho de um poderoso na altura. Ele pode dar uma conferência sobre fugas de informação, na verdade, muitas.

  3. Ele ha quem sofra de casos muito mais agudos de dissonancia cognitiva. Pode-se escrever uma tese inteirinha sobre o assunto com o conteudo de sites como o Aspirina, o Corporacoes, aquele do Simplex, etc..

  4. isso são achismos e fézadas dum cristo em barriga de aluguer. nice, mesmo nice é a repostagem biográfica do agáneto feita pela rita dinis “henrique neto. de devorador de livrosa homem que ralhava”, frete confrangedor e uma completa aldrabice para quem não conheça o bicho, tem de tudo, desde aquilino a dizer-lhe que não tinha idade para ler os livros dele aos depoi(a)mentos da secretária com passagem pelos calabouços da psp nas caldas. é esta merda mal contada e deturpada que vai fazer uma campanha presidencial com um pugrama anti-sócras, mais valia candidatarem o joão miguel tavares.
    http://observador.pt/especiais/henrique-neto/

  5. FERRA, ora ferra a tua insólita boca em ti próprio. Preserva o ambiente, poupa-me à tua óbvia falta de argumentação. Podes procurar nos teus links wikipédicos à vontade, ó anémico.

  6. E o alcoólico voltou – ei-lo com o fel wikipédico «so five minutes ago». O IGNARO IGNARALHO IGNORANTEZES e IGNÓBIL JÉ BICOS IGNÔNCIO.

  7. Valupi, precisava da tua opiniao sobre isso da tese.

    Sabes, o meu frances ate e razoavel, mas mesmo assim nao me sinto confortavel em escrever a tese nesse idioma, especialmente tendo em conta que tenho por objectivo usar os resultados da minha pesquisa para logo de seguida publicar em Portugal um livro sobre o assunto (um best seller obviamente).

    Conheces por ventura alguem que me possa ajudar em tao dificil tarefa, algum cujo dominio da lingua de Gaule seja de tal modo preciso, alguem totalmente fluente no idioma e que permita tal facanha?

    Um grande obrigado!

  8. Ó FERRA, oube, eue só falei em alcoólicos e ignaros, se te identificas como tal, it´s your privilege, see? lole, lole. oqueie.

  9. Exemplo acabado de dissonancia cognitiva:

    Antoino Tosta (15 Marco 2015).
    “A mobilização dos socialistas para as legislativas nacionais começa na Madeira e António Costa, que esteve na abertura de campanha, acredita que a mudança no País se iniciará nas regionais de 29 de Março, que será o primeiro travão ao “falhanço da política de Passos Coelho””

    Antoino Bosta (31 Marco 2015)
    “As eleições regionais são eleições regionais. O PS já ganhou eleições nos Açores, perdendo no país. Já ganhou eleições no país, perdendo na Madeira. São eleições completamente distintas, não têm dimensão nacional”.

  10. Basico, a minha opinião é a seguinte: ainda bem que passas o dia de cu sentado a olhar para este maravilhoso blogue, pois assim evitas sair à rua onde ainda poderias causar algum dano na via pública com a tua bestial basicidade.

  11. Eis outros exemplos de dissonancia cognitiva e de coerencia (intelectual e politica).

    31 Marco de 2015: Antonio Costa anuncia que ira renunciar ao mandato de presidente de maior camara municipal de lisboa. (apos ter passado 5 meses em campanha eleitoral para as autarquicas).

    10 Fevereiro de 2014: “O presidente da Câmara Municipal de Lisboa afastou definitivamente a possibilidade de desafiar António José Seguro na liderança do PS. “Neste contexto, não faz sentido candidatar-me”, afirmou aos jornalistas” (enfase em definitivamente)

    27 Maio de 2014: “António Costa afirmou, na cerimónia de inauguração de um monumento de homenagem a Maria José Nogueira Pinto, que seria «imperdoável» que não se mostrasse disponível para liderar a mudança no país e constituir um «Governo sólido em Portugal».”

  12. Amados aspirínicos, já bistes a plateia reunida para a apresentação do livro de José Sócrates, hum? já?
    ide ber, ide ber. E a foto dos irmãos gémeos separados à nascença, hum? já bistes?

  13. a semana passada era o emprego e o pib que não paravam de crescer, durou 2 dias, afinal tinham-se enganado nos números e falavam de previsões para o fim do ano. ontém era uma maioria absolut vodka laranja, hoje a chapelada encolheu para licor de tanjerina. as mentiras e aldrabices destes gajos têm prazo de validade búe da curto.

  14. O Ignorantz, não percebi muito bem essa tirada das eleições, estavas a referir_te ao que exactamente, ao põe e tira do to chamucas, o gajo que estava em part time na câmara de Lisboa e que com o permanente deslize nas sondagens achou que se calhar era melhor por um fim à palhaçada ?

  15. A Chamuça, que mal o Syriza venceu na Grécia, veio, tipo emplastro, colocar-se na fotografia dizendo “esta é a linha que devemos seguir”. E, tal como o padrinho Soares, Costa anda a insinuar há um ano que sente a mudança no País e na europa-não sei que mudança quando os socialistas perderam mandatos na Europa nas eleições este verão. Mas lá está, eles vêem coisas que o comum dos mortais não enxergam.
    Há uma semana foi a correr ter com Hollande, para tirar uma fotgrafia, lá está, tipo emplastro, dizendo ele que a europa vai mudar e acabar com a austeridade. LOL No Domingo seguinte eis que Hollande e o PSF sofre a mais pesada derrota nas departamentais em França.
    Ao mesmo tempo, na Madeira onde Costa havia anunciado no inicio da campanha eleitoral, ser o principio da mudança que o País esperava, lá estava ele tipo emplastro na fotografia com o Coelho palhaço da Madeira, eis que o PS sofre uma pesada derrota, que nem o Seguro em toda a sua incompetência (como Costa o baptizou) alcançou em 3 anos de dificil mandato. Hoje diz-nos que afinal aquilo é para analisar fora do quadro nacional.
    Portanto agora, já nada interessa, de preferência é preciso chegar rápido a 5ª feira, para ver qual é o caso seguinte para que ninguém fale do flop de Costa e se entretenham à bofetada aos elementos do governo.
    Não sei se Costa percebeu, é que depois de tanta trafulhice com casos e mais casos, aliás a que ele tem aversão, mas é só o que tem feito desde que chegou a lider do PS, a maioria, ou melhor os partidos que compõem a maioria governamental tiveram quse 60% dos votos na RAM onde chegam notícias diariamente de casos e mais casos. Não sei se lhe passou isto pela caeça?
    E estou certa, que se por acaso hoje, na recontagem o PSD M vier a perder a MA, Costa transformará logo isso num caso exemplar de punição ao governo de Passos e Portas.
    De facto, quem chamava incompetente ao Seguro deve estar bem arrependido.

  16. “Imagina-se o que não teria sido escrito, dito e gritado se na noite eleitoral coubesse a António José Seguro justificar qualquer coisinha ao país em nome do PS ,,,

  17. dito por jose miguel judice, que proença de carvalho é o melhor advogado portugues. não é um merdoso qualquer que “controla” os media.

  18. “tantos ataques a Antonio Costa” todos, claro esta, sem fundamento. Alias, nem estamos a usar citacoes directas do Chamucas nem nada, esse catavento, digo, monumento de integridade e consistencia.

  19. sugiro aos convivas deste espaço, que tenham o cuidado de desligar as ventoinhas, pois até às eleições os cabrões vão mandar muita merda para o ar.

  20. Aie fifi, a sério, ele disse isso? Hum, mas o Proença de Carvalho exerce? É? Isto é, ele advoga? Não sabia…

  21. os links aqui não dão, tive de ir por outro caminho. o título está excelente já que nos remete para o mistifório de ironias dos artigos aqui compilados. de facto, entramos em dissonância cognitiva quando ao que sabemos que não podemos sobrepomos o que queremos – uma espécie de mal necessário. e o Alexandre Cristo assim se conluia com a pobreza e com o dono da pobreza para quem a pobreza per si não constitui argumento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.