Tranquilidade

A escolha de Paulo Bento para seleccionador nacional só poderia vir da mesma moleirinha que queria Mourinho em fraction-time para dois jogos. São escolhas rigorosamente simétricas: o génio incomparável e a vulgaridade com génio, o favorito dos maiores clubes do Mundo e o que não treinou senão um clube em toda a sua mínima carreira.

Bento foi fazendo o curso de treinador em regime de trabalhador-estudante enquanto esteve no Sporting. Começou a treinar os juniores, mas só se aguentou uma época. Na seguinte, já dava ordens aos graúdos. Nos 4 anos em que acumulou classificações que deixariam o Belenenses em êxtase, conseguiu pôr a equipa a jogar o futebol mais feio dos últimos 30 anos leoninos. E foi um especialista em querelas com jogadores, preferindo ostracizar o talento a resolver problemas.

Bento passa uma imagem de operário fabril, honesto, frontal e abrutalhado. O seu moralismo calvinista espelha-se na monotonia táctica e na filosofia de ganhar com esforço, grão a grão, contando os tostões.

Pode resultar na Selecção? Claro que sim! É essa a beleza de ser dirigente e treinador de futebol: quem tiver sorte terá razão.

12 thoughts on “Tranquilidade”

  1. Vai ser o esplendor do delírio e da alucinação. Os problemas com os jogadores vão multiplicar-se, ele vai escolher pelos treinos e não pelos jogos, colocando em campo os onze que treinaram melhor e não os que jogaram melhor. Casos como Stojkovic, Varela, Vukcevic, Adrien, Yannick, Pereirinha e outros que foram castigados por jogarem bem e tirados da equipa no jogo a seguir, vão ser «mato» na selecção. É o princípio de Peter que se confirma – cada um só pode chegar até ao limite da sua incompetência.

  2. É da minha vista ou o pessoal anda todo a alucinar?
    É que consta que o tranquilo vai embolsar 70.000 euros mensais para acabar com o que resta da selecção…

  3. Amigo Val, atenção às referências ao Belenenses…é que eu sou hipertenso.
    Por vezes venho matar saudades aqui da pharmácia.

  4. federação que se reflecte para o Aqui se consegue evidenciar, no bom estilo, o que de vem dizendo: “os ‘lagartos’ (sem ofensa), SÃO UNS “KALIMEROS”… Então o homem não era aquele que tinha a melhor táctica e que em losango, punha a equipa a jogar como nenhuma outra em Portugal? Eu, pessoalmente, penso que, neste momento, ele, ou qualquer um dos potenciais seleccionadores, teria de ter um discurso igual, para tentar remediar o mal já feito na bagunçada que é a Federação e que se espalha para a Equipa. Se o PB não conseguir impor-se a toda uma panóplia de interesses, irá ser cilindrado. Espero, sinceramente, que tenha sucesso, não por ele (apesar de nada ter contra o homem!), mas pela Selecção.

  5. «É o princípio de Peter que se confirma – cada um só pode chegar até ao limite da sua incompetência». A incompetência não tem limites. O ‘princípio’ é assim enunciado: «Numa hierarquia todo o empregado tende a elevar-se até ao seu nível de incompetência». Desta forma, se Bento já atingiu esse nível, a sua incompetência será ilimitada. (desculpe jcF, mas a precisão é apenas um pretexto para reforçar)

  6. Como prefiro factos gosto de assinalar as classificações obtidas por Paulo Bento enquanto treinou o meu Sporting. Depois tenho a mania de apreciar gente frontal. Gostos… O resto são opiniões que tal como os cus cada um tem a sua. Dizer mal é a coisinha mais fácil do mundo..

  7. Jafonso, é um prazer, e uma honra, receber a visita de ilustres belenenses.
    __

    MARGARIDO TEIXEIRA, nunca fiz parte desse grupo em losango.
    __

    Zé Maria, também aprecio gente frontal. E sou sócio do Sporting há mais de 25 anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.