Tudo explicadinho

Os submarinos

Os proto-especialistas em corrupção têm ocupado, nos dias mais recentes, o espaço mediático: com generalidades. Avizinhando-se o sangue da decisão instrutória, seja ela qual for, não era de esperar que assim não fosse. Não deixa, porém, de ser insólito que, mesmo em nota de rodapé, o caso dos submarinos não seja objeto de atenção. Se há caso em Portugal que mereceria uma análise exaustiva, até por estar irremediavelmente findo, seria este. Não conheço que académicos ou magistrados tenham levado a cabo essa análise que, com certeza, seria enriquecida licitamente com o cotejo com o processo que, à volta dos mesmos factos, correu termos na justiça alemã. A reflexão sobre casos passados é bem mais importante e didática do que a especulação sobre hipóteses futuras.

A.R.

+

Concluios

Quando a investigação criminal e os média se conluiam no mesmo propósito, não é já da justiça que falamos. A fuga criteriosa e sistemática, ao longo do tempo, de elementos da investigação que deveriam estar em segredo de justiça ou eticamente preservados, vai permitir criar uma narrativa sem contraditório, facilmente assimilável, que elimina a presunção de inocência e dificulta o exercício da defesa. Esta narrativa, obviamente, vai ao encontro dos interesses da investigação, dando-lhe uma credibilidade que só deveria adquirir, por mérito próprio, em sede onde fosse permitido o contraditório judicial.
Há crimes que são particularmente vulneráveis a essas urdiduras, com fortes impactos socias e políticos. Estarão, nessa situação, os crimes de natureza sexual ou económica.
Karine Moreno-Taxman*, procuradora americana, esteve no Brasil como “resident legal adviser”, e foi consultora das autoridades brasileiras onde se integrava o juiz Moro. Em 2009, na presença de Moro e de centenas de polícias federais, ensinou que num caso de corrupção é preciso correr atrás do rei de maneira sistemática e constante para o fazer cair, ou que, a fim de que o poder judicial possa condenar alguém por corrupção, é necessário que o povo deteste essa pessoa. Não estive presente nas conferências que o juiz Moro deu em Portugal, pelo que não posso afirmar que tenha sido tão didático como a procuradora americana.

*Recolhi estes elementos no artigo do jornal Le Monde que aqui referi.

A.R.

33 thoughts on “Tudo explicadinho”

  1. Quando as procuradoras se apaixonam pelos arguidos, os submarinos afundam-se!
    Não foi o tal Bataglia, a testemunha de acusação que, como administrador da ESCOM
    fez uma distribuição de milhões pela administração do grupo BES, provenientes dos
    tais 30 milhões das “luvas” da Ferrostal? Como diz o povo, o amor cega-nos!!!

  2. Miguel Horta e Costa, Luís Horta e Costa (o “Luís das Amoreiras”), Helder Bataglia e Pedro Pereira Neto são os quatro mangas que sabem tudo sobre o caso dos submarinos, porque foram os seus protagonistas pela parte da ESCOM/GES e porque por eles passaram em 2004 os 28 milhões de euros de “comissões”, pelas quais a Ferrostal acabou condenada por corrupção activa na Alemanha e cujo destino final em Portugal o Ministério Público nunca quis conhecer. Como é que estes quatro salafrários se safaram das chamadas “malhas da justiça”? Quem é que os safou?

    Como é que também se safou da justiça o CDS, que recebeu em 2004 mais de um milhão de euros, em 105 depósitos feitos em quatro dias, cuja origem nunca ninguém quis esclarecer? O CDS era o partido de Paulo Portas, à data ministro da Defesa. O CDS tinha então como director financeiro Abel Pinheiro, homem das relações do “Luís da Amoreiras”, com quem tinha “acordos” conhecidos de Paulo Portas.

    Toda gente soube disto, inclusive, ou sobretudo, o Ministério Público, que optou por arquivar o processo dos submarinos em 2014 sem acusar nenhum dos presumíveis elementos passivos da corrupção alemã. Quem é que os safou a todos?

    São perguntas sem resposta, para vergonha da merdosíssima e corruptíssima justiça portuguesa.

    Meses depois do arquivamento do caso dos submarinos, prendeu-se José Sócrates, porque estava a levar uma “vida de luxo” em Paris. Paulo Portas era então o vice-primeiro ministro de Portugal.

  3. E o tesão que se apoderou ontem dos noticiários televisivos com a manifestação de apoio, convocada pelo próprio, a um juiz idiota, vaidoso e burro do caralho, que diz que essa coisa da covid é tudo uma grande treta, e que máscaras são treta maior, e que querem é foder-nos a liberdade, e que estamos afogados numa ditadura maçónica, e mais peido prà qui, e mais diarreia prà colá? Aquela merda era só freedom fighters, pôcera, que excitaçom, fiquei todo molhadinho! Amanhã estarão os mesmos idiotas a berrar pelas liberdades que lhes foram roubadas no 25 de Abril pelos cabrões dos maçónicos (vade retro!) e comunistas corruptos (vá de metro!), e que o Ventura, à frente de um exército de porcalhotos impolutos, é que vai restaurar as liberdades malvadamente inseminadas pelos abrilistas maçónicos e comunistas, nem que para isso tenha de enfiar metade do país em Caxias. Insisto, não foi maravilhoso o tesão castrado (seja lá isso o que for, inventei agora) que se apoderou da nossa maravilhosa cena merdiática, quando comparado com a indignação plastificada e cobarde que unanimemente bolçaram e continuam a bolçar contra o juiz Ivo Rosa? Foda-se! Esta merda só vai mesmo à cabeçada!

  4. António Roquette (10) Era um dos membros do conselho de administração da ACECIA. É um dos sete portugueses que foram pronunciados no processo das contrapartidas dos submarinos e que acabariam absolvidos, em Fevereiro de 2014. Na decisão instrutória, o juiz Carlos Alexandre considerou que os sete actuaram de forma concertada com os representantes da Man Ferrostaal “com o objectivo de verem aprovados os projectos que careciam de causalidade, de forma a obterem o pagamento de comissões por parte desta que sabiam não lhes serem devidas”.

    Cândida Almeida (6) Cândida Almeida era directora do Departamento Central de Investigação e Acção Penal quando foi iniciada a investigação ao caso dos submarinos, em 2006. Neste caso ficou conhecida por ter passado em 2012 um atestado de inocência a Paulo Portas: “O chamado ‘processo dos submarinos’ tem a sua investigação aberta contra desconhecidos, não tendo sido recolhidos indícios da prática de ilícito de natureza criminal por parte de V. Ex.a [Paulo Portas].”

    Se queres com mais molho tens a lista toda aqui :

    LINK:
    https://ionline.sapo.pt/artigo/263239/dois-processos-zero-condenados-as-figuras-de-uma-investigacao-falhada-?seccao=Portugal_i

  5. tive que ler aquela porra toda para descobrir que era mais um broche ao alex para reparação dos danos sofridos com a operação marquise. deveria ter desconfiado quando vi o cabeçalho do i e fui no embalo do juiz pintas até:
    “No DCIAP. Estávamos em 2002, eu telefonei para um amigo que conhece toda a gente e ele telefonou para o Carlos Mendonça, o homem das marchas, pessoa com quem eu nunca tinha falado.”
    aqui acendeu a luz vermelha do óleo de raciocínio que lubrifica as engrenagens do pinsamento, disse para comigo mesmo aquilo que agora reproduzo: telefone & cunhas, ao estilo espírito santo “põe o moedas a funceminar”.
    entretanto lembei-me dum telefonema duma senhora que queria comprar-me uma casa, nunca posta à venda, e que se identificou como reformada da justiça, ex-secretária do alex, homem muito integro e trabalhador. o motivo da compra é que vivia numa casa muito grande fora da cidade e queria uma casa mais pequena no centro, portanto a casa seria para ela viver. abreviando: quando lhe mostrei a casa descobri que trabalhava na remax lá do sítio.

  6. caso moderna – julgamento 2002-2003
    condenado o reitor e mais un nabo, portas não foi a tribunal e o sousa lara condenado com pena suspensa
    ministra da justiça: celeste cardona

    caso submarinos – julgamento 2014
    tudo absolvido e o portas não passou de testemunha
    ministra da justiça: paula teixeira da cruz

  7. Foi arquivado pelo MP .
    Deves ter feito confusão com o caso abóboras .
    Só acertaste na data .

  8. vinciamo, consulting, lda
    fundação: 2016
    sócios: filho & mãe
    morada: rua do possolo
    negócio: prestação de serviços
    clientes principais: mota engil, pemex, tvi e outros não revelados por “respeita a reserva de informação comercial quando a mesma também pertence aos clientes da empresa.”

    https://observador.pt/2017/09/23/paulo-portas-fatura-em-media-mais-de-36-mil-euros-por-mes/

    tudo legal:
    não pode sair do governo para a mota-engil, mas pode ser dono de uma empresa que presta serviços de consultoria à mota engil, se calhar com contrato de fidelização e indemnização no caso no caso de não ser cumprido.
    alguém investigou as relações portas-ministro com a pemex, não nem interessa, acho que fica na américa latina e ele não tem nada a ver com isso, é só negócio duma sociedade mãe & filho, lda. contratada pela empresa petrolífera estatal do méxico, que como sabemos tem dificuldades em contratar filhos da mãe para se aconselhar. o ministério público anda tão ocupado com o sócras que nem tem tempo para googlar: pemex -galp-portas e seguir o rasto: https://www.jornaldenegocios.pt/empresas/detalhe/mexicana_pemex_contrata_paulo_portas_como_conselheiro

    a tvi, olha que ainda não morri:

    objectivo da 2ª temporada, eleger mais um presidente que nos proteja dos desmandos socialistas e manter viva a chama dos nossos anunciantes vítimas da exploração desenfreada dos consumidores. entretanto se a cristina ferreira for presa por dívidas não ficam descalços na substituição.

    https://lusopt2016.blogspot.com/2015/09/paulo-portas-apanhado-em-1995-em-acto.html

  9. Da série “Usos e Costumes”:

    …. “Mas nem só de frio e de neve se fazem as férias de Inverno das elites. Há quem prefira descansar em ambientes mais exóticos. O presidente do BES, Ricardo Salgado, e a sua mulher, Maria João Calçada Bastos, por exemplo, gostam de quebrar a monotonia do rigoroso Inverno na Europa na casa que compraram na Baía, no Brasil. O casal convida regularmente amigos, como o professor Marcelo Rebelo de Sousa e a namorada, Rita Cabral, para passarem uns dias de descanso na famosa praia do Itacarezinho”. ….

    E não haver um juiz para interrogar o Celinho sobre se ele não achava mal que fosse o amigo a pagar as despesas dessas férias …. !!!!

  10. Obrigado pelos links. Depreender-se-ia então, segundo o honesto jornal de referência i (cujo nome actual parece que é Inevitável, mas não há a certeza), que o procurador Ramos e a directora do DCIAP Cândida é que inocentaram os arguidos do processo (ou “dois processos”) dos submarinos e que o impoluto juiz Alexandre é que batalhou pela sua inculpação. O jornal i nunca deixa de contar uma bela história da carochinha, é Inevitável. Eu juraria que a fonte do jornal foi o Alexandre.
    Como é evidente, nunca saberemos quem é que realmente safou aquela bandidagem toda, mas não tenho dúvidas de que a coisa foi decidida ao mais alto nível do poder político de então, quer em 2004, que em 2014.

  11. Serei mesmo só eu que acho que a imputação do crime de branqueamento de capitais a Sócrates é altamente discutível mesmo que se admita a origem ilícita do dinheiro vinda de um Carlos SS “corruptor”?
    É que ele não fez o dinheiro passar por lavandaria alguma, ele simplesmente gastou o dinheiro.
    O facto de receber em dinheiro vivo e de forma discreta não é por si só uma manobra de branqueamento.

  12. todas as empresas exportadoras tem contas bancárias nos países onde operam e os donos ou quadros superiores uma conta na suiça ou equivalente. as primeiras servem para recebimentos, pagamentos locais e transferências de prémios, comissões e remunerações por fora dos titulares das segundas. toda gente do fisco e mundo empresarial sabe disso e até existem planos para repatriamento (ler legalização) da massa de forma a garantir que o estado receba algum (melhor que nada) e resolver problemas de liquidez em portugal, depois inventam crimes de corrupção e acham que as empresas portuguesas sobreviviam no estrangeiro sem estes esquemas. crime é o pingo doce pagar impostos na holanda daquilo que vende em portugal importado da holanda, mas para isso não há lei.
    mais, não há governo nenhum que não tenha uma conta-saco azul numa zona livre para pagamentos urgentes de coisas duvidosas.
    https://cgov.pt/o-ipcg/606-redir

  13. O usos e costumes

    Mas isso bem se aplica só Socras porque o dinheiro é do outro, e não se aplica ao outro porque o dinheiro entrou em Portugal legalizado e pagou impostos. O que eu não percebo é como se sustenta uma acusação de branqueamento quando o indivíduo se limita a receber e a estourar o dinheiro todo em bens de consumo.

  14. O caso dos submarinos, deu lugar a dois processos, o primeiro, o dos submarinos ( caso da compra dos submarinos, propriamente dito ) e o segundo, o das contrapartidas da compra dos submarinos, ( com origem na investigação do primeiro caso, o das compras ) .
    Daí que eu esteja a dizer a verdade quando afirmo que o primeiro caso, foi arquivado pelo MP, logo, não seguiu sequer para julgamento, e o segundo, como referes e comprovas no link que anexas, seguiu mesmo para julgamento e originou um acórdão que declarou a absolvição dos arguidos . Portanto também estás a dizer a verdade .
    O que não interessa é a menção de quem era ministro ou ministra da Justiça ao tempo dos factos, porque tal titular de cargo político-governamental não tem competência legal para interferir no(s) processos(s) . Se assim fosse, estaria gravemente lesado o princípio constitucional da separação de poderes .

  15. Não posso opinar sobre o aspecto técnico que Jasmin refere, porque me faltam elementos factuais do processo e não tenho formação jurídica, mas estranharia muitíssimo que o juiz Rosa não tivesse ponderado essa questão. Ele achou plausível a origem ilícita do dinheiro, é um facto. Depois conjecturou aquela trama do CSS corruptor e poderá ter considerado que o presumido investimento de JS numa casa em Paris, dissimulado de arrendamento, seria uma forma de branqueamento, não? A não ser assim, restaria a hipótese de o juiz se ter desesperadamente agarrado ao único indício consistente que encontrou na acusação só para não parecer demasiado leniente para com o réu. Ou ainda a hipótese de série B de o juiz ter propositadamente construído uma acusação deficiente de modo a que o réu pudesse facilmente defender-se. Não acredito nem numa nem noutra.

  16. mas alguém sabe quanto é que o socras recebeu do santos silva? vai de 570 a 1.700 e 250 já estão pagos. não há branqueamento, não há crime nenhum. a única coisa que há são duas cambadas, uma que quer engavetar o gajo porque não o consegue vencer e a outra é de traidores e canalhas que vai cedendo às pressões dos primeiros. no link abaixo podes ver o ex-corrupto, agora mentiroso a dar uma tareia numa pessoa de bem e que só falava verdade e não admitia discutir os seus pensamentos num debate eleitoral. os que se queixavam na altura que o fmi nunca mais vinha são os mesmos que agora o querem prender. um clássico que deveria constar nos programas sobre aldrabões.

    https://www.youtube.com/watch?v=AAR-noDhoH8

    entretanto havemos de saber que foi o relvas que pediu ao paulo ferreira para propor ao sócras o programa na rtp ao domingo, na altura andava a ser investigado e não havia nada que o comprometesse e alguém pensou que poderia ser interrogado em directo pelos agentes adelino faria, zé orelhas e a super-agente ar& mata estêbes e que talvez houvesse algum descuido e pingasse uma declaração comprometedora. fiasco total, foram todos tosquiados, o gajo da ideia teve um ataque tipo joana a dias e mandou prendê-lo em directo. tudo vítimas de corrupção e mentiras de sócrates que só não testemunham para não fazer a figura de mário o “crespo”.

  17. Fornecí o link do João Ramos no intuito honesto de que quem tivesse a paciência de ler, o fizesse de forma selectiva, isto é, retendo o que considerasse relevante para o caso da compra dos submarinos, e descartasse ( ou saltasse ) o que não tem relevância .
    Uma vez que parece que obriguei pessoas a lerem tudo, para me penitenciar, lí também tudo, e o que retenho de mais importante, de tudo aquilo que ele disse, é isto ( porque também eu sou um descrente do direito, dito melhor, do modo como ele “toma forma” – isto é, se manifesta e se concretiza – por acção dos intervenientes .

    “Mas perdeu o encanto pela justiça?

    Nunca tive. A justiça é sempre o resultado daquilo que acontece em determinado contexto e daquilo que se demonstra em determinado contexto. “

  18. “O que não interessa é a menção de quem era ministro ou ministra da Justiça ao tempo dos factos, porque tal titular de cargo político-governamental não tem competência legal para interferir no(s) processos(s) . ”

    o que não interessava era levar o portas a julgamento, mas era preciso um faz de conta dividiram aquilo em dois. o primeiro não passou de testemunha e os segundos levaram uma reprensão escrita para continuarem a servir o estado com a mesma dedicação.

    “Se assim fosse, estaria gravemente lesado o princípio constitucional da separação de poderes .”

    deves estar a gozar, o estado foi gravemente lesado em 30 milhões e mais uns trocos e princípio da separação de poderes ia no fim quando a paula teixeira da cruz disse em campanha eleitoral que iria investigar o governo anterior e assim que tomou posse o ministério público foi investigar os cartões de crédito dos anteriores ministros socialistas.
    link para inicio da caça às bruxas:

    https://tvi24.iol.pt/politica/paula-teixeira-da-cruz/ministra-da-justica-acabou-a-impunidade-em-portugal

  19. hipotese c – não podia sem tudo duma vez, apanhavam uma congestão cerebral, mesmo assim ainda espumam e ruminam ameaças, mas vão-se habituando. para o ano levam a segunda dose e pode ser que fiquem vacinados a 90%, as agulhas entortam com a cambada do chega.

  20. “Daí que eu esteja a dizer a verdade quando afirmo que o primeiro caso, foi arquivado pelo MP, logo, não seguiu sequer para julgamento, e o segundo, como referes e comprovas no link que anexas, seguiu mesmo para julgamento e originou um acórdão que declarou a absolvição dos arguidos . Portanto também estás a dizer a verdade .”

  21. quando dizes que a ministra disse que ia investigar o governo anterior, no link não diz isso, o que diz é que :

    “ insistiu esta terça-feira, na Assembleia da República, mais uma vez, que «acabou a impunidade em Portugal», acentuando que «ninguém está acima da lei», sejam «pessoas do passado, presente e futuro». “

    e diz mais :

    “ A ministra da Justiça declarou que houve um reforço do número de inspetores da Polícia Judiciária para o combate ao crime económico, incluindo a corrupção, e afirmou ainda que, em conjugação com a Autoridade Tributária, se está a trabalhar quanto à fraude fiscal. “

    Inspectores da PJ e da AT não interferem na área estritamente reservada à acção do MP e dos tribunais .

    Também não venho de carrinho porque os personagens do caso da compra dos submarinos e os figurões do caso da contrapartida na compra dos submarinos são dois conjuntos de pessoas diferentes e não cabem num carrinho, cabem num autocarro .

    Presumo que, por ela se ter enganado nos modos verbais, – pessoas do passado, presente, e futuro – tenhas inferido que ela se referia exclusivamente ao passado ( governo anterior ) .
    Exprimiu-se mal, isso não constesto .
    O fim da impunidade, que ela disse querer, seria, isso sim, abrangente num continuum de tempo que abrangeria o passado, o presente, e o futuro. A impunidade . Não as pessoas . Heheh, claro que não se pode declarar o fim da impunidade para “pessoas que sejam do futuro”, isso é ficção cientifica .

  22. Júlio

    Isso era se o juiz tivesse considerado o Socras como o real proprietário da casa de Paris, mas tal não ocorreu. Ele acha que não está provado e até criticou a investigação que não fez quaisquer diligências para tentar provar a tese. O juiz “libertou” a casa de Paris para o SS. A única coisa que ficou presa foi o quadro do Júlio Pomar (e os livros). Mas eu diria que o quadro deverá ser a única preocupação da defesa ( o Socras diz que houve troca de cromos). Portanto não estou a ver aonde estão os 3 crimes de branqueamento.

  23. “paula teixeira da cruz disse em campanha eleitoral que iria investigar o governo anterior e assim que tomou posse o ministério público foi investigar os cartões de crédito dos anteriores ministros socialistas.”

    1 – disse na campanha eleitoral, se queres saber onde e quando procura

    2 – o link é a corneta para o inicio da caçada, achas que investigar cartões de crédito dos governantes anteriores é uma coisa normal e primeira prioridade de um ministro eleito

    3 – “Presumo que, por ela se ter enganado nos modos verbais”,

    tamém acho que foi presunto a mais na sandes política, mas se calhar a taberneira queria pescar o sócras e o gajo comeu o presunto e cagou no anzol

    4 – “Exprimiu-se mal, isso não constesto .”

    claro, quando as laranjas se espremem assim o povo fica na dúvida se não será sumo de uva

    5 – “pela repetida afirmação da ministra em terminar com a impunidade nos processos que envolvem
    titulares, a governante disse, na Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias, que «não víamos alguém que em Portugal fosse condenado», porque «são muitos anos de tradição».

    disse e repetiu “titulares de cargos políticos e com outros poderes” só não disse os nomes deles como a velha leiteira que anteriormente disse que não dormia enquanto o sócras tivesse liberdade.

    6 – “pessoas que sejam do futuro”, isso é ficção cientifica .

    o ivo rosa chamou-lhe “fantasias” e eu acrescento: sustentadas com dinheiro do erário público, só foi pena não pedir a contabilização dos custos desta palhaçada toda.

    7 – “os personagens do caso da compra dos submarinos e os figurões do caso da contrapartida na compra dos submarinos são dois conjuntos de pessoas diferentes”

    já tinha dito isso. um era ministro e os outros eram subalternos, o portas não passou de testemunha e os outros foram repreendidos para terem mais cuidado em actividades futuras.

    já vi que tens jeito para isto e acho que poderias ganhar uns cobres extra alinhando nas brigadas de rastreio da frente nacional de limpeza da net que andam por aí a denúnciar as entradas que chateiam a direita. só para teres uma ideia do volume de facturação deste negócio, deixo-te estes números relativosa pesquisas no google:

    socrates corrupção : 1.440.000 resultados / valor: 20 milhões (conta santos silva)
    ricardo salgado: 644 000 resultados / valor: 14.000 milhões (prejuízo bes)
    dias loureiro : 263 000 resultados / valor: 7.000 milhões (prejuízo bpn)
    cavaco corrupção: 205.000 resultados / valor: 21,2 milhões (pavilhão atlântico)

    todas as notícias ou artigos comprometedores das trafulhices de direita têm vindo a desaparecer lentamente e os poucos que se encontram estão alojados nas memórias de blogues, mas os links já não abrem.

    por agora estão suspensas as aulas para betos idiotas, os teus pais que te aturem.

  24. “ 1 – disse na campanha eleitoral, se queres saber onde e quando procura

    2 – o link é a corneta para o inicio da caçada, achas que investigar cartões de crédito dos governantes anteriores é uma coisa normal e primeira prioridade de um ministro eleito “

    deixa-te de peixeiradas e põe os factos correctos, o que foi dito era que iria investigar os cartões não solicitados ( cartões de crédito emitidos e enviados pelo correio ) que se consideram aceites se não forem devolvidos, assunto do âmbito do marketing abusivo .
    o pinto cabeludo tinha tratado mal do assunto por accionamento da prescrição, isto é, tinha mandado abrir processos e logo de seguida mandado arquivar, por considerar que os prazos de validade dos cartões tinham expirado .
    é só procurares nos arquivos da imprensa ou na torre do tombo .

    “todas as notícias ou artigos comprometedores das trafulhices de direita têm vindo a desaparecer lentamente e os poucos que se encontram estão alojados nas memórias de blogues, mas os links já não abrem.

    já respondi acima mas se a torre do tombo falhar, então é só questão de tentares com um serralheiro .

    “ por agora estão suspensas as aulas para betos idiotas, os teus pais que te aturem.”

    estás equivocada com o destinatário, o beto faleceu em 2010, ficou famoso pelo dueto com a ritta guerra, tinha talento e nenhum defeito se lhe poderá apontar e que conste sempre pagou a tempo e horas os direitos de autor .

    de resto, o teu paleio não entra no meu vocabulário, nem como cidadão nem como treinador .

  25. “O caso rebentou em 2012, no âmbito de um desaguisado entre os juízes e o Governo de Sócrates que pretendia tributar o subsídio de renda dos juízes.

    A Associação Sindical de Juízes Portugueses (ASJP) debruçou-se, então, sobre as contas dos gabinetes governamentais, no período entre 2009 e 2011, e considerou ter encontrado ilegalidades no uso de dinheiros públicos, avançando com uma queixa-crime.”

    https://zap.aeiou.pt/ministros-investigados-uso-cartoes-credito-do-estado-beneficio-pessoal-169343

    “Aquilo que surpreende o antigo presidente da ASJP, António Martins, que subscreveu a queixa, em 2012, é o facto de o inquérito ainda estar a decorrer. “Não consigo compreender este tempo de investigação”, desabafa ao Sol.”

    lá conseguir… consegue, mas não lhe dá jeito admitir.
    para variar não encontraram nada, mas vão vendendo a ideia até prescrever. quando prescrever é porque a lei protege os corruptos, falta de meios, de princípios e excesso de objectivos, além disso a prescrição serve melhor a culpa que vendem do que a absolvição, aquela cena do foram acusados, mas não se conseguiu provar.

  26. O seu comentário aguarda moderação. Esta é uma pré-visualização, o seu comentário será visível depois de ter sido aprovado.

  27. isso está tudo mal cozinhado, os ingredientes não combinam, o supermercado que forneceu o produto ( o Sol ) desde quando é um jornal credível ? sindicato de juizes não tem forma de fiscalizar os gastos do governo, se se debruçou sobre o assunto, então caiu no caldeirão do João ratão, o tribunal de contas é como o alho, é o último a entrar e o primeiro a sair, jornalista honesto e independente só conheço um, o henrique cymermen .
    reafirmo, parafrasendo o JJ, “ isso não entra no meu vocabulário, nem como cidadão nem como treinador “

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.