13 thoughts on “Tudo o que há para dizer acerca da coisa”

  1. que morcona, imbecil.

    o que tirei da entrevista foi o esforço no cuidado com as palavras para não haver espaço a promessas, por parte do PPC. pela parte dos entrevistadores, uma pressão sobre o futuro. não houve golos.

  2. e depois é assim: falar de cães e gatos por acaso também é falar de pessoas atendendo à quantidade de abandonos e igualmente eutanásias cometidas nos veterinários como consequência do empobrecimento. uma expressão infeliz, portanto.

  3. vem um gajo cheio de boa vontade para comentar o post e caga os dois sapatos em dois montes de merda matinais que a gordurosa deixou aqui na entrada do caixote dos comentários. foda-se, como é possível tão burra e não dar por isso.

  4. morcona da tia és tu, oh bronca desbocada com cérebro de lombriga só diz disparates, não percebe, nem faz um esforçozinho para perceber, verte reaccionarice por todos os buracos e insulta a inteligência de quem não conhece, nem tem capacidade de conhecer por falta de miolos.

  5. Quando degustava as torradas com Becel e debicava pequenas porções de Compota de Maça com Mel e Canela,assolou-me uma interrogação:Qual a similitude entre uma lâmpada estragada e passos coelho?Resposta rápida:Ambos estão incapazes de projetar qualquer tipo de luz!
    Entretanto,beberiquei o cafezinho da manhã e fui arejar a pevide.

  6. oh saco de vírgulas, não fazes ideia nenhuma do que é populismo ou do significado das palavras que utilizas, caso contrário estavas caladinha, não te expressavas por hieróglifos e não dizias tanta asneira. já agora, tamém não percebo a passividade do gerente do tasco a insultos gratuitos & reaccionarice q.b., já o vi aviar garrafões de 5 lt por menos crédito.

  7. resumo da entrevista:
    «Realmente é um bocadinho estranho. Não é só o português em média (que considera estranho), nós no Governo também estranhamos»

  8. pergunta que faltou fazer durante a amena cavaqueira: e já pensou esclarecer a coisa junto dos altos responsáveis? Não? Mas isso é que é verdadeiramente muito estranho…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.